quinta-feira, 23 de março de 2017

Ezequiel Ferreira e Bênes Leocádio levam Escola da Assembleia para todo o RN


Os servidores das 167 prefeituras do Rio Grande do Norte já podem contar com cursos de especialização e qualificação através da Escola da Assembleia. Um convênio foi assinado nesta quinta-feira (23), pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), e pelo presidente da Federação dos Municípios do estado do Rio Grande do Norte (Femurn), Bênes Leocádio (PMDB), no gabinete da presidência do Legislativo Estadual.
“Este ato formal de assinatura de convênio possibilita a troca de experiência e torna possível que servidores do Poder Executivo Municipal de todas as regiões do Estado se utilizarem da grade de cursos da Escola da Assembleia, com foco numa melhor prestação de serviços para os munícipes. São estes que estão na ponta e que querem receber o melhor do serviço público os maiores beneficiados. Pois terão a execução de projetos e programas conduzidos por um servidor melhor qualificado”, enfatizou Ezequiel Ferreira.
Para Bênes Leocádio, presidente da Femurn, a parceria educacional com a Assembleia Legislativa irá impactar positivamente os servidores das diversas prefeituras. “Promover estes cursos de qualificação é sempre muito complexo e nem toda prefeitura tem condição bancar ou mesmo organizar estes cursos. Agora cada prefeito pode tirar proveito deste convênio e estimular seus funcionários a frequentar a Escola da Assembleia e vislumbrar seu crescimento profissional”, comemorou Bênes Leocádio.
Carlos Russo, diretor da Escola da Assembleia, comemorou a iniciativa dos dois presidente pois fará chegar a grade de cursos da instituição que hoje tem, inclusive, convênios internacionais com universidades com Portugal e Espanha para a oferta de cursos de doutorado, por exemplo. “Todos os nossos cursos estarão disponíveis. Mas nada impede que a cada semestre seja ofertado um cursos específico a partir da demanda das prefeituras”, explicou o diretor.
Também participaram da solenidade de assinatura do convênio o secretário geral da Assembleia, Augusto Carlos Viveiros, a secretária administrativa, Dulcinéa Brandão, e Walter Fonseca, diretor da Escola Potiguar de Gestão da Femurn.
ESCOLA DA ASSEMBLEIA
Escola da Assembleia é a primeira a oferecer um curso de mestrado profissional no país. E recentemente firmou convênio internacional para doutorado. Atuando em favor da qualificação profissional dos servidores públicos e da comunidade, a Escola da Assembleia se transformou em modelo de excelência no Brasil pelo avanço na gestão e qualidade dos cursos oferecidos.
Em atuação desde 2009, a Escola da Assembleia profissionalizou mais de 13 mil alunos. A atual gestão da Casa consolidou a atuação da Escola e ampliou em cinco vezes o número de atividades acadêmicas da instituição, que saltou de 54 para 259.
No primeiro semestre deste ano, a Escola da Assembleia abriu mais de 2 mil vagas em cursos de capacitação, além de três novas pós-graduações lato sensu em Direito Público, Gestão de Pessoas e Gestão de Planejamento Financeiro no Serviço Público.
Ao todo, são 7 programas de pós-graduação, atendendo 240 alunos. Dentre eles, uma parceria com a Justiça Federal que tem possibilitado especialização na área de Direito Civil. Semestralmente, são oferecidos 75 cursos de capacitação e oficinas técnicas para qualificação profissional com foco nas atividades legislativas.

Temer elogia mobilização da sociedade após denúncias da Operação Carne Fraca

Pedro Peduzzi e Kelly Oliveira 
O presidente Michel Temer disse que ligará ainda hoje (23) para o presidente da China, Xi Jinping, na tentativa de fazer com que o país volte atrás na decisão de suspender a importação de carne brasileira, após as denúncias de problemas na fiscalização do produto. Segundo Temer, o caso, desencadeado após a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, “não poderia estar alcançando a dimensão a que chegou”.

A declaração foi feita durante a cerimônia de lançamento do Novo Processo de Exportações do Portal Único de Comércio Exterior. Ele aproveitou o evento para dizer que o governo pretende avançar no processo de desburocratização do país. “Vamos, ao longo do tempo, e até o fim do ano, desburocratizar toda a administração pública”, afirmou.
Sobre os riscos que as denúncias da Operação Carne Fraca podem causar à economia brasileira, Temer disse que a mobilização da sociedade, e em especial da mídia, para reverter a situação foi de grande valia no sentido de evitar uma piora do cenário. “A sociedade se mobilizou para contestar aquilo que aparentemente poderia se transformar em evento internacional desastroso. Tivemos pronta resposta e logo superaremos esse embaraço, que poderá causar prejuízos ao país. O Brasil todo colaborou para esse fato, que é um dos principais de nossa economia e não pode ter a credibilidade abalada”. “Isso não poderia alcançar essa dimensão”, acrescentou.
Segundo o presidente, nas viagens que fez a outros países, o que mais ouviu de governos e de investidores foram críticas à burocracia brasileira. “Essa modernização se ancora principalmente nos fatores da desburocratização. Ao longo do governo, temos solicitado aos próprios ministérios que tragam as medidas desburocratizantes. Isso tem ocorrido com frequência extraordinária, porque cada ministro saberá detalhar com tranquilidade os gargalos de sua administração”. No caso do Portal Único, completou, “a agilização desses desembaraços aduaneiros e alfandegários gera estabilidade nas relações comerciais, uma vez que a demora cria instabilidade e preocupação”.

O Portal Único busca reformular e desburocratizar os processos de importação, exportação e trânsito aduaneiro. A ideia é tê-lo como único ponto de entrada para o encaminhamento de todos os formulários, documentos e dados exigidos nessas operações, reduzindo o tempo para procedimentos de importação e exportação. A expectativa do governo é de reduzir em cerca de 40% o tempo gasto com vendas de produtos ao exterior. Com isso, a partir de 2018 o processo de exportação diminuiria de 13 para 8 dias, enquanto o de importação cairia de 17 para 10 dias.
De acordo com o Ministério  da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, essas facilidades beneficiarão cerca de 5 milhões de operações anuais de exportação, envolvendo mais de 25.500 empresas. Nessa etapa, o programa beneficia apenas o modal aéreo.
O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, disse que a iniciativa eleva o patamar do Brasil no comércio exterior. Ele destacou que 22 órgãos do governo foram reunidos no portal. “Temos hoje no comércio exterior um importante vetor para a retomada do crescimento econômico. O Portal Único é, sem dúvida, um marco decisivo nessa direção. A direção de melhora do ambiente de negócios no Brasil. Os processos brasileiros de importação e de exportação estão sendo revisados, com a eliminação de gargalos”, disse, ao participar do lançamento do programa.
Segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o novo processo é “um dos mais importantes instrumentos a serem utilizados pelo governo para aumentar a produtividade”. Ele lembrou que a decisão faz parte das medidas microeconômicas anunciadas no fim do ano passado pelo governo para estimular a economia.
Os ministros destacaram ainda que o Portal Único cumpre um dos itens do Acordo de Facilitação de Comércio, da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Águas residuais podem ajudar a combater a escassez do recurso, diz ONU

Da ONU News
Em Pedernales, equatorianos fazem fila para pegar água. A Cruz Vermelha espanhola estima que entre 3 mil e 5 mil pessoas estão desalojadas na região O tratamento e a reutilização das águas residuais pode ser uma solução para combater a escassez do bem natural em todo o mundo. A conclusão é do relatório da Águas Residuais: o Recurso Inexplorado, lançado ontem pela Organização das Nações Unidas para marcar o Dia Mundial da Água, 22 de março. As informações são da ONU News.
Para a ONU, o mundo deve mudar a forma como a água residual é vista. Com a crescente demanda do produto, os especialistas dizem que as águas residuais devem se tornar uma fonte alternativa e confiável. Atualmente, parte dessas águas são tratadas e depois eliminadas, mas a gestão deve ser de "reúso, reciclagem e recuperação".
O relatório das Nações Unidas deixa claro que a incapacidade de abordar as águas residuais como um importante problema social e ambiental pode comprometer outros esforços necessários para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). propostos pelas Nações Unidas e  assumidos por várias nações. Segundo a meta, os ODS devem ser implementados por todos os países do mundo até 2030.
Impactos negativos
Segundo os especialistas, a maior parte das atividades humanas que usam água produz águas residuais, que podem ser esgoto ou águas poluídas usadas por indústrias. O relatório diz que com o aumento da demanda global por água, aumenta também a quantidade de águas residuais. Em todos os países, com exceção dos mais desenvolvidos, 95% das águas residuais são despejadas diretamente no meio ambiente sem tratamento adequado. Isso gera impactos negativos na saúde humana, na produtividade econômica, na qualidade das águas doces e nos ecossistemas.
Em 2012, foram registradas mais de 800 mil mortes causadas pelo consumo de água contaminada e serviços de saneamento inadequados. Nos oceanos, as áreas chamadas de "zonas mortas desoxigenadas", causadas pelo lançamento de águas residuais sem tratamento, já atingiram 245 mil quilômetros quadrados, quase três vezes o tamanho de Portugal.
Pode piorar
O relatório da ONU prevê que a demanda por água vai aumentar muito nas próximas décadas. O setor da agricultura é responsável atualmente pelo uso de 70% das extrações de água no mundo e o uso deve aumentar também nos setores da indústria e energia.
Segundo a ONU, dois terços da população mundial vivem hoje em áreas com escassez de água pelo menos uma vez ao ano. E cerca de 500 milhões vivem em regiões onde o consumo de água é o dobro dos recursos hídricos. Os especialistas disseram que, se as tendências atuais persistirem, a qualidade da água continuará piorando nas próximas décadas, especialmente em países com poucos recursos e localizados em regiões secas.
Isso vai aumentar ainda mais o risco para a saúde humana e para os ecossistemas, contribuindo para a escassez de água e prejudicando o desenvolvimento econômico sustentável, alerta o documento.

Quase 18% dos foliões no carnaval de Belo Horizonte eram turistas, diz pesquisa

Léo Rodrigues 
Belo Horizonte Tchanzinho Zona Norte surgiu com a preocupação de descentralizar o carnaval na capital mineiraUma pesquisa feita pela Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur) e Secretaria de Turismo de Minas Gerais (Setur-MG) traçou o perfil dos foliões presentes no carnaval da capital mineira. Os dados do levantamento foram divulgados hoje (23). Eles mostram que 17,6% do público eram de turistas.
A folia em Belo Horizonte colocou nas ruas 845,9 mil pessoas por dia. Os turistas somaram 148,9 mil. Os outros 697 mil, que representam 82,4%, seriam moradores da capital mineira e de cidades da região metropolitana como Contagem e Betim.
Entre os turistas, a pesquisa apontou que 67,4% eram provenientes de municípios do interior de Minas Gerais, enquanto 15,4% vieram do estado de São Paulo e 5,3% do estado do Rio de Janeiro. Além disso, 64,7% participaram do carnaval de Belo Horizonte pela primeira vez. Um outro dado que chama atenção está relacionado à hospedagem: 80,2% dos turistas foram abrigados em casas de amigos e familiares.
O estudo traçou ainda uma média de gastos das pessoas durante o carnaval. Moradores tiveram uma despesa diária de R$ 91,69. Já os turista desembolsaram  cada dia R$ 171,30. De acordo com os cálculos da Belotur, a folia em Belo Horizonte trouxe R$ 255,6 milhões em receita direta com os residentes da região metropolitana e R$ 91,8 milhões de receita com o turismo.
Maior carnaval
Um balanço divulgado pela Belotur no início do mês passado já havia apontado este como o maior o carnaval da história da capital mineira. A folia reuniu 3 milhões de pessoas durante os quatro dias, superando as expectativas. A estimativa inicial era ter 2,4 milhões de pessoas nas ruas da cidade.
A contabilidade da Belotur foi feita por dia. Ou seja, uma pessoa que saiu às ruas em quatro dias distintos foi considerada como quatro foliões. O carnaval de Belo Horizonte contou com 416 desfiles, organizados por cerca de 350 blocos de rua. A programação também teve apresentações de escolas de samba e de blocos caricatos, o carnavalzinho voltado para crianças e shows divididos por quatro palcos espalhados pela cidade.

George Soares solicita tombamento de casarão histórico em Ipanguaçu


george_vitoriaO deputado estadual George Soares (PR) solicitou, através de requerimento encaminhado ao Governo do Estado e Fundação José Augusto, a abertura de processo para tombamento da Casa Grande da Fazenda Itu, situada na zona rural de Ipanguaçu e que pertenceu ao ex-deputado Manoel de Melo Montenegro, o Major Montenegro.
“A Casa Grande do Major encontra-se em um estado difícil por não haver reparos. Boa parte da sua estrutura física corre o risco de cair, por falta de manutenção. Sua estrutura física poderia ser utilizada na implantação de um memorial do Major Montenegro, ‘Museu do Sertanejo do Vale do Açu’ ou ainda para um ‘Centro Cultural’”, sugeriu o parlamentar.

Rafael Motta é titular das comissões de Turismo e Minas e Energia

RAFAEL MOTTAO deputado federal Rafael Motta, do PSB, foi confirmado como integrante das comissões de Turismo e Minas e Energia, como titular, e Educação e Relações Exteriores, como suplente. A confirmação ocorreu nesta quinta-feira (23), quando a Câmara dos Deputados instalou as 25 comissões permanentes da casa.
Rafael Motta afirmou que o trabalho das comissões é de suma importância para discutir junto com a sociedade os projetos de lei que estão tramitando na Casa. As comissões também auxiliam o plenário nas votações das matérias.
“Estamos mais uma vez participando das comissões de Turismo e Minas e Energia, porque são comissões que abrangem atividades econômicas importantes para o Rio Grande do Norte. Precisamos estar atentos para o desenvolvimento do turismo e do setor de energia renovável”, afirmou Rafael Motta.

Garibaldi acompanha prefeitos de Guamaré e Carnaúba dos Dantas em audiência no Ministério da Integração

thumbnail_23-03O senador Garibaldi Filho, o ex-ministro Henrique Alves e o deputado estadual Hermano Morais acompanharam os prefeitos de Guamaré, Mozaniel Rodrigues, e de Carnaúba dos Dantas, Gilson Dantas, em audiência com o secretário de desenvolvimento regional do Ministério da Integração Nacional. Na pauta, pleitos de interesse da população dos dois municípios.
 No caso de Guamaré, uma das reivindicações foi a instalação de uma planta de dessalinização no município, investimento em torno de R$ 10 milhões. A equipe técnica do Ministério analisará a viabilidade jurídica do projeto. Já Carnaúba dos Dantas precisa de R$ 4 milhões para a construção de uma barragem. Foi agendada para 5 de abril uma reunião na Secretaria de Segurança Hídrica do Ministério.

Homem devolve US$ 1 milhão que apareceu em sua conta


dinheiro novaApesar da tentação que sentiu para quitar todas as suas dívidas, José Soto pensou bastante e decidiu ser um bom exemplo para seu filho ao devolver a um banco o montante de US$ 1 milhão que repentinamente apareceu em sua conta.
“Tenho um bebê de três anos e para mim será muito gratificante dar a ele os melhores exemplos e contar, dentro de alguns anos, já que ele ainda é muito pequeno, a história do que aconteceu”, declarou Soto ao “Canal 7” da televisão da Costa Rica.
Este homem de 37 anos e dono de um pequeno estabelecimento comercial de peças automotivas em San José, a capital do país centro-americano, não conseguiu dormir na noite em que viu a milionária soma em sua conta bancária.

Moradores da Cidade de Deus interditam ruas em protesto contra ação policial


IMG_8424Uma manifestação de moradores da Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio, interditou os dois sentidos da Estrada Marechal Miguel Salazar Mendes de Moraes, nesta quinta-feira.
O protesto, segundo relatos em redes sociais, é contra uma operação da Polícia Civil no local. De acordo com os manifestantes, três pessoas foram baleadas durante a incursão na comunidade, mas a informação ainda não foi confirmada oficialmente.

Mulheres de presos do Sindicato do Crime RN fazem protesto em frente à Governadoria

Protesto de mulheres de presos pertencentes a facção Sindicato do Crime RN realizaram protesto na manhã desta quinta-feira(23) em frente à Governadoria.
Informações dão conta que o clima no local ficou tenso quando as mulheres dos detentos atacaram o veículo de uma jovem que trafegava no Centro Administrativo. A Força Tática da Polícia Militar foi enviada ao local para controlar excessos.

Blog do BG

Fachin autoriza interrogatório de Renan, Sarney e Jucá


O ministro Edson Fachin determinou que Polícia Federal dê cumprimento à determinação de interrogar o ex-presidente José Sarney, os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-diretor da Transpetro Sérgio Machado no âmbito de um dos inquéritos da Operação Lava Jato.
No despacho, de segunda-feira, 20, Fachin autorizou também que sejam recolhidos, junto a empresas de transporte aéreo de passageiros, todos os registros de passagens emitidas e utilizadas por Sérgio Machado entre 1.º/12/2015 e 20/5/2016.
Fachin, no entanto, deixou em suspenso a autorização solicitada pela Procuradoria-Geral da República para a obtenção “de todos os registros de acesso às dependências do Tribunal em nome de Eduardo Antônio Lucho Ferrão (advogado) no ano de 2016 com todas as informações e arquivos relacionados”.
Segundo Janot, na descrição dos fatos ocorridos, “Renan Calheiros e José Sarney prometem a Sergio Machado que vão acionar o advogado Eduardo Ferrão e o ex-ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Cesar Asfor Rocha para influenciar na decisão de Vossa Excelência (Teori Zavascki) sobre possível desmembramento do inquérito de Sérgio Machado”.
Fachin já havia autorizado esta medida, quando da abertura do inquérito, mas ela não foi cumprida diante de um impasse surgido no processo. O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pediu que o ministro reconsiderasse a decisão argumentando que isto “invade a esfera de atuação profissional” e infringiria normas.
A PGR, em resposta ao pedido de impugnação feito pela OAB, solicitou a Fachin que rejeitasse o pedido da entidade e referendasse o prosseguimento das investigações.
Fachin disse que, em momento posterior, irá deliberar sobre o impasse entre a OAB e a PGR referente à obtenção dos dados do advogado.
Defesas
A reportagem não conseguiu falar com as defesas de todos os envolvidos nesta quarta-feira, 22. Mas, quando o ministro Edson Fachin autorizou a abertura do inquérito, em fevereiro, o senador Renan Calheiros disse, em nota, que “reafirma que não fez nenhum ato para dificultar ou embaraçar qualquer investigação, já que é um defensor da independência entre os poderes”.
Procurada, a defesa de Machado informou que o ex-diretor da Transpetro está colaborando com as investigações.
O criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que defende o senador Romero Jucá e o ex-presidente José Sarney disse que se houve crime “este foi praticado pelo ex-diretor da Transpetro Sérgio Machado, autor das gravações”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Exame

Anulação de delações vazadas à imprensa ‘não tem pé, nem cabeça’, diz coordenador da Lava-Jato

O coordenador da força-tarefa da operação Lava-Jato, Deltan Dallagnol, afirmou na tarde desta quarta-feira que a proposta de anulação de delações premiadas vazadas ilegalmente à imprensa “não tem pé, nem cabeça”. Deltan não citou o nome do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, que chegou a dizer que havia possibilidade de anular colaborações após vazamentos. Mendes se envolveu em polêmica com Rodrigo Janot, procurador-geral da República, após afirmar que o órgão divulgou informações de processos sigilosos, como os nomes dos políticos suspeitos de receber propina da Odebrecht.
— A ideia de anular colaborações ou provas porque informações foram vazadas ilegalmente para a imprensa, com todo respeito, não tem pé, nem cabeça. É claro que vazamentos são condenáveis, mas a proposta peca por falta de senso prático e de amparo jurídico — afirmou ao GLOBO o coordenador da força-tarefa. — Em resumo, apesar da possível boa-fé de eventuais defensores da ideia, anular colaborações, porque os depoimentos vazaram não é razoável por abrir espaço para o esvaziamento do instrumento da colaboração. A proposta preocupa por potencialmente acarretar a impunidade de políticos e empresários do círculo do poder que desviaram bilhões e estão na iminência de serem responsabilizados.
Dallagnol disse ainda que a anulação de delações vazadas abriria um canal para que os próprios delatores ou pessoas mal intencionadas ficassem impunes.
— A sugestão de que o vazamento contamina a prova que lhe antecede não tem fundamento legal. A lei prevê explicitamente que mesmo as provas consideradas ilícitas podem ser legalmente utilizadas quando têm uma fonte legal independente da suposta fonte ilícita. Isso faz com que a coleta original das provas, dentro de um procedimento regular de colaboração premiada, garanta a aceitação e plena legalidade das evidências.
Na manhã de hoje, Janot acusou o ministro Gilmar Mendes de sofrer de “decrepitude moral e disenteria verbal”. O procurador fez as críticas numa resposta à acusação do ministro de que procuradores teriam convocado uma entrevista coletiva em off na semana passada para vazar os nomes dos políticos suspeitos de receber propina da Odebrecht. Janot disse que Mendes apontou o dedo contra o Ministério Público, mas se omitiu sobre o uso do off no Palácio do Planalto, no Congresso Nacional e no próprio STF.
— Não vi uma só palavra de quem teve uma disenteria verbal a se pronunciar sobre essa imputação o Palácio do Planalto, Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal. Só posso atribuir tal ideia a mentes ociosas e dadas a devaneios. Mas infelizmente com meios para distorcer fatos e instrumentos legítimos de comunicação institucional — disse o procurador-geral no encerramento de encontro de procuradores regionais eleitorais na Escola Superior do Ministério Público.
Janot não mencionou o nome de Mendes, mas fez uma série de referências que não deixam dúvidas sobre o alvo de suas criticas. As informações sobre o a suposta coletiva foram divulgadas pela imprensa no domingo e replicadas por Mendes ontem à tarde no STF. Ao falar sobre o suposto vazamento dos nomes de políticos da lista de Janot, o noticiário fez referências a prática do off no Palácio do Planalto, no Congresso Nacional e no STF. Para Janot, o ministro preferiu direcionar os ataques ao Ministério Público e omitiu, de forma deliberada, as menções ao uso do off no Palácio, do Congresso e no STF.
O Globo

Brasil lança campanha internacional pelo empoderamento das mulheres rurais

Andreia Verdélio 
A produtora rural Silvia Pinheiro adotou o sistema agroflorestas em sua propriedade, e, segundo Silvia, a biodiversidade é tão grande que evita muitas pragas e dá mais saúde para os vegetais (Antonio Cruz/Agência Brasil)A Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) lança hoje (23) em Brasília a campanha internacional #MulheresRurais, mulheres com direitos. O objetivo é dar visibilidade a essas mulheres e ao trabalho que desempenham para o desenvolvimento socioeconômico e sustentável. “A mulher rural é a protagonista do desenvolvimento sustentável. E é para isso que estamos trabalhando, para que ela reconheça o seu papel”, disse a coordenadora de Políticas para as Mulheres da Sead, Solange da Costa.
Segundo ela, as mulheres têm papel fundamental na agricultura familiar e camponesa do país, mas não têm o reconhecimento merecido. “Sofrem com o preconceito, com a desigualdade de gênero e com tantos outros problemas que herdaram da vida. Ainda há um longo caminho para o equilíbrio de direitos e oportunidades entre homens e mulheres”, disse, acrescentando que é preciso avançar no reconhecimento do papel fundamental das mulheres do campo para a vida de cada um dos brasileiros.
Mais de 14 milhões de mulheres que estão nas lavouras, comunidades quilombolas e indígenas, nas reservas extrativistas são protagonistas da agricultura familiar no Brasil, 45% dos produtos são plantados e colhidos pelas mãos femininas. Segundo o Censo Agropecuário de 2006, 12,68% dos estabelecimentos rurais têm mulheres como responsáveis, bem como 16% dos estabelecimentos da agricultura familiar.
Segundo dados do Censo 2010, as mulheres rurais são trabalhadoras, responsáveis, em grande parte, pela produção destinada ao autoconsumo familiar e contribuem com 42,4% do rendimento familiar. O índice é superior ao observado nas áreas urbanas, de 40,7%. “São elas que garantem a produção dos alimentos, cuidam das sementes, do manejo ambiental adequado, das águas, garantindo dessa forma a qualidade de vida na família e sociedade”, disse a coordenadora da Sead.
Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), as mulheres rurais cumprem uma série de funções-chave para a segurança alimentar regional, mas enfrentam altas taxas de pobreza, insegurança alimentar e obesidade. Além disso, têm menos acesso aos recursos produtivos como terra, água, crédito e capacitação, fatores que impedem que as mulheres rurais da América Latina e do Caribe desenvolvam todo o seu potencial.
Para Solange, ainda há muitos direitos a serem conquistados por essas mulheres, mas a igualdade de gênero e a autonomia para o desenvolvimento econômico são direitos que merecem atenção especial. “O empoderamento valoriza e reconhece as mulheres rurais como protagonistas do desenvolvimento sustentável e econômico do país. Ele é importante para que as mulheres rurais se reconheçam como parte fundamental desse processo”, disse.
A iniciativa é liderada pela FAO e pela Reunião Especializada em Agricultura Familiar no Mercosul (Reaf) e abrange a América Latina e o Caribe. No Brasil, a Sead vai realizar ações e publicar uma série de reportagens que darão visibilidade ao trabalho feminino no campo, além de oficinas, encontros de capacitação e empreendedorismo feminino, mutirões de serviço e atividades culturais.
“É por meio de suas próprias histórias pessoais e coletivas que pretendemos mostrar a importância da mulher como agricultora, geradora de renda e conhecimento, empreendedora, agente ambiental, administradora, pacificadora do campo e tantas outras funções que impulsionam a agricultura familiar e o desenvolvimento socioeconômico do país”, afirmou Solange.

Uso de escolas por grupos armados na República Centro-Africana impede ensino

Da Agência Lusa
A organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch (HRW) acusou, em relatório divulgado hoje (23), grupos armados de terem ocupado, saqueado e danificado escolas na República Centro-Africana, impedindo o ensino das crianças.
“Grupos armados e até mesmo soldados da missão de paz das Nações Unidas no país, conhecida como Minusca, usaram edifícios escolares como bases ou quartéis ou colocaram as suas forças perto de terrenos escolares”, diz a HRW em comunicado sobre o relatório “Sem aulas: Quando grupos armados utilizam escolas na República Centro-Africana”.
“O governo e a missão de paz devem aumentar a proteção dos estudantes e das escolas em áreas do país afetadas por conflito armado”, defende a HRW no comunicado.
A República Centro-Africana passa por uma crise política e de segurança sem precedentes, após a queda do presidente François Bozizé e a tomada do poder, em março de 2013, pela coligação rebelde Séléka.
A violência, devido aos confrontos entre milícias principalmente cristãs, os anti-balaka, e os rebeldes Séléka, majoritariamente muçulmanos, deixou milhares de mortos e centenas de deslocados (refugiados internos), segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).
“A violência por grupos armados e os ataques a civis aumentaram drasticamente desde outubro de 2016, particularmente no centro do país”, diz ainda a HRW, adiantando que os combates entre duas fações Séléka, nas províncias de Ouaka e Alto-Kotto, levaram a um aumento dos ataques contra civis e à fuga de milhares de pessoas.
A HRW entrevistou mais de 40 pessoas, incluindo estudantes, pais, professores e comandantes de grupos armados em seis províncias do país e mostra no relatório oito casos de responsabilidade dos Séléka, embora informe que “os combatentes anti-balaka também ocuparam e danificaram escolas”.
A organização não governamental lembra dois casos em que os “capacetes azuis” (tropas que servem nas Forças de Paz) utilizaram escolas como bases, violando as regras da ONU. Acrescenta que as forças abandonaram as escolas depois de a HRW ter comunicado o fato às Nações Unidas (ONU).
O Departamento para a Coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU estimou, em novembro de 2016, que 2.336 escolas estavam operando na República Centro-Africana, enquanto 461 não funcionavam devido à insegurança, falta de professores, aos deslocamento das pessoas, à destruição ou ocupação de escolas por grupos armados.
“As crianças perderam anos de educação em muitas áreas da República Centro-Africana porque os grupos armados não trataram as escolas como locais de aprendizagem e de refúgio para as crianças”, lamenta Lewis Mudge, investigador da HRW e coautor do relatório, citado no comunicado.
“O governo e a ONU podem fazer mais para garantir que os combatentes se afastem das salas de aula e que as crianças possam ir à escola com segurança”, afirmou Mudge.
A Minusca, composta principalmente por quadros africanos, conta com um grupo de militares portugueses, que constituem uma força de reação rápida. A equipe é formada por 160 militares, dos quais 156 do Exército, 111 dos Comandos e quatro da Força Aérea Portuguesa. A maioria do contingente chegou à República Centro-Africana no dia 17 de janeiro.

China lançará novo satélite meteorológico no segundo semestre deste ano

Da Agência Xinhua
A China vai lançar um novo satélite meteorológico no segundo semestre deste ano, anunciou a Companhia de Ciência e Tecnologia Aeroespaciais da China (Casc, a sigla em inglês). A informação é da Agência Xinhua.
O quarto satélite meteorológico Fengyun do país deve melhorar a capacidade de previsão de desastres meteorológicos e o monitoramento ambiental.
Comparado com os três Fengyun anteriores, o novo será mais confiável, estável e exato, pois será equipado com novos sensores remotos, segundo Zhu Wei, cientista da Casc.
"O novo satélite vai levar sensores para detectar mudanças em auroras e na ionosfera e um dispositivo de captura de imagens de micro-ondas para fornecer monitoramento constante de indicadores meteorológicos globais em todas as condições climáticas", disse Zhu.
A China planeja lançar mais quatro Fengyun, ajudando a reduzir o intervalo entre as atualizações de previsão do tempo mundial de seis horas para quatro horas e dobrar a frequência de atualizações para o monitoramento de desastres meteorológicos.
Os Fengyun são uma série de satélites meteorológicos de sensoriamento remoto desenvolvidos pela China. O Fengyun-I e o Fengyun-III são de órbita polar, enquanto o Fengyun-II e o Fengyun-IV operam em órbita geoestacionária.
A China já lançou com sucesso 15 satélites meteorológicos.

Três corintianos são condenados por morte de palmeirense; penas somam 54 anos

Marli Moreira 
Após quase 20 horas de julgamento, os três torcedores do Corinthians, acusados pela morte do torcedor do Palmeiras Gilberto Torres Pereira, em 2014, foram condenados hoje (23) a penas que variam entre 19 e 21 anos de prisão em regime fechado. O crime ocorreu em 20 de agosto de 2014, na estação da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) de Franco da Rocha, município da Grande São Paulo.
Pereira, que integrava a torcida organizada do Palmeiras, morreu em consequência de um traumatismo craniano. Durante a agressão, policiais militares viram a vítima sendo golpeada com um galho de árvore pelo ex-vereador Raimundo Cesar Faustino, um dos três condenados e que pegou a pena mais severa.
Ele terá de cumprir 20 anos de prisão em regime fechado e mais 1 ano e um mês e 15 dias em regime aberto. Para a justiça, os réus cometeram homicídio qualificado por motivo fútil com o uso de meio cruel e sem dar o direito de defesa à vítima.
Sentenças lidas ao amanhecer
O juri popular teve início às 10h30 de ontem (22), no Fórum de Franco da Rocha, e se prolongou pela madrugada. A sentença só foi lida no início da manhã de hoje (23).
Além do ex-vereador foram condenados: Leonardo Gomes dos Santos (18 anos de reclusão em regime fechado, mais um ano, um mês e 15 dias em regime aberto e o pagamento de multa em valor calculado sobre um décimo do salário mínimo por 12 dias; e Gentil Chaves Siani (16 anos de reclusão, mais um ano de prisão em regime aberto).
No entanto, esta condicional foi substituída pela proibição de o condenado se aproximar dos estádios de futebol ou de qualquer outro evento esportivo. Os demais agressores também estão impedidos de ir aos estádios.

Estado Islâmico assume autoria do atentado que deixou quatro mortos em Londres

Da Agência Brasil
A milícia terrorista Estado Islâmico assumiu hoje (23) a autoria do atentado que aconteceu ontem (22) no centro de Londres, que deixou quatro mortos e 29 feridos. Segundo a agência DPA, porta-vozes do grupo informaram que a operação foi realizada por integrantes do grupo.
A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, afirmou hoje na Câmara dos Comuns que a pessoa que realizou o atentado era um britânico, conhecido pelos serviços secretos e com longo histórico de violência extrema. Ela afirmou que o atentado foi "um ataque contra todas as pessoas livres" e que o Reino Unido "não tem medo", informou a agência Télam.
May informou que, entre os feridos, há 12 britânicos, três crianças francesas, dois romenos, quatro sul-coreanos, dois gregos, um alemão, um polonês, um irlandês, um chinês, um italiano e um norte-americano.  "Foi um ataque contra gente livre de todas as partes e, em nome do povo britânico, quero agradecer a nossos amigos e aliados em todo o mundo que deixaram claro que estão conosco neste momento", afirmou.
No ataque, o agressor lançou seu carro contra pedestres na ponte de Westminster e bateu o carro na grade. Depois ele esfaqueou um policial que vigiava o Parlamento e recebeu vários tiros de policiais. Morreram no atentado o agressor, o policial britânico Keith Palmer, de 48 anos, um homem que tem entre 40 e 50 anos e uma mulher de 43 anos, Aysha Frade.
Investigações
Oito pessoas foram presas hoje em Londres, Birmingham e outros lugares da Grã-Bretanha, por supostamente estarem envolvidas no atentado, segundo a Polícia Metropolitana (Met) daquele país informou hoje.
O chefe da unidade antiterrorista da Polícia de Londres, Mark Rowley, afirmou que até o momento não há evidências que indiquem riscos de novas ameaças e que o incidente está sendo investigado como terrorismo. "Neste momento, não temos informação específica sobre novas ameaças para os cidadãos", disse.

Nova Pampers Supersec


Proteção contra vazamentos; Barreira Anti-vazamento: mais proteção e conforto; Loção Dermacrem: maior proteção para a pele do seu bebê.
Nova cobertura externa: novo design que a deixam mais bonita.
POR APENAS: R$ 21,99

New York Times diz que o Brasil se tornará um país de pobres e miseráveis com Temer e PSDB

O jornal norte-americano The New York Times critica a “desigualdade” nas reformas fiscais em curso no Brasil. Em reportagem publicada na sexta-feira, 3, o jornal relata que, enquanto os trabalhadores terão benefícios cortados, juízes e políticos têm aumentos de salários e cita que o Congresso, “em vias de aprovar uma reforma previdenciária”, agora está permitindo que seus membros obtenham pensão vitalícia depois de apenas dois anos.

O texto lembra que Michel Temer defende o corte de gastos, mas não ajudou a sua popularidade realizar um “banquete pago com dinheiro de contribuintes” para persuadir os deputados a aprovarem suas reformas. Para o NYT, embora alguns sinais de recuperação econômica tenham surgido, a situação do povo nas ruas “conta uma história diferente”.

A partir do depoimento de personagens, o jornal afirma que o governo defende que todos precisam aderir ao programa de austeridade, mas sua postura indica que “a pressão é sobre os menos favorecidos”. Menciona que uma das principais “conquistas” do governo Temer – a aprovação de um teto para os gastos públicos – é também um dos seus calcanhares de Aquiles.
“O sistema tem tudo para aumentar a desigualdade, mas Temer está minimizando a ideia de que o Brasil precisa de uma reforma no estilo grego”, comenta Pedro Paulo Zahluth Bastos, economista da Unicamp. A falta de cobrança de impostos sobre os rendimentos de proprietários de ações também é citada como um dos pontos críticos.

A reportagem do correspondente Simon Romero também cita a situação financeira do Rio de Janeiro, que é vista como um “case” da seriedade do problema no Brasil. Em função do descontentamento da população, completa o jornal, políticos ultraconservadores como Jair Bolsonaro vem ganhando espaço no País.

Matéria New York Times.

Curiosidades do passado: O misterioso suicídio de um padre em Santa Cruz

Em 1924 chegou a Santa Cruz um Padre de nome Manoel Gadelha. Com um estilo diferente de liderar seus fiéis, ele surpreendeu a todos ao acolher as prostitutas da cidade (muito discriminadas na época). Mas essa atitude lhe custou um alto preço: a pressão social e de seus superiores.
Em 09 de outubro de 1926, de uma maneira misteriosa, Santa Cruz foi surpreendida com a notícia de que o padre Manoel Gadelha havia cometido suicídio. Morreu com o veneno que ele mesmo havia preparado. Até hoje ninguém jamais descobriu o verdadeiro motivo de seu suicídio. Alguns acreditam que ele teria se apaixonado por uma jovem da época, já outros, que a pressão social lhe fora pesada demais.

Blog de Paulo César em parceria com Jornal Destaque santacruzense

Sistema carcerário brasileiro denunciado na Comissão Interamericana de DH


IMG_8391O sistema carcerário brasileiro padece de explosões cíclicas de violência, alimentadas por uma clara superpopulação das prisões, sem que as políticas públicas consigam colocar um ponto final nessa situação, denunciou nesta quarta-feira uma ONG americana ante a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

Políticos acham que Gilmar foi picado pela mosca azul


BRASÍLIA, DF, 29.11.2016: GILMAR-MENDES - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, defende que o Congresso revise a Lei da Inelegibilidade (Lei Complementar 64/90), também conhecida como "Lei da Ficha Limpa", em audiência pública na Comissão Especial da Reforma Política nesta terça-feira (29). Para ele, a lei provoca "enorme desassosego". Além disso, também defendeu a revisão da Lei de Improbidade (8.429/92). (Foto: Renato Costa/FramePhoto/Folhapress)Na expectativa de um tsunami político, especulações, sonhos e delírios fazem sucesso em Brasília. Todo dia surgem novos postulantes à corrida presidencial em 2018, em aposta de que os favoritos de sempre podem ser atropelados pela Lava Jato.
Mas, e se o barco virar antes? Nesse caso, o páreo seria outro.
Dia sim, outro também, o ministro Gilmar Mendes fala mal de investigadores e investigados. A cada manifestação, ele sobe o tom. Outro dia, em uma conversa no Cafezinho da Câmara, o experiente Miro Teixeira tecia considerações a respeito das seguidas declarações de Gilmar e suas fortes críticas à Lava Jato, a juízes, a procuradores e a delegados de polícia.
— O público alvo dele é aqui.

Folha condenada por chamar promotores de 3 patetas


images-cms-image-000538571 (1)A juíza Priscilla Bittar Neves Netto, da 32ª Vara Cível de São Paulo, determinou que o jornal Folha de S.Paulo pague R$ 90 mil aos três promotores que pediram a prisão do ex-presidente Lula no caso do triplex do Guarujá em março do ano passado: Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique de Moraes Araújo (fotos).
Na ocasião, o jornalista Mario Cesar Carvalho publicou que, dentre especialistas consultados sobre a denúncia, alguns classificaram a acusação como “um lixo” e chamaram os promotores de “três patetas”
O trio Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique de Moraes Araújo alegou dano moral com a reportagem publicada em março do ano passado, três dias depois de apresentarem denúncia contra Lula, Marisa Letícia e outras 14 pessoas por supostas irregularidades envolvendo um triplex em Guarujá, no litoral paulista.

TJPB acata denúncia contra prefeito de Pocinhos por crime de responsabilidade

201703230813130000006219O Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba, em sessão realizada na tarde desta quarta-feira(22), decidiu, à unanimidade, em receber denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual contra o prefeito do Município de Pocinhos, Cláudio Chaves da Costa (foto), pela prática, em tese, de Crime de Responsabilidade. A decisão manteve o prefeito no cargo, sem a decretação da prisão preventiva.
O relator do processo, de nº 0003344-73.2015.815.0000, foi o desembargador João Benedito da Silva, que presidiu a sessão do Pleno.
Consta da denúncia que o prefeito de Pocinhos locou automóvel de propriedade do servidor público municipal, Linaldo Evaristo dos Santos, a fim de realizar inúmeros deslocamentos/viagens em favor do município, sendo que o transporte era conduzido pelo filho do servidor Izaquiel Agostinho dos Santos, o qual recebia os pagamentos feitos, mensalmente, pelo prefeito em nome do município.

A Carne que você esta precisando esta aqui! Frigorífico Boi Forte

A QUINTA FEIRA AMANHECEU NUBLADA, E CHEIA DE OFERTAS NO FRIGORÍFICO BOI FORTE! PASSA EM NOSSA LOJA

MOTO G5 design de alumínio e Tablet DL Kids! é aqui na Pedra Cell


Corre aqui na Pedra Cell pra conhecer a nova geração do MOTO G! Isso mesmo, O MOTO G5 design de alumínio - Câmera de 12MP Dual Autofocus Pixel(A mais avançada da categoria) - Frontal de 5MP - Processador Octa Core - 32GB de memória interna - 2GB de memória RAM - Sensor de impressão digital multifunção - Tela Full HD de 5.2 Polegadas e o preço você não vai acreditar! Só aqui na Pedra Cell


 Tablet DL Kids - 8GB de memória interna - 1GB de memória RAM - Câmera frontal - Processador Quad Core - Vários jogos infantis e educativos instalados e um precinho especial você só encontra aqui na Pedra Cell !

Recuo de Temer faz reforma ganhar apoio, mas afeta governadores nos Estados em cheio

A decisão do presidente Michel Temer de retirar 5,1 milhões de servidores públicos estaduais e municipais da reforma da Previdência poderá garantir mais votos no Congresso, mas deve atrapalhar os esforços dos Estados para equilibrar suas contas, dificultando mudanças nas aposentadorias de seus funcionários.
O recuo de Temer —que já havia retirado do projeto policiais militares e bombeiros— foi motivado pela constatação de seus articuladores políticos de que o governo não tem os 308 votos necessários para aprovar a reforma como foi enviada ao Congresso.
Líderes partidários no Congresso disseram ao Planalto que a mudança terá efeito significativo no placar da reforma no plenário da Câmara. Um deles estimou, em caráter reservado, que a redução da pressão de corporações estaduais ajudará a consolidar, a favor da reforma, votos de até 100 deputados indecisos.
O primeiro efeito deve ser a derrubada de algumas emendas ao projeto que procuravam livrar algumas categorias da reforma, o que limpa o caminho para uma aprovação mais rápida do texto.
Na avaliação de senadores aliados, o governo criou desgaste desnecessário com a demora para fazer o anúncio do recuo. Em encontro no Palácio do Planalto, a crítica foi de que o governo perdeu o timing e que não deveria tê-los incluídos desde o início, ou deveria tê-los retirado antes.
Serão excluídos da reforma os servidores de aproximadamente 2.000 municípios que têm regimes próprios de Previdência, o que inclui todas as capitais dos Estados.
Os cerca de 3.500 municípios cujos funcionários estão no INSS, por outro lado, serão afetados pelo texto que for aprovado pelo Congresso.
Isso criará distorções, por exemplo, na aposentadoria de professores municipais. Se o projeto do governo for aprovado, professoras seguradas do INSS só poderão se aposentar aos 65 anos, mas professoras de cidades excluídas da reforma poderão se retirar aos 50, segundo o consultor da Câmara e especialista em Previdência, Leonardo Rolim.
“É um retrocesso”, disse. “Prefiro que fique como está e que o futuro governo faça a reforma.” Para o especialista em contas públicas Raul Velloso, o anúncio de Temer foi um “ato de desespero”. “O governo sentiu que teria muita dificuldade de aprovar a reforma em parte por causa do lobby de servidores estaduais.”
Apesar de defender regras iguais na aposentadoria para diferentes categorias, o economista Paulo Tafner afirmou que “valia a pena ceder”, se fosse esse o preço cobrado pelos deputados para apoiar o projeto do governo.
Ele pondera, no entanto, que Estados e municípios são mais suscetíveis a essas pressões e terão maiores dificuldades de aprovar mudanças.
EMPENHO
O deputado Laerte Bessa (DEM-DF), que participou da negociação para tirar policiais civis do projeto, reconheceu que a medida complicou a situação dos governadores. “A verdade é que os governadores vão se foder”, afirmou.
A avaliação do Palácio do Planalto era a de que a reforma ampla beneficiaria também as contas dos Estados, mas que os próprios governadores não estavam se empenhando para convencer os parlamentares de suas regiões a votar a favor do projeto.
Governadores disseram à Folha que não há nenhum plano em marcha para fazer a reforma em seus Estados.
O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), lamentou: “Seria melhor se todos pudessem resolver essa questão juntos, mas agora vamos reavaliar as estratégias de como equilibrar as contas da Previdência.”
Um dia após o anúncio de Temer, líderes dos principais partidos governistas na Câmara afirmaram à Folha que haverá mais mudanças na proposta, nos trechos que endurecem as regras para a aposentadoria rural e para pessoas com deficiência ou idosos pobres que têm direito ao BPC (Benefício de Prestação Continuada).

Temer diz que financiamento público só serve com lista fechada

Em um pronunciamento na noite desta terça-feira,, o presidente Temer disse que a reforma da Previdência abarcará apenas servidores federais. Caberá aos estados e municípios a adequação de suas legislações e normas em relação aos seus servidores (Foto: Ailton Freitas / Agência O Globo)O Globo
Em entrevista a Roberto D’Avila, na GloboNews, na noite desta quarta-feira, o presidente Michel Temer defendeu que a aprovação do financiamento público de campanha, na reforma política, teria que estar vinculada à lista fechada de candidatos. Ele reconheceu, no entanto, que há muita resistência ao modelo:
— O dinheiro público só pode se juntar à ideia de uma lista de candidatos. O dinheiro vai para o partido. Mas eu senti que há muita resistência a isso. A levar-se adiante a ideia de um fundo público, ele só pode se destinar a partidos e não a candidatos.
Em resposta à ex-presidente Dilma Rousseff, Temer afirmou que “os que se dizem fortes destruíram o país”.

A coragem de um simples fiscal que denunciou mais um seguimento com corrupção


Daniel Gouvêia Teixeira, auditor fiscal do ministério da Agricutura (Foto: Reprodução TV Globo)Por Zuenir Ventura, O Globo
Para minimizar os efeitos da Operação Carne Fraca, que revelou um criminoso esquema de compra de fiscais para liberar produtos adulterados, os frigoríficos e o próprio governo reagiram criticando a Polícia Federal por “erros técnicos” e por ter generalizado uma questão pontual, comprometendo todo um setor ao juntar o joio e o trigo, inocentes e culpados.
Os investigadores informam, no entanto, que há ainda muito material sob sigilo e que a operação, que começou há dois anos, vai ter mais desdobramentos, o que, quem sabe, viria a justificar a espetacularização de que é acusada.
De qualquer maneira, por mais desastrada que tenha sido a falha de comunicação, e parece que foi, o mais grave está no que foi comunicado, isto é, na promiscuidade entre fiscais e fiscalizados, a sujeição de uma atividade técnica aos interesses de partidos que detinham o poder de indicar, nomear, transferir e demitir.
As autoridades, porém, para preservar o prestígio do produto e a imagem do país, tiveram que continuar usando, inclusive para o mercado externo, o argumento de que tudo foi apenas um “problema pontual”, como se isso já não bastasse, como se fosse consolo dizer ao consumidor: “Você está comendo carne estragada, mas não é sempre”.
O ministro Blairo Maggi chegou a classificar de “idiotice” acreditar que as empresas misturavam papelão à carne, e ele tinha razão. Mas não pôde dizer o mesmo em relação às misturas altamente indigestas encontradas nas amostras analisadas.
O fato indiscutível é que até hoje poderíamos estar correndo esse risco sem saber, se não fossem a honestidade e a coragem do auditor Daniel Gouvêa Teixeira, que, ao encontrar “carne até em putrefação” no frigorífico Peccin, comunicou o fato ao superintendente do Ministério da Agricultura em Curitiba e, como resultado, foi punido com transferência.
Mas, mesmo assim, não desistiu e não deixou de denunciar o que via de errado, entregando à PF gravações com provas de que os chefes do serviço de inspeção faziam acerto para que a empresa continuasse atuando na ilegalidade.
As irregularidades incluíam o aproveitamento de animais mortos (e não abatidos) para produção de linguiça, falsos certificados sanitários e pagamento de propina aos agentes.
Foi Teixeira, também, quem forneceu provas das ilicitudes envolvendo a empresa Souza Ramos, fornecedora de merenda para escolas do Paraná. E foi ainda quem levantou as suspeitas de enriquecimento ilícito do então superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Paraná, Daniel Gonçalves Filho, sócio de empresas e dono de imóveis e carros de luxo, incompatíveis com a sua renda.
Ainda bem que, nesse ambiente contaminado pela corrupção, havia alguém que não desistia de dizer “não”.

Rodrigo Janot e Gilmar Mendes brigam! Tire as crianças da sala


Resultado de imagem para rodrigo janot e gilmar mendesAntes de qualquer coisa, um aviso: esse comentário contém linguagem rasteira. Convém tirar as crianças da sala. Duas das mais altas autoridades de Brasília —o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, e o procurador-geral da República Rodrigo Janot— decidiram se engalfinhar em público. Gilmar usou uma notícia de jornal para acusar procuradores de vazar deliberadamente para a imprensa nomes de encrencados na lista da Odebrecht. O vazamento, disse ele, é crime previsto no Código Penal. Janot negou a notícia. E atribuiu as declarações de Gilmar à “decrepitude moral” do ministro, que sofre, segundo ele, de “disenteria verbal.”
Se essa troca de ataques evidencia alguma coisa é que Janot e Gilmar consideram-se um ao outro sujeitos desprezíveis. Um, responsável por processar a bandidagem engravatada, não conseguiria enxergar o crime de “violação de segredo funcional” praticado ao seu redor. Outro, responsável por julgar os delinquentes do poder, “corteja desavergonhadamente” os acusados, disse Janot, mantendo com eles uma “relação promíscua”.
Nesse ritmo, Janot e Gilmar vão acabar se despachando mutuamente para lugares desagradáveis. Um pode enviar o contendor ao excremento. Outro talvez mande o rival à presença da pessoa que, tendo lhe dado à luz e exercendo a profissão de prostituta, não sabe dizer ao certo quem é seu pai. Atônita, a plateia se pergunta: não seria melhor se autoridades como Janot e Gilmar se unissem para honrar o salário que recebem do contribuinte, punindo os corruptos? O ruim de duas autoridades se ofenderem em público é o pessoal que passa achar que ambas têm razão.
JOSIAS DE SOUZA