domingo, 31 de maio de 2015

PM fará buscas aquáticas para tentar localizar helicóptero em Atalaia do Norte


 

Manaus - A partir desta segunda-feira, a Polícia Militar de Atalaia do Norte deve iniciar as buscas aquáticas ao helicóptero da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) que caiu com cinco pessoas a bordo, entre elas duas índias grávidas, na altura do quilômetro 14 da BR-307, no município de Atalaia do Norte, na última sexta-feira. Segundo o soldado, da Polícia Militar de Atalaia do Norte, Domingos Bastos, as buscas, suspensas na noite de hoje, serão retomadas amanhã.
“A busca foi suspensa no fim do dia e será retomada amanhã. Estávamos buscando por terra e a Aeronáutica sobrevoando a área, mas a partir desta segunda-feira, as buscas serão pelo rio”, disse.
Duas indígenas grávidas, uma delas em trabalho de parto, estavam entre os tripulantes do helicóptero. A informação foi confirmada na tarde deste domingo pelo coordenador do DSEI-Javari, Heródoto Jean de Sales.
Ainda desaparecido até 17h de hoje, o helicóptero, segundo o coordenador, realizava a transfência da indígena Marcelina Cruz, da etnia Marubo, que daria à luz em Tabatinga e da também indígena Luciana Tikuna, grávida de 37 semanas e que faria uma consulta do pré-natal.
Uma enfermeira identificada apenas como Luzia, contratada através de um convênio com a Sesai, a não indígena e acompanhante de Marcelina, chamada Marcelânia Souza e o piloto, que não teve o nome divulgado também estavam à bordo da aeronave no momento do acidente.
De acordo com Sales, um filho de Luzia devia chegar, ainda neste domingo, do Mato Grosso do Sul, Estado de origem da enfermeira para acompanhar as buscas, nesta segunda-feira. O marido de Marcelina, índia que estava em trabalho de parto durante a remoção, já estava na cidade, segundo coordenador, antes do acidente, para resolver problemas pessoais. 
“Os parentes dos outros estão vindo da aldeia para acompanhar as buscas. A Sesai está dando o suporte necessário tanto aos familiares quanto ajudando nas buscas, pois até agora nada foi encontrado”, afirmou.
O helicóptero caiu, por volta das 17h da última sexta-feira, na altura do quilômetro 14 da BR-307, em Atalaia do Norte, a 1.130 quilômetros a oeste de Manaus, na região de fronteira com o Peru e a Colômbia.
No sábado, a enfermeira Rose Almeida, da Sesai em Atalaia do Norte, informou ao DIÁRIO que a aeronave transportava os indígenas da comunidade Pentenquinho para uma unidade hospitalar em Tabatinga.
Em 2009, um avião também caiu em Atalaia do Norte com uma grávida entre os passageiros. A enfermeira, grávida de três meses, sobreviveu ao acidente.