sábado, 10 de dezembro de 2016

SE DEU MAL: Preso tenta fuga milagrosa e acaba entalado na porta da própria cela

Preso fica entalado em porta de cela ao tentar escapar de prisão
Um detento que estava mantido sob custódia em prisão no Balneário Piçarras, em Santa Catarina, teve uma ideia genial para fugir do local. O plano bolado pelo preso era de escorregar por um quadrado minúsculo na porta de sua cela.
Inútil dizer que o plano deu terrivelmente errado, e o preso acabou ficando entalado na porta. Os guardas do presídio tiveram que chamar o Corpo de Bombeiros para libertarem o “Sr. Houdini” da enrascada em que ele havia, literalmente, se metido.
O Vanguardista

Delações preocupam Temer e ordem no governo é ‘esperar poeira baixar’

60275343_BRASILBRASILIABSB03-08-2016O-Presidente-Interino-Michel-Temer-desce-a-rampa-do-PPreocupado com os efeitos que a delação da Odebrecht pode causar em seu governo, o presidente Michel Temer pediu cautela a aliados para analisar os detalhes das denúncias que o levavam, junto com seus principais auxiliares, ao centro da Operação Lava Jato. Segundo assessores do presidente, a ordem é “esperar a poeira baixar” antes de traçar prognósticos.
Aliados de Temer reconhecem que o momento é delicado, já que as denúncias envolvem o governo como um todo e, por isso, defendem, é preciso avaliar a extensão das delações para não tomar “decisões precipitadas”.
Segundo integrantes do Planalto, Temer é um político experiente e está tranquilo. Ele tem conversado com os assessores mais próximos, inclusive aqueles citados nas delações, mas quer evitar imprimir qualquer caráter de reunião emergencial a possíveis encontros durante o fim de semana.
O peemedebista voltou a Brasília de sua primeira viagem ao Nordeste como presidente na noite de sexta-feira (9), quando o site de notícias BuzzFeed divulgou a informação, confirmada pela Folha, de que um ex-executivo da Odebrecht envolvia Temer e seus principais aliados na Lava Jato. Desde então, ele tem acompanhado os desdobramentos das denúncias.
Em acordo de delação premiada, Cláudio Melo Filho, ex-executivo da Odebrecht, afirmou ter entregado em 2014 dinheiro no escritório de advocacia de José Yunes, amigo e assessor de Temer.
Os recursos, segundo o ex-executivo da empreiteira, faziam parte de um valor total de R$ 10 milhões prometidos ao PMDB na campanha eleitoral daquele ano de maneira não contabilizada oficialmente.
Ainda de acordo com Melo Filho, o dinheiro foi negociado em um jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014, com a presença de Temer, do atual ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e de Marcelo Odebrecht, herdeiro do grupo e preso em Curitiba.
Folha

Esquema para aprovar 14 MPs custou R$ 17 milhões, afirma delator

Além de expor nomes chave do governo e do próprio presidente Michel Temer, a primeira das 77 delações feitas por ex-executivos da Odebrecht a vir a público revela que a empreiteira pagou caro para incluir no Congresso emendas em Medidas Provisórias e projetos. O ex-diretor da empreiteira, Cláudio Filho, disse, em delação feita à Operação Lava-Jato, que foram pagos mais de R$ 17 milhões a parlamentares em troca de apoio na aprovação de matérias e inclusão de emendas que favoreciam a Odebrecht. Cláudio Filho cita 14 MPs e projetos que teriam sido modificados ao gosto da empresa. Os pagamentos foram feitos entre 2006 e 2014 para sete parlamentares. Os políticos citados na delação negam recebimento de propina.
O governo e a cúpula peemedebista evitaram comentários públicos, apesar de reconhecerem a gravidade da denúncia, que será tema de reunião emergencial dos aliados neste domingo.
O principal interlocutor do ex-diretor no Legislativo era o senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Congresso, mas ele relata ter realizado pagamentos também ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) e o ex-senador Delcídio do Amaral.
Segundo a delação, narrada por Filho em 82 páginas, a primeira negociação de que fez parte foi em relação à MP 252, conhecida como MP do Bem e que criava incentivos fiscais para incrementar exportações. O ex-diretor pediu ao então deputado (hoje ex-ministro do governo Temer) Geddel Vieira Lima para que apresentasse uma emenda que atendesse ao pleito da Odebrecht. A empresa queria incluir no projeto um artigo que alterava a forma de incidência de PIS/Cofins. Relator da medida, Jucá conseguiu aprovar a emenda e recebeu, em troca, pagamento “a pretexto de campanha” eleitoral em 2006.
Uma das maiores articulações, no entanto, foi em relação ao projeto de resolução do Senado Federal (PRS) nº 72/2010, que reduzia e uniformizava a alíquota de importação do ICMS de operações interestaduais para acabar com a chamada “guerra dos portos”. O próprio Marcelo Odebrecht levou a questão da guerra dos portos ao então ministro da Fazenda, Guido Mantega, que teria dito que a equipe econômica estava mobilizada para resolver o problema.
Coube a Jucá apresentar um projeto de lei que zerava as alíquotas de ICMS para esse tipo de operação. O projeto só foi votado dois anos depois, em 2012. À época, o senador teria solicitado “apoio financeiro” e recebeu cerca de R$ 4 milhões. Segundo Filho, Jucá teria dito que os recursos não seriam apenas para ele, “mas também, como já havia ocorrido em outras oportunidades, para Renan Calheiros”, segundo trecho da delação. A empresa também pagou R$ 500 mil a Delcídio do Amaral por seus esforços na aprovação do PRS 72/2010.
A empresa ainda pagou mais de R$ 7 milhões pela aprovação, “sem percalços” da MP 613/2013, que tratava de incentivos fiscais à produção de etanol e à indústria química. “Ficou claro na oportunidade que esses pagamentos seriam contrapartidas solicitadas pelo parlamentar para que, mediante a sua atuação e a dos parlamentares já referidos, a aprovação da MP 613 efetivamente ocorresse sem percalços”, diz a delação.
Segundo o relato, o senador Eunício Oliveira teria recebido R$ 2,1 milhões; outros R$ 4 milhões foram pagos para Romero Jucá e Renan Calheiros; entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão para Lúcio Vieira Filho; e R$ 100 mil para Rodrigo Maia.
O GLOBO

AS FESTAS JÁ ESTÃO AI, FELIZ NATAL E PROSPERO ANO NOVO DO BLOG DO ELVIS BEZERRA


Mais um Natal esta chegando e mais um Novo Ano se aproxima, e eu sinto o meu coração novamente feliz e pleno por ter vocês amigos leitores fazendo parte de minha vida. Dias como estes só são especiais porque tenho amigos como vocês.

É hora de deixar para trás aquilo que nos trouxe tristeza, e tudo de mau que vivemos. Natal é renascimento! Vamos levar conosco para o Novo Ano apenas as lições que aprendemos e as boas memórias de tudo o que vivemos de feliz.

Um Feliz Natal, um 2017 maravilhoso a todos vocês, meus queridos leitores, e que o Ano Novo de 2017, chegue trazendo muitas felicidades e realizações para todos nós. Boas Festas a cada um leitor amigo do Blog Elvis Bezerra!

Nino,s Bar



MARMORARIA GRANFORTH


Temer recebe ligação de investidores

MICHEL-TEMER-PHONE-facebookTemer que se cuide! 
Pois neste sábado(10), recebeu uma ligação de vários investidores estrangeiros sobre a possibilidade de retirarem investimentos do país e desistirem de fazer novas aplicações caso a “frequência exagerada de crises” continue.
Os representantes de fundos estrangeiros  já não estão confiando com mais facilidade na política brasileira. 
Não há o que discutir, o que passa na cabeça dos investidores é que Temer está perdendo a “governabilidade”.

Brasil ‘despenca’ e vai a sua pior posição em ranking de imagens de nações


Bandeira_rachada-1024x600O noticiário sobre as crises política e econômica e os problemas registrados durante a Olimpíada no país derrubaram o Brasil no principal ranking internacional que mede a imagem das nações no mundo. O Brasil aparece em 23º lugar na edição mais recente, de 2016, do Anholt-GfK Nation Brands Index (NBI), a sua pior classificação na história do índice.
A avaliação revela uma queda de três posições no ranking global. Pode parecer pouco, mas é uma das maiores quedas do país em nove anos em que foi feita a avaliação do NBI, e levou o Brasil a sua pior posição já registrada no ranking, segundo um levantamento histórico realizado pelo NBI

Câmara de São Paulo aprova presença de doulas em maternidades



São Paulo - Maternidade do Hospital Israelita Albert Einstein faz parceria com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e o Institute for Healthcare Improvement (IHI) para o projeto Parto Adequado (Rovena Rosa/AA Câmara Municipal de São Paulo aprovou projeto de lei que permite a presença de doulas em maternidades municipais e hospitais privados contratados pelo município. A proposta da vereadora Juliana Cardoso (PT) segue agora para sanção do prefeito Fernando Haddad.
As doulas são profissionais que oferecem apoio emocional e conforto físico às gestantes. Com o projeto, elas ficam autorizadas a permanecer com as futuras mamães durante consultas, exames pré-natal, pré-parto, parto e pós-parto imediato, com seus instrumentos de trabalho.

Se o projeto for sancionado, a gestante ganhará o direito a entrar na sala de parto com a sua doula e também com um acompanhante. A doula, no entanto, não pode fazer procedimentos e dar diagnósticos restritos aos profissionais de saúde, mesmo se ela tiver formação na área.
Daniela de Almeida Andretto, presidenta da Associação de Doulas do Estado de São Paulo (Adosp), disse que a vitória com a aprovação da lei não será da doula, mas da mulher. Ela explica que, diferente da gestante com situação financeira mais favorecida, com privilégios como escolha de um bom médico e um bom hospital, a mulher pobre é a que será mais beneficiada pela presença da doula.
“Se a gente pensar nas mulheres que vão a um hospital público que, muitas vezes, é a única opção dela, a presença da doula favorece a questão da saúde para ela. A gente está falando de um projeto que não tem a ver só com deixar ou não a doula entrar. Tem a ver com melhorar a saúde materna”, afirma Daniela.
A presidenta da Adosp explica que o acompanhamento da doula tem melhorado os índices de saúde pública, como redução da analgesia, redução do tempo de trabalho de parto e aumento da satisfação com a experiência do parto. “É um bem para a saúde pública”, ressalta.
O curso de doulas tem duração de 36 a 40 horas e trata de aspectos como fisiologia de parto, controle emocional e bem-estar. A principal escola de doulas de São Paulo já formou 12 mil alunos.
Fernanda Cruz 

Memorial da Resistência expõe cartas de presos da ditadura

exposicao_carta_aberta_memorial_da_resistencia_credito_ivan_trimigliozzi_baixa4.jpgO Memorial da Resistência, na capital paulista, coloca em exposição, a partir de hoje (10), cerca de 70 correspondências trocadas entre presos políticos da ditadura, seus parentes e amigos entre os anos de 1969 a 1974. Carta Aberta – Correspondências na Prisão traz mensagens que foram mantidas guardadas pelos próprios ex-presos e familiares por mais de quatro décadas.
“Você percebe que essas correspondências eram uma forma de eles permanecerem conectados com o lado de fora [da prisão], e também de saber notícias do que estavam acontecendo”, ressalta a curadora e coordenadora do Memorial da Resistência, Kátia Filipini.
O conteúdo das correspondências mostra que os presos buscavam, nas primeiras mensagens, não deixar os parentes preocupados, apesar da situação que encontravam no cárcere. Segundo a curadora, é possível depreender das mensagens que eles e familiares, na tentativa de diminuir o risco de a correspondência ser bloqueada pela censura, evitavam alguns assuntos nas cartas, como a tortura.
“O que você vai perceber é que, em nenhum momento, no início da prisão, eles falam da questão da tortura. Se estavam presos na Oban [Operação Bandeirante] eram torturados, mas eles não falam para os familiares. Já em cartas posteriores, diziam que os primeiros momentos foram terríveis, mas em nenhum momento eles entram em detalhes”, disse Filipini.
A curadora ressalta que apesar de as cartas tratarem predominantemente da ansiedade pela liberdade e da angústia da prisão, os presos políticos mostravam, nas mensagens, convicção de sua ação. “Em nenhum momento eles se arrependem. Eles acreditavam que estavam tentando mudar o regime”.
A exposição ocorre no Memorial da Resistência de São Paulo, Sala 2 – 3º andar, Largo General Osório, 66 – Luz. A mostra estará aberta até 20 de março de 2017. Informações adicionais podem ser encontradas em memorialdaresistenciasp.org.br.
Bruno Bocchini

Maior acervo on-line sobre ditadura brasileira é relançado em São Paulo

O portal Memórias da Ditadura, o maior acervo on-line sobre a história da ditadura no Brasil, de 1964 a 1985, foi relançado hoje (10) na capital paulista. A partir de agora, o site passa a contar também com dados e informações da Comissão Nacional da Verdade (CNV). O portal, desenvolvido pelo Instituto Vladimir Herzog, tem acesso gratuito e todo o conteúdo é de domínio público.
“É um portal que traz a história da época da ditadura, e a maneira que ele é construído é para tentar fazer uma conexão do passado com o presente. Até porque vários temas daquela época estão voltando agora”, disse o diretor executivo do Instituto Vladirmir Herzog, Ivo Herzog.
Entre os novos temas presentes, estão a criação de mecanismos de prevenção e combate à tortura, a reforma na polícia, na segurança pública, e no sistema prisional. Também têm assuntos específicos, como as mulheres, os indígenas e a comunidade LGBT. O site passou a contar ainda com uma área exclusiva sobre a educação na ditadura, que está dividida em quatro partes: educação pré golpe; educação básica na ditadura; universidades e ditadura; e mercado editorial.
O portal, que hoje conta com mais de 1 milhão de caracteres, havia sido lançado originalmente no fim de 2014, quando a Comissão Nacional da Verdade ainda não tinha encerrado os trabalhos e produzido os relatórios finais. “A gente trouxe agora, essa área nova da CNV, mas também as várias comissões estaduais e municipais, e as de fora do país, para que as pessoas entendam o tema, o que é uma comissão da verdade, qual o papel dela”, afirmou Herzog.
O site, que atualmente chega a registrar picos de cerca de 20 mil acessos diários, tem mais de mil itens (posts) publicados, com centenas de imagens, centenas de vídeos e mais de 1 milhão de caracteres. 
“O foco é um foco educacional, é um foco de formação. Além de ser uma grande base de consulta, a gente tem áreas com propostas de atividades para educadores. A gente tenta dar direcionamento para como usar esse material dentro da sala de aula”, destacou o diretor executivo do instituto.
O novo portal pode ser acessado em www.memoriasdaditadura.org .

Brasileiros pedem "desculpas" a italiano morto em favela

Da Agência Ansa
O assassinato do italiano Roberto Bardella, de 52 anos, na favela Morro dos Prazeres, no Rio de Janeiro, provocou comoção na Itália e no Brasil. Originário de Jesolo, em Veneza, onde era proprietário de uma imobiliária, Bardella foi morto ao entrar por engano no morro carioca, em uma moto com Rino Polato, de 59 anos. O crime ocorreu na manhã da última quinta-feira (8) e repercutiu em toda a Itália, já que três cidadãos do país foram mortos no Brasil em um mês: Pamela Canzonieri, assassinada na Bahia, em 18 de novembro, e Alberto Baroli, morto no Ceará no dia 5 de dezembro. Rino Polato, que passou os últimos dias prestando depoimento à polícia do Rio de Janeiro, voltou neste sábado para a Itália.
Ele aterrissou no Aeroporto Internacional Marco Polo, em Tessera, em um voo proveniente de Lisboa, e foi recebido por seus familiares, sem falar com a imprensa. Nas redes sociais, o italiano recebeu mensagens de apoios de amigos e de brasileiros que se disseram "envergonhados" com a situação. "Em nome de todo o povo brasileiro, eu quero pedir perdão pelo que aconteceu. Todos os anos, 60 mil brasileiros são mortos", escreveu um internauta. "Meus mais sinceros sentimentos, vivemos uma guerra civil não declarada, eu os aconselho a não vir para o Rio de Janeiro, para a corrupção, o crime e o tráfico de drogas que dominam o Brasil.
Saibam que o povo de bem do Brasil ama os italianos, tem coisas que acontecem que nos deixam abalados", destacou outro. A Justiça do Rio de Janeiro decretou a prisão de sete pessoas, sendo uma menor de idade, por envolvimento no assassinato do italiano. Hoje, outros dois mandados de prisão foram emitidos, contra Raphael Correia Pontes, conhecido como "Pedro De Lara", e Bruno Gonçalves Campos Gerreira, apelidado de "Gordinho". A Polícia Civil divulgou a foto de seis suspeitos maiores de idade, identificados com base em fotografias de registro e no depoimento de Polato, e cujas prisões já tinham sido decretadas.
Tratam-se de Wagner Moreira Rodrigues da Silva, Tiago de Oliveira, Romulo Pontes Pinho, Claudio Augusto dos Santos, Marcos Vinicius Paulo de Oliveira e Marcos Elias Candido Bezerra. Dessa maneira, a polícia trabalha com nove nomes. As autoridades acreditam que os dois italianos, que viajavam de moto pela América do Sul, tenham sido confundidos com policiais pelos traficantes do Morro dos Prazeres devido às suas vestimentas e aos equipamentos de áudio e câmera.

Ataque suicida deixa mais de 50 mortos na Nigéria

Duas mulheres suicidas se explodiram em um mercado na cidade de Madagali, no Nordeste da Nigéria, deixando ao menos 57 mortos e 177 feridos, sendo 120 crianças, nessa sexta-feira (10).
Os ataques coordenados foram reivindicados pelo grupo terrorista Boko Haram, que tem travado uma batalha para criar um Estado com leis islâmicas no nordeste do país.
De acordo com o major Badare Akintoye, porta-voz de uma unidade do Exército na cidade vizinha de Mubi, os ataques foram realizados simultaneamente pelas estudantes em duas entradas do hortifruti.
O grupo terrorista tem realizado com frequência ataques suicidas com bombas em áreas cheias de pessoas. "Agentes da segurança assumiram a área para evitar que inimigos realizassem outro ataque", completou Akintoye.
Da Agência Ansa

Presidente da Itália promete "solução para governo" em breve

Da Agência Ansa
Terminaram neste sábado (10) as reuniões partidárias que o presidente da Itália, Sergio Mattarella, conduziu ao longo de três dias para tentar formar um novo governo, após a renúncia do primeiro-ministro Matteo Renzi.  Hoje foi a vez de Mattarella receber no Palácio do Quirinale, em Roma, o ex-premier e líder do Partido Força Itália (FI), Silvio Berlusconi, e os representantes do Partido Democrático (PD), de Renzi, que deixou o cargo após ser derrotado em um referendo de reforma constitucional.
"Apresentamos ao presidente aquela que achamos a única via possível para prosseguirmos com os compromissos políticos: a aprovação em tempo recorde de uma nova lei eleitoral", disse Berlusconi. "O FI não apoiará um governo de grande coalizão, cabe ao PD apoiar um governo para até o final desta legislatura", afirmou.
A Itália sofre um impasse para a formação do novo governo. Isso porque a oposição exige novas eleições, mas a lei eleitoral do país foi declarada inconstitucional. Para isto, a Itália precisa de um governo que prossiga com o compromisso de aprovar a nova legislação para, então, marcar o pleito. Já a legenda de Renzi, o Partido Democrático, disse estar "disponível para apoiar a solução mais oportuna para a crise".
Isso poderia implicar na volta de Renzi ao poder ou na indicação do nome do ministro das Relações Exteriores, Paolo Gentiloni, ao posto, possibilidade que ganhou força nas conversas de Mattarella com os partidos italianos. O opositor Movimento 5 Estrelas (M5S), do comediante Beppe Grillo, defendeu que o governo do PD vigore até a votação final da lei eleitoral e que, em seguida, seja convocada a nova eleição.
"Pedimos a Mattarella para garantir o percurso institucional mais rápido para ir à eleição, com a nova lei eleitoral que será certificada pela Corte Constitucional", disse o partido. "Espero que o clima possa se articular e prosseguir com uma relação dialética, como é necessário para nossa democracia, mas serena e construtiva", disse Mattarella, ao fim das consultas.
"O nosso país precisa, logo, de um governo com plenitude de suas funções", acrescentou. "Nas próximas horas, analisarei o que saiu destas conversas e tomarei a decisão necessária para a solução da crise de governo", prometeu o presidente da Itália.

FELIZ NATAL, E UM ANO NOVO CHEIO DE PAZ: TRAIRY TINTAS


AVENIDA RIO BRANCO 500
Santa Cruz RN
(84) 9 9944-2291 / 9 914-28476 / 9 8730-0961

"Desejo que neste Natal a luz do Menino Jesus ilumine seus caminhos para que jamais se sinta sozinho ou perdido nessa maravilhosa jornada que chamamos de vida."
"Dia 25 de dezembro é o aniversário de Jesus, um pequeno menino que nasceu para trazer muita luz. Desde que chegou a terra os homens já o perseguiam, mas 3 reis magos o encontraram após seguir a estrela guia. Com mirra, ouro e incenso o presentearam, pois já sabiam que o filho de Deus foi mandado para salvar os homens que pecaram. Nesta data tão importante nos que fazemos a "TRAIRY TINTAS" pedimos ao menino Jesus que traga suas bênçãos sobre todos nós e ilumine nossos caminhos com a sua luz." Feliz Natal e Prospero Ano Novo!

S.A Acessórios


Cacimbas construídas pela Prefeitura de Santa Cruz ajudam no plantio de tomates na Zona Rural


A Prefeitura de Santa Cruz, através da Secretaria Municipal de Agricultura, está realizando uma série de ações em benefício dos pequenos produtores rurais que sobrevivem da chamada agricultura familiar. Entre as ações que estão sendo desenvolvidas periodicamente, estão as construções de cacimbas que resultam em água para o uso com os animais e também para o plantio de hortaliças. Uma importante ajuda para aqueles que precisam conviver com períodos de longa estiagem, como o que estamos atravessando.
Um bom exemplo vem da comunidade Várzea Alegre, onde reside o agricultor Cláudio Oliveira. A água que é retirada por ele de uma cacimba construída pela prefeitura é muito bem aproveitada, diga-se de passagem, na plantação de tomate. Uma saída encontrada pelo agricultor para minimizar os efeitos da seca e aumentar a renda da família.
De acordo com Cláudio Oliveira, a água que é retirada da cacimba serve para irrigar os mais de 12 mil pés de tomates plantados em sua comunidade. Quando chegar o período da colheita, a plantação terá produzido aproximadamente 36 mil quilos de tomate, além de gerar um total de 20 empregos diretos, beneficiando também outras famílias.
A atividade de plantar tomates passou a fazer parte da vida do agricultor Cláudio Oliveira a partir do último mês de fevereiro, graças ao importante apoio da Prefeitura de Santa Cruz, e tudo o que é produzido por ele é comercializado na própria feira livre de Santa Cruz.

PSDB vai tentar se blindar contra delações


fhc-aecio-alckmin-orlando-brito-768x512Com caciques tucanos sendo alvo das delações feitas pela cúpula da Odebrecht, o comando do PSDB trabalha para blindar a imagem do partido. A ideia é que, apesar das denúncias, a legenda se alinhe com a opinião pública e apresente projeto no Senado revertendo mudanças feitas no pacote anticorrupção pela Câmara.
O projeto protegerá as ações de juízes e de procuradores do Ministério Público nas investigações contra políticos. A proposta foi acertada em conversas entre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o senador Aécio Neves e o líder do governo no Senado, Aloysio Nunes Ferreira.
No projeto ficará explícito que a interpretação da lei por si só não poderá ser caracterizada como crime de responsabilidade por juízes e procuradores, anulando a mudança feita pelos deputados.
Coluna Estadão

Rússia arquitetou megafraude de doping no Rio-2016



5h_50474087A delegação russa, com a ajuda do governo de Vladimir Putin, preparou uma fraude em grande escala para ser colocada em prática na Olimpíada do Rio, falsificando amostras de urina e manipulando testes de doping. É o que revelam e-mails obtidos pelos investigadores da Agência Mundial Anti-Doping (Wada), que estiveram entre os mais de 4 mil documentos usados para concluir que mais de mil atletas do país foram beneficiados por esquemas de manipulação de resultados de doping iniciado em 2011.
A estratégia de Moscou para a Rio-2016 foi minada pela exclusão de mais de uma centena de seus atletas dos Jogos. Mas os dados levantam dúvidas sobre as mais de 50 medalhas que a Rússia obteve no Brasil. As conclusões fazem parte do relatório final preparado pelo investigador Richard McLaren, apresentados ontem. De um esquema inicialmente improvisado, a fraude ganhou contornos institucionais e com alto grau de sofisticação em 2015, na fase final de preparação para o Rio.
Uma das estratégias dos russos para mascarar o uso de alguns produtos ilegais era misturá-los com álcool, café ou sal. Mas, com base em trocas de e-mails entre autoridades de alto escalão do país, os investigadores da Wada que trabalham para desvendar o gigantesco esquema de doping desenvolvido, suspeitam que os cientistas já buscavam outras maneiras de ocultar as substâncias ilegais.
A desconfiança sobre o uso do álcool é sustentada, por exemplo, na troca de correspondências entre o chefe do laboratório russo, Grigory Rodchenkov, e o vice-ministro de Esportes, Alexei Velikodniy, em 10 de julho de 2015.
Estadão

Cláudio Santos é homenageado pela Assembleia com Medalha Mérito Legislativo


Claudio-Santos-eleito-presidente-do-TJRN-para-2015-2016O presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, desembargador Cláudio Santos, será homenageado na Assembleia Legislativa, na próxima quarta-feira (14), com a Medalha Mérito Legislativo, maior honraria concedida pela Casa.
A premiação é realizada anualmente e tem como objetivo reconhecer pessoas e entidades que prestaram serviços relevantes para a sociedade e colaboraram com o desenvolvimento do Brasil.
Cláudio Manoel de Amorim Santos é formado em Comunicação Social e Direito. Foi secretário da Segurança Pública e da Defesa Social do Rio Grande do Norte, entre 2003 e 2004, gestão Wilma de Faria (PSB). Em Agosto de 2004, ele tomou posse como desembargador no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte e á o atual presidente do Judiciário Estadual.
Além dele, também serão homenageados com medalhas do Mérito Legislativo, Social e Cultural o monsenhor Ausônio Tércio, Dom Jaime, Geraldo Melo, Poti Júnior, Pastor Martim Alves, Wilma de Faria, Augusto Maranhão, Diógenes da Cunha Lima, Flávio Freitas, Pedrinho Mendes e Ubirajara Galvão (in Memoriam).
“É sempre muito bom valorizar o exemplo. Através do trabalho dos homenageados com as medalhas do Mérito Legislativo, Social e Cultural esperamos estar reconhecendo o trabalho já realizado por cada umas das personalidades e que seus exemplos se multipliquem para o bem comum da sociedade potiguar e brasileira”, disse o deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) e presidente da Assembleia Legislativa.

Delator cita Moreira Franco, o ‘Angorá’, em negócios de aeroportos

moreira-franco-11O ex-executivo da Odebrecht Claudio Melo Filho afirma em seu a anexo de delação premiada com a força-tarefa da Operação Lava Jato que tratou com Moreira Franco, atual secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), de negócios da empreiteira na área de aeroportos.
Elo entre a empresa e políticos em Brasília, o delator relata pedidos da empreiteira e pressão por parte do peemedebista, que é homem de confiança do presidente, Michel Temer, que foi ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC) no governo Dilma Rousseff.
“Em algumas oportunidades me reuni com Moreira Franco para tratar sobre temas afetos à aviação civil”, afirmou Claudio Melo “Moreira Franco é um político habilidoso e se movimenta muito bem nas ações com seus pares. Acredito que há uma interação orquestrada entre ele e Eliseu Padilha (ministro da Casa Civil) para captação de recursos para o seu grupo do PMDB.”
Segundo o delator, Moreira Franco era identificado nas planilhas da propina com o codinome “Angorá”. O ministro teria solicitado a ele “um apoio de contribuição financeira, mas transferiu a responsabilidade pelo recebimento do apoio financeiro para Eliseu Padilha”.
Os 77 delatores da Odebrecht começam a prestar depoimentos para a força-tarefa nesta segunda-feira, 12. O delator listou em seu anexo da colaboração (documento em que ele apresenta os temas que poderá falar no acordo) seis ocasiões em que tratou assuntos relacionados a aeroportos.
Estadão

Delator da Odebrecht revela caixa 2 de casal Garotinho e que Rosinha beneficiou empresa em licitação

5out2014-o-candidato-do-pr-ao-governo-do-rio-de-janeiro-anthony-garotinho-chegou-para-votar-acompanhado-da-familia-ele-veio-de-helicoptero-do-rio-para-campos-dos-goytacazes-na-saida-ele-afirmou-que-1O que Sergio Cabral e Anthony Garotinho têm em comum? Está certo, muitas coisas, nenhuma delas edificante. Ambos aparecem, por exemplo, nos anexos da delação premiada do diretor da Odebrecht Leandro Andrade Azevedo.
Se Garotinho achou que seus problemas haviam acabado, agora perceberá que o pior está por vir. Ou melhor, já veio.
Azevedo acusa a mulher de Garotinho, Rosinha, de elaborar duas licitações para a construção de casas populares em Campos do Goytacazes, cidade em que ela era prefeita, com especificações que só permitiram à Odebrecht vencer o certame.
Mas como não há benesse grátis, a construtora desembolsou um total de R$ 9,5 milhões em contribuições oficiais e repasses de caixa 2 a campanhas de Garotinho e Rosinha, entre 2008 e 2014.
O delator diz que, em 2009 e em 2012, Rosinha lançou etapas do programa “Morar Feliz”.
“Diante deste cenário, os fatos me levam a crer que os referidos editais, relativos aos Programas “Morar Feliz I e II” foram lançados levando em consideração que a única empresa grande que teria condições e interesse de fazer a obra era a Odebrecht, o que seria a contrapartida aos pagamentos realizados a pretexto de doações de campanha feitos em 2008″.
Azevedo se refere à corrida eleitoral em que Rosinha tonou-se prefeita de Campos pela primeira vez, em 2008. Na ocasião, segundo ele, a Odebrecht repassou R$ 1,5 milhão em dinheiro vivo ao caixa 2 da campanha da senhora Garotinho.
Ainda de acordo com o executivo, o roteiro se repetiu em 2012, na reeleição de Rosinha, e em 2014, quando Garotinho disputou e perdeu a cadeira de governador do estado.
O delator conta que, entre doações oficiais e de caixa 2, a Odebrecht bancou R$ 2,3 milhões para ajudar Rosinha a se manter no comando do executivo de Campos.
Dois anos mais tarde – vale lembrar, ocasião em que a Lava Jato já estava nas ruas – segundo Azevedo, foram mais R$ 5,8 milhões à campanha de Garotinho, também levando em conta contribuições por dentro e por fora.
O patriarca do clã era conhecido na Odebrecht pela inglória alcunha de “Bolinha”. Azevedo revela mais: um Garotinho centralizador, capaz de cobrar pessoalmente os repasses prometidos pela empresa.
“Posso dizer que este tipo de conversa, ou seja, cobrança por eventuais atrasos na entrega dos valores ou mesmo repactuação sobre os valores do pagamento eram comuns”.
Em contrapartida, o político enrolado com a Justiça mostrava-se disposto a agir para que a Odebrecht não saísse no prejuízo.
“Presenciei algumas vezes Garotinho telefonando para os secretários da Fazenda do Município durante a gestão de Rosinha[…] e pedindo que tivéssemos preferência na regularização dos pagamentos em atraso, o que de fato aconteceu”.
Azevedo relata uma relação informal, quase de camaradas, iniciada a partir da possibilidade de empresa e político engordarem seus caixas.
“embora eu não tivesse qualquer relacionamento com Rosinha, a quem conheci na data da assinatura deste contrato (Morar Feliz), mantinha relação próxima a Antonhy Garotinho, o que me permitia tratar com ele, sem burocracia, qualquer dificuldade que tivesse em nossos projetos. Foram exatamente os pagamentos feitos a Garotinho a pretexto das doações de campanha que abriram as portas para o meu contato direto com ele”.
Ao melhor estilo uma mão suja a outra.
Radar

Cantor Thiago Servo é preso por dívida de R$ 800 mil em pensão alimentícia

thiagoO ex-integrante da dupla Thaeme e Thiago, José Lázaro Servo, conhecido como Thiago Servo, foi preso por dívida de pensão alimentícia na madrugada deste sábado (10) em Jacareí (SP).  De acordo com a Polícia Civil, o cantor tinha um mandado de prisão por uma dívida de R$ 500 mil.
A Polícia Civil de São Paulo alertou os policiais em Jacareí que o cantor, que fez dupla com a cantora Thaeme até 2013, faria um show na cidade e pediram ajuda para prendê-lo.

Alemanha lança programa de 150 milhões de euros para repatriar imigrantes

imigrantes-associated-press1O governo alemão lançará um programa de 150 milhões de euros de ajuda para o retorno dos solicitantes de asilo que não permanecerão na Alemanha e que desejarem retornar para seus países de origem.
O anúncio foi feito nesta sexta-feira (9) pelo ministro do Desenvolvimento do país, Gerd Müller.
As informações são da Rádio França Internacional.

Jornalista Rafael Henzel é transferido para quarto de hospital

jornalista rafaelO jornalista Rafael Henzel, um dos seis sobreviventes à tragédia que matou 71 pessoas na Colômbia na semana passada, deixou a Unidade de Terapia Semi-Intensiva do Hospital San Vicente Fundación, neste sábado(10), em Rio negro, depois de 13 dias internado. Ele agora segue sua recuperação no quarto.
A junta médica formada por colombianos e brasileiros até brincou que Ruschel e Henzel já precisam de atenção para que não abusem da melhora da condição médica. Os dois conversam bastante e devem ser transferidos no mesmo voo, até para facilitar a logística de transporte.

Vera Fischer: “Sei me tratar sozinha sexualmente”


vera-fischer1Segura de si e feliz aos 65 anos, atriz Vera Fischer comemora em 2017 quatro décadas de TV Globo, enquanto viaja pelo país com a comédia Ela É O Cara! – que chega a São Paulo em janeiro. Sem censura, ela fala sobre a pressão para estar sempre bela, afirma que passou anos sem sexo e assume que usou drogas. Mãe de Rafaela, de 37, do casamento com Perry Salles, e de Gabriel, de 23, da união com Felipe Camargo, a atriz ainda revela que está namorando: “Meus filhos nem sabem.”
Em algum momento de sua vida você sentiu o peso da idade?
Depois da minha última novela na Globo (Salve Jorge, em 2012), que não foi bem, fui fazer teatro. Eu estava com 62 anos. Nada dava certo, patrocínios não saíam… Comecei a engordar pela amargura mesmo, de ninguém me chamar para trabalhar. Era uma coisa alimentando a outra, você vai ficando mal.
O que aconteceu?
Procurei um psiquiatra porque não conseguia mais dormir. Sabe quando você deita na cama e todos os problemas do mundo vêm à cabeça? Ele me dava remédios, e eu queria subir pela parede. Uma ansiedade maluca, muito remédio errado. Uma das bulas dizia que era medicação para esquizofrenia.
Como melhorou?
Fui a outro psiquiatra. Ele me deu um remedinho para dormir, outro para acordar, que inclusive já cortei. Tudo melhorou. Dei uma renovada, estou contente com o que faço, meus filhos estão sentindo a diferença. Estou até namorando.
Quem?
Ainda está cedo para falar. Ele não é do meio artístico. E meus filhos nem sabem que estou namorando! Estava sozinha desde que namorei (o diretor) Marcos Paulo (em 2005). Sem ninguém para namorar ou para transar…
Ficou todo esse tempo sem sexo?
Fiquei. Ninguém me interessou. Mas eu sei me tratar sozinha sexualmente. Quando eu era mais jovem, me sentia mais preocupada em dar do que receber. Agora, não. Está de igual para igual.
QUEM

MINISTRO NA CORDA BAMBA: Caso Padilha gera apreensão no Planalto

padilha
As suspeitas de grilagem de terra envolvendo o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, causaram apreensão no Palácio do Planalto. Embora o discurso oficial seja o de que Padilha prestou todas as informações sobre o caso da disputa de uma propriedade, no litoral do Rio Grande do Sul, nos bastidores o comentário é o de que a acusação é grave e põe o ministro na defensiva, num momento de fragilidade do governo.
No Planalto, auxiliares do presidente Michel Temer afirmam, em conversas reservadas, que Padilha também pode ser alvo das delações de executivos e ex-executivos da empreiteira Odebrecht à força-tarefa da Operação Lava Jato. O ministro é o braço direito de Temer e um dos responsáveis por articular a votação de assuntos de interesse do Planalto no Congresso, como a reforma da Previdência.
O Estado revelou que Padilha alega ter direito, “por usucapião”, a uma área de 1.929 hectares, no litoral gaúcho. A disputa do chefe da Casa Civil com integrantes da família Perdomini, que alegam ter comprado o terreno – equivalente a 12 parques do Ibirapuera, em nome da Edusa Edificações Urbanas – virou caso de polícia.
Ontem o líder do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE), minimizou as denúncias envolvendo o ministro da Casa Civil. “Padilha continua gozando da confiança do presidente Temer e de todos os partidos da base aliada”, disse Moura.
O Estado de S. Paulo

Pizzaria Larica


Pizzaria Lazella


É POUCO? Nome de Temer é citado 43 vezes em delação de executivo

888-michel-temerO nome do presidente Michel Temer aparece 43 vezes no documento do acordo de delação premiada de Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht.
O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, é mencionado 45 vezes, e Moreira Franco, secretário de Parceria e Investimentos do governo Temer, 35. O ex-ministro Geddel Vieira Lima, que pediu demissão recentemente, surge em 67 trechos.
O líder do governo no Congresso, Romero Jucá (PMDB-RR), apontado como o “homem de frente” das negociações da empreiteira no Congresso, tem 103 menções no relato, um arquivo preliminar do que o ex-executivo vai dizer às autoridades da Lava Jato.
De acordo com Melo Filho, o presidente Temer atua de forma “indireta” na arrecadação financeira do PMDB, mas teve papel “relevante” em 2014, quando, segundo ele, pediu R$ 10 milhões a Marcelo Odebrecht para a campanha eleitoral durante jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014. Segundo o delator, Temer incumbiu Padilha de operacionalizar pagamentos de campanha.
Folha