quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Com missa de Ação de Graças e shows musicais, deputado Tomba Farias comemora nesta quinta-feira aniversário e reeleição



festatomba2018banner
Com missa de Ação de Graças, às 20:30h, na Igreja Matriz de Santa Rita e show musical em praça pública, o deputado estadual Tomba Farias (PSDB) irá comemorar o seu aniversário nesta quinta-feira, 01, reunindo amigos, correligionários e lideranças políticas estaduais.
O evento este ano terá duplo significado: além de celebrar o aniversário do parlamentar, vai festejar também a sua vitória nas últimas eleições, quando foi reeleito para o terceiro mandato de deputado estadual, se consagrando como o quarto candidato mais votado do Rio Grande do Norte.
A festa, que terá início às 22 horas e deverá se prolongar até o amanhecer da sexta-feira, dia 02, é aguardada com grande expectativa por amigos de várias regiões do estado. A  Banda Grafith é a atração principal do evento, que contará ainda com shows de Forró do Briola e Henry Freitas.

A SPACIAL GRAVAÇÕES É A PRODUTORA DE AÚDIO QUE MAIS CRESCE NA REGIÃO


Saiba quais são os 15 ministérios definidos por Bolsonaro

A estrutura do futuro Ministério do governo Jair Bolsonaro (PSL) já está quase totalmente definida. Até agora, segundo interlocutores da equipe do presidente eleito, já estão definidas 15 pastas, o que significa uma redução de quase 50% das atuais 29 pastas do governo Michel Temer (MDB). Este número, conforme informações de aliados, ainda pode chegar a até 17.
O ‘superministério’ de Infraestrutura, englobando Transporte e Minas e Energia, foi descartado nesta quarta-feira pelo vice-presidente eleito General Hamilton Mourão . Segundo ele, Minas e Energia seguirá como uma pasta autônoma.
Seguem como ministérios independentes Defesa, Saúde, Trabalho, Relações Exteriores e o Gabinete de Segurança Institucional.
Confira como devem ser os ministérios de Bolsonaro:
1) Casa Civil – assumindo funções do Governo
2) Economia – fusão de Fazenda, Planejamento e Indústria, Comércio Exterior
3) Defesa
4) Saúde
5) Ciência e Tecnologia (com ensino superior)
6) Educação, Esportes e Cultura
7) Trabalho
8) Minas e Energia
9) Justiça e Segurança
10) Integração Nacional ( com Cidades e Turismo)
11) Infraestrutura, englobando Transportes
12) Gabinete de Segurança Institucional
13) Desenvolvimento Social (com Direitos Humanos)
14) Relações Exteriores
15) Agricultura e Meio Ambiente
O Globo

Fomos miseravelmente traídos por Lula, não farei mais campanha para o PT, diz Ciro Gomes

Terceiro colocado na eleição presidencial, Ciro Gomes (PDT) afirmou, em entrevista à Folha, que foi “miseravelmente traído” pelo ex-presidente Lula e seus “asseclas”.
Em seu apartamento, onde concedeu nesta terça-feira (30) sua primeira entrevista desde a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), Ciro nega ter lavado as mãos ao ter viajado para a Europa depois do primeiro turno. “A gente trai quando dá a palavra e faz o oposto”.
“Não declarei voto ao Haddad porque não quero mais fazer campanha com o PT”, disse.
O pedetista critica a atuação do PT para impedir o apoio do PSB à sua candidatura e diz que considerou um insulto convite de Lula para assumir o papel de seu vice no lugar Fernando Haddad (PT).
No primeiro turno, o senhor afirmou que choraria e deixaria a política se Bolsonaro ganhasse. Deixará a vida pública? Eu disse isso comovidamente porque um país que elege o Bolsonaro eu não compreendo tanto mais, o que me recomenda não querer ser seu intérprete. Entretanto, do exato momento que disse isso até hoje, ouvi um milhão de apelos de gente muito querida. E, depois de tudo o que acabou acontecendo, a minha responsabilidade é muito grande. Não sei se serei mais candidato, mas não posso me afastar agora da luta. O país ficou órfão.
E não tomou uma decisão se será candidato em 2022? Não. Quem conhece o Brasil sabe que você afirmar uma candidatura a 2022 é um mero exercício de especulação, porque a adrenalina não pacificou. Só essa cúpula exacerbada do PT é que já começou a campanha de agressão. Eu não. Tenho sobriedade e modéstia. Acho que o país precisa se renovar.
O senhor disse que deixaria a vida pública porque a razão de estar na política é confiar no povo brasileiro. Deixou de confiar? Não, procurei entender o que aconteceu. Esse distanciamento me permitiu isso. O que aconteceu foi uma reação impensada, espécie de histeria coletiva a um conjunto muito grave de fatores que dão razão a uma fração importante dessa maioria que votou no Bolsonaro. O lulopetismo virou um caudilhismo corrupto e corruptor que criou uma força antagônica que é a maior força política no Brasil hoje. E o Bolsonaro estava no lugar certo, na hora certa. Só o petismo fanático vai chamar os 60% do povo brasileiro de fascista. Eu não, de forma nenhuma.
Naquele momento do país, uma viagem à Europa não passou uma impressão de descaso? [Ciro viajou para Portugal, Itália e França após o 1º turno] Descaso não, rapaz, é de impotência. De absoluta impotência. Se tem um brasileiro que lutou, fui eu. Passei três anos lutando.
Com a sua postura de neutralidade, não lavou as mãos em um momento importante para o país? Não foi neutralidade. Quem declara o que eu declarei não está neutro. Agora, o que estava dizendo, por uma razão prática, não iria com eles se fossem vitoriosos, já estaria na oposição. Mas estava flagrante que já estava perdida a eleição.
Por não ter declarado voto, não teme ser visto como um traidor pelos eleitores de esquerda? A gente trai quando dá a palavra e faz o oposto. Quem tiver prestado a atenção no que falei, está muito clara a minha posição de que com o PT eu não iria.
Não se aliará mais ao PT? Não, se eu puder, não quero mais fazer campanha para o PT. Evidente, você acha que eu votei em quem?
No Haddad? Vou continuar calado, mas você acha que votei em quem com a minha história? Eles podem inventar o que quiserem. Pega um bosta como esse Leonardo Boff [que criticou Ciro por não declarar voto a Haddad]. Estou com texto dele aqui. Aí porque não atendo o apelo dele, vai pelo lado inverso. Qual a opinião do Boff sobre o mensalão e petrolão? Ou ele achava que o Lula também não sabia da roubalheira da Petrobras? O Lula sabia porque eu disse a ele que, na Transpetro, Sérgio Machado estava roubando para Renan Calheiros. O Lula se corrompeu por isso, porque hoje está cercado de bajulador, com todo tipo de condescendências.
Quem são os bajuladores? É tudo. Gleisi Hoffmann, Leonardo Boff, Frei Betto. Só a turma dele. Cadê os críticos? Quem disse a ele que não pode fazer o que ele fez? Que não pode fraudar a opinião pública do país, mentindo que era candidato?
Por que o senhor não aceitou ser candidato a vice-presidente de Lula? Porque isso é uma fraude. Para essa fraude, fui convidado a praticá-la. Esses fanáticos do PT não sabem, mas o Lula, em momento de vacilação, me chamou para cumprir esse papelão que o Haddad cumpriu. E não aceitei. Me considerei insultado.
Por que não declarou voto em Haddad? Aquilo era trivial. O meu irmão foi a um ato de apoio a Haddad, depois de tudo o que viu acontecendo de mesquinho, pusilânime e inescrupuloso. É muito engraçado o petismo ululante. É igual o bolsominion, rigorosamente a mesma coisa. O Cid está lá tentando elaborar uma fórmula de subverter o quadro e é vaiado. Estou devendo o que ao PT?
Não declarou voto no Haddad por causa do Lula? Não declarei voto ao Haddad porque não quero mais fazer campanha com o PT. Agora, em uma eleição que tem só dois candidatos, na noite do primeiro turno, disse à imprensa: “Ele não”. O que ele quer mais agora?
Cid Gomes cobrou uma autocrítica dos petistas. E quais foram os erros cometidos pelos pedetistas? Devemos ter cometido algum erro e merecemos a crítica. Mas, nesse contexto, simplesmente multiplicamos por um milhão as energias que nos restaram para trabalhar. Fomos miseravelmente traídos. Aí, é traição, traição mesmo. Palavra dada e não cumprida, clandestinidade, acertos espúrios, grana.
Isso por Lula? Pelo ex-presidente Lula e seus asseclas. Você imagina conseguir do PSB neutralidade trocando o governo de Pernambuco e de Minas? Em nome de que foi feito isso? De qual espírito público, razão nacional, interesse popular? Projeto de poder miúdo. De poder e de ladroeira. O PT elegeu Bolsonaro.
Todas as pesquisas, não sou eu quem estou dizendo, dizem isso. O Haddad é uma boa pessoa, mas ele, jamais, se fosse uma pessoa que tivesse mais fibra, deveria ter aceito esse papelão. Toda segunda ir lá [visitar Lula], rapaz. Quem acha que o povo vai eleger pessoa assim? Lula nunca permitiu nascer ninguém perto dele. E eles empurram para a direita, que é o querem fazer comigo.
A postura do senhor não inviabiliza uma reaglutinação das siglas de esquerda? Não quero participar dessa aglutinação de esquerda. Isso sempre foi sinônimo oportunista de hegemonia petista. Quero fundar um novo campo, onde para ser de esquerda não tem de tapar o nariz com ladroeira, corrupção, falta de escrúpulo, oportunismo. Isso não é esquerda. É o velho caudilhismo populista sul-americano.

Com informações da Folha de São Paulo

MPF apresenta denúncia contra ex-prefeito de Caiçara do Rio do Vento

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou uma denúncia e uma ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito de Caiçara do Rio do Vento (RN) Francisco Edson Barbosa, “Etinho”. Durante o exercício de 2010, ele não prestou contas dos recursos recebidos através do Programa Brasil Alfabetizado (Bralf) e, ao fim do mandato encerrado em 2012, ocultou os documentos que travavam do repasse e que deveriam ter sido mantidos na prefeitura.
Através do Programa Brasil Alfabetizado, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) repassou ao Município de Caiçara do Rio do Vento mais de R$ 23 mil em 2010. De acordo com as ações do MPF – assinadas pelo procurador da República Fernando Rocha – os recursos “deveriam ser destinados à alfabetização de jovens, adultos e idosos da referida municipalidade, visando garantir a continuidade dos estudos aos alfabetizandos e contribuindo para elevar os índices de desempenho da educação básica”.
Embora a prestação de contas seja uma exigência legal e rotineira e os gestores não necessitem de qualquer “alerta extra” para cumprir essa obrigação, o FNDE chegou a enviar ofícios ao município. Porém, o ex-prefeito se omitiu e continuou não cumprindo seu dever. Etinho Barbosa ignorou os ofícios e deixou o tempo transcorrer sem dar qualquer satisfação ao Ministério da Educação. Assim, ainda não se sabe qual foi a aplicação ou destino das verbas recebidas.
O MPF quer que o réu seja condenado por ato de improbidade administrativa e ainda pelos crimes de responsabilidade (art. 1º, VII, do Decreto-lei n.º 201/67) e supressão de documento (art. 305, do Código Penal).
BG

Halloween do Gringos é cancelado em Ponta Negra por falta de licença ambiental

O evento de rua ‘’Halloween do Gringos”, que estava previsto para o próximo dia 17 de novembro, no bairro de Ponta Negra, foi cancelado por não possuir novamente a Licença de Uso do Espaço Público (LUEP). A determinação foi expedida na manhã desta quarta-feira (31), após audiência realizada entre as secretarias de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), Serviços Urbanos (Semsur) e os promotores da festa. Organizado pelas redes sociais, o hallowen, costuma levar inúmeras pessoas à Praça Ecológica, popularmente conhecida como praça do gringos, causando inúmeros transtornos para a comunidade do entorno como poluição sonora pelo uso de paredões, acúmulo de lixo, fezes e urina na rua, tráfico de drogas, e assaltos.
O Halloween do Gringos ocorre irregularmente na cidade desde 2015, sem a autorização da Prefeitura. E tomou grandes proporções, e por isso, como qualquer evento para ocorrer na cidade necessita de licenciamento prévio e obrigatório previsto em lei. “O evento reúne significativo número de pessoas, algo em torno de cinco mil participantes, o que exige vários cuidados, principalmente em relação a segurança”, comenta o Supervisor Geral de Fiscalização Ambiental da Semurb, Leonardo Almeida.
O objetivo do licenciamento é garantir aos seus frequentadores segurança e as devidas condições sanitárias, por exemplo. E aos moradores do entorno, a mitigação dos impactos ambientais causados com o ordenamento da festa, que estabelece entre outros aspectos as condições para sua realização como o respeito aos níveis de barulho, não utilização de paredões de som, presença obrigatória de banheiros químicos e limpeza adequada do local após o seu término.
“Há inúmeros riscos em participar de um evento desse porte, sem que ele possua a devida licença para funcionamento. Não há como garantir a segurança de quem participa, uma vez que não existe uma infraestrutura adequada para dar suporte em casos de roubos, acidentes e até mesmo conflitos. A prova disso foi o que aconteceu na edição de 2015, em que uma briga culminou no falecimento de uma pessoa e deixando vários outras feridas” relata Almeida.
Já o supervisor de Fiscalização de Poluição Atmosférica e Sonora da Semurb, Gustavo Szilagyi, ressalta que os danos ambientais por trás de um evento deste porte são irreparáveis, uma vez que, não há um mínimo de planejamento envolvendo questões simples como instalação de banheiros químicos a poluição sonora ocasionada pela concentração de paredões de som.
Apesar da pagina do evento ainda continuar ativa nas redes sociais, o ‘’Halloween do Gringos”, se encontra expressamente proibido de acontecer. Um dos promotores do evento que compareceu a Semurb foi autuado com base na lei municipal 4.100/92 (Código de Meio Ambiente de Natal), e, ainda poderá responder solidariamente por crime ambiental.

Candidatos do Enem podem denunciar fake news

Mariana Tokarnia
O ministro da Educação, Rossieli Soares, e a presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini, fizeram um alerta para que os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não caiam em notícias falsas, as chamadas fake news, e para que estejam atentos ao horário de verão para não perderem a prova e chegarem após o fechamento dos portões.
Segundo Maria Inês, nos últimos dias, circulou um boato de que o Enem seria adiado, o que é mentira, o exame está mantido nos dias 4 e 11 de novembro. “A fake news é uma doença social e nesse período de exame em que os participantes estão no grau máximo de ansiedade, elas atrapalham e muito”, diz.
Para se proteger, os candidatos devem se informar pelos canais oficiais de comunicação.
Candidatos podem alertar o Inep sobre notícias falsas pela Página do Participante e pelo aplicativo do Enem, disponível para os sistemas Android e IOS. Os participantes podem também entrar em contato com o Inep pelo telefone 0800-616161. Maria Inês pede que os estudantes denunciem as fake news “para que a gente possa desmentir esse tipo de notícia que causa tanto transtorno aos participantes”.
Horário de verão Outro alerta do MEC e do Inep foi para que os participantes estejam atentos ao horário de verão, que começa no primeiro dia de prova do Enem, neste domingo (4). “Temos diferença grande nos estados brasileiros em relação ao horário oficial que é o de Brasília. No estado do Amazonas temos alguns municípios que não seguem as demais cidades. É fundamental que os participantes estejam atentos e procurem se informar”, diz Maria Inês. Os portões abrem às 12h e fecham às 13h, no horário da capital.
Até a manhã de hoje, cerca 1 milhão de candidatos ainda não tinham acessado o cartão de confirmação de inscrição e não sabiam o local de prova do Enem. O Inep vai enviar e-mail e mensagens SMS para esses candidatos. A orientação é que o participante faça o trajeto até o local de prova antes do dia da prova, para conhecer o caminho e evitar imprevistos. O cartão pode ser acessado pela Página do Participante e pelo aplicativo do Enem.
Operação de guerra Soares comparou a logística para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a uma operação de guerra: “Impressionante a logística, aquilo que precisa ser feito para a aplicação nesses dias”. O Enem 2018 será aplicado nos domingos dias 4 e 11 de novembro, em 1.725 municípios brasileiros, 70 deles de difícil acesso. Ao todo, 5.513.726 estudantes estão inscritos.
A estrutura para aplicação do Enem envolve 10.718 locais de aplicação, 155.254 salas e mais de meio milhão de colaboradores. Foram impressas 11,5 milhões de provas de doze Cadernos de Questões diferentes. Uma videoprova em Libras garante acessibilidade. Ao todo, são quase 600 mil pessoas envolvidas na aplicação do exame.

Mortes em rodovias federais caíram 15% neste ano, registra PRF

Jonas Valente
As mortes em acidentes em rodovias federais caíram 15% neste ano na comparação com 2017. O balanço, que levou em consideração dados de janeiro a setembro, foi divulgado pela Polícia Rodoviária Federal hoje (31), em Brasília. As ocorrências com falecimentos tiveram redução de mais de 4,5 mil para 3,9 mil entre o ano passado e este.
Já o número de feridos foi 10% menor no mesmo período, totalizando 56,2 mil até setembro. Os acidentes graves diminuíram 7%, somando 12,9 mil. A maior queda em termos percentuais foi nos acidentes normais, cujo número foi 22% abaixo do que no período de janeiro a setembro de 2017 e ficou em 51,9 mil.
Em relação à meta de redução em 50% do número de mortes no trânsito entre 2011 e 2020, definida em resolução da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), até este ano a queda projetada havia chegado a 35,6%. Para atingir o objetivo, ainda faltariam 15% em dois anos, o que demandaria um ritmo de diminuição mais intenso do que nos anos anteriores.

Motivos Entre os principais motivos para os acidentes, segundo o levantamento da PRF, estiveram a falta de atenção à condução (22%), a desobediência às normas de trânsito (13%), velocidade acima do permitido (12%), falta de atenção do pedestre (11%) e consumo de álcool (5%).
O diretor da PRF, Renato Dias, chamou a atenção para o fato de a desatenção ter um novo fator: o uso do Whatsapp. Segundo ele, há uma diferença importante do aplicativo em relação aos telefones celulares na atitude dos condutores. “A desatenção se agravou muito com Whatsapp. Antes o motorista usava o celular mas não tirava o olhar do volante. Com o mensageiro, ele tira o olhar”, comparou.

Fiscalização e crimes Nas ações de fiscalização, 7 milhões de veículos e 7 milhões de pessoas foram averiguados. No combate ao consumo de álcool durante a direção, 1,2 milhão de testes do bafômetro foram realizados. Em razão de irregularidades encontradas, 25,2 mil pessoas foram detidas.
Em relação aos crimes, o balanço da Polícia Rodoviária registrou a apreensão de 230 toneladas de maconha, 14 toneladas de cocaína, 87 milhões de maços de cigarro, 5 mil veículos, 1,2 mil armas e 142,8 mil munições.

Mais funcionários O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, informou que para melhorar a fiscalização e atingir as metas estabelecidas há a necessidade de contratação de mais policiais rodoviários. Ele informou que o concurso anunciado no primeiro semestre, com 500 vagas, está em fase de realização e as provas devem ocorrer no início do ano. “É preciso ampliar os recursos para a PRF e seu efetivo, pois ele permanece restrito para a dimensão da tarefa. Nós temos a quarta maior malha rodoviária do mundo”, defendeu Jungmann.
Segundo ele, seriam necessários ainda mais 2 mil a 2,5 mil novos agentes para dar recompor o efetivo da Polícia Rodoviária Federal. Hoje o quadro da corporação conta com 9,9 mil funcionários.

Novo ministério Jungmann comentou a possibilidade de reincorporação do Ministério da Segurança Pública ao Ministério da Justiça, que está em debate na equipe de transição do governo. Segundo o titular, a pasta foi criada por lei e gerou um legado para estruturar o setor, bem como o Sistema Único de Segurança Pública (SUSP).
“Estamos deixando legado único. Temos ministério por lei, Sistema Único de Segurança Pública, uma Política Nacional de Segurança Pública e temos recursos carimbados e crescentes. Você tem tudo aqui para dar um rumo à segurança pública. Se o ministério se funde é algo que cabe ao governo eleito”, comentou.
Sobre o convite para o juiz Sérgio Moro para ser titular do MJ na gestão de Jair Bolsonaro, Jungmann afirmou que é um nome com “qualidade”, “capacidade” e “respeito dos brasileiros”.

Dólar fecha o mês com queda acumulada de 7,80%

Agência Brasil 
A cotação da moeda norte-americana encerrou o mês de outubro em queda acumulada de 7,80%, a maior baixa mensal desde junho de 2016. Apesar da queda no mês, o dólar fechou o último pregão em alta de 0,85%, cotado a R$ 3,7227 para venda.
O Ibovespa, índice da B3, fechou hoje (31) em alta de 0,62%, com 87.423 pontos. As ações da Vale foram destaque no fechamento do mês, com valorização no pregão de hoje de 5,27%. Os papéis das demais companhias terminaram em queda, com Petrobras com menos 1,39%, Itau com desvalorização de 0,48% e Bradesco com queda de 1,29%.

Copom mantém Selic em 6,5% ao ano na primeira reunião após eleições

Wellton Máximo
Pela quinta vez seguida, o Banco Central (BC) não alterou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve hoje (31) a taxa Selic em 6,5% ao ano, na primeira reunião do órgão depois das eleições presidenciais. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.
Com a decisão de hoje, a Selic continua no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015. Em outubro de 2016, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia até que a taxa chegasse a 6,5% ao ano em março de 2018.
Em comunicado, o Copom, composto pelo presidente e pelos diretores do BC, informou que existe chance de a inflação voltar a subir caso haja “frustração de expectativas sobre a continuidade das reformas e dos ajustes necessários na economia brasileira”. Segundo o texto, esse risco pode piorar caso haja turbulências internacionais que afetem economias emergentes. Segundo a nota, no entanto, "o grau de assimetria do balanço de riscos" diminuiu em relação à última reunião, em setembro.
Em maio, o BC interrompeu a sequência de quedas da Selic e manteve a taxa em 6,5% ao ano, numa decisão que surpreendeu o mercado financeiro. Na ocasião, o BC alegou que a instabilidade internacional, que se manifestou na valorização do dólar nos últimos meses, influenciou a decisão.
A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA acumula 4,53% nos 12 meses terminados em setembro, um pouco acima do centro da meta de inflação, que é de 4,5%. O índice foi o maior para meses de setembro desde 2015, influenciado pela alta do dólar, que impactou o preço dos combustíveis, e por algumas tarifas, como de água, luz e esgoto.
Até 2016, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabelecia meta de inflação de 4,5%, com margem de tolerância de 2 pontos, podendo chegar a 6,5%. Para 2017 e 2018, o CMN reduziu a margem de tolerância para 1,5 ponto percentual. A inflação, portanto, não poderá superar 6% neste ano nem ficar abaixo de 3%.

Inflação No Relatório de Inflação divulgado no fim de setembro pelo Banco Central, a autoridade monetária estima que o IPCA encerrará 2018 em 4,4%. De acordo com o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo BC, a inflação oficial deverá fechar o ano em 4,43%.
Do fim de 2016 ao final de 2017, a inflação começou a diminuir por causa da recessão econômica, da queda do dólar e da supersafra de alimentos. Os índices haviam voltado a cair no início deste ano, afetados pela demora na recuperação da economia, mas voltaram a subir depois da greve dos caminhoneiros, que durou 11 dias e provocou desabastecimento de alguns produtos no mercado.

Crédito mais barato A redução da taxa Selic estimula a economia porque juros menores barateiam o crédito e incentivam a produção e o consumo em um cenário de baixa atividade econômica. No último Relatório de Inflação, o BC projetava expansão da economia em 1,4% para este ano, estimativa revista para baixo depois da greve dos caminhoneiros. Segundo o boletim Focus, os analistas econômicos projetam crescimento de 1,36% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos pelo país) em 2018.
A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o Banco Central segura o excesso de demanda que pressiona os preços, porque juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Ao reduzir os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas enfraquece o controle da inflação. Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de subir.

Bolsonaro fala que ministros serão anunciados oficialmente somente em suas redes: ‘qualquer informação além é mera especulação maldosa e sem credibilidade’

O presidente eleito Jair Bolsonaro(PSL) informou nesta quarta-feira(31) que os nomes que farão parte de seus ministérios serão anunciados diretamente por ele pelas redes sociais. O capitão ainda diz que qualquer outra informação além é ‘mera especulação maldosa e sem credibilidade’.
Bolsonaro também voltou a falar que seus ministérios não serão compostos por condenados por corrupção, como nos ‘últimos governos’. Mais cedo, o presidente eleito anunciou oficialmente o astronauta Marcos Pontes como o ministro da Ciência e Tecnologia.

Disse o presidente: Nossos ministérios não serão compostos por condenados por corrupção, como foram nos últimos governos. Anunciarei os nomes oficialmente em minhas redes. Qualquer informação além é mera especulação maldosa e sem credibilidade

Neymar pode pegar até seis anos de prisão na Espanha por fraude

O juiz encarregado de julgar na Espanha o atacante Neymar pelas irregularidades de sua transferência do Santos ao Barcelona acredita que o brasileiro poderá ser condenado a até seis anos de prisão. Assim como o camisa dez da Seleção, seus pais, o presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, e seu antecessor Sandro Rosell serão julgados na Espanha por fraude. Fontes judiciais próximas ao caso divulgaram a informação nesta quarta-feira.
O caso emana de uma denúncia do grupo brasileiro DIS, ex-dono de parte dos direitos federativos do jogador. A empresa se considera prejudicada na transferência de Neymar do Santos para o Barcelona, em 2013, por 57 milhões de euros (cerca de R$ 182 milhões).
Nesta quarta-feira, o juiz José María Vázquez Honrubia considerou que a acusação feita pelo DIS pelo delito de “fraude” pode acarretar “de quatro a seis anos de prisão” para o atacante, atualmente no Paris Saint-Germain. Como o jogador pode receber sentença superior a cinco anos de prisão, a legislação espanhola obriga o julgamento a ter três juízes, o que poderia atrasar ainda mais o início do julgamento, que segue sem data para começar.
Em um primeiro momento, o Barcelona divulgou que a contratação do craque teria custado 57,1 milhões de euros ao clube (40 milhões para a família de Neymar e 17,1 para o Santos), mas a justiça espanhola calcula que o verdadeiro valor da transferência seria de 83,3 milhões de euros.
O DIS, que recebeu 6,8 milhões de euros dos 17,1 pagos ao Santos, acusa o Barcelona e o atleta de ocultarem o valor real da negociação.
O Ministério Público espanhol apresentou pedido de dois anos de prisão para Neymar, que, em depoimento à justiça espanhola, se defendeu das acusações, afirmando que apenas se concentrava em jogar futebol e que confiava cegamente nas decisões de seu pai, que também é seu empresário.
IG, com informações de O Dia

Moro vai aceitar o Ministério da Justiça ampliado, diz colunista

De acordo com Sonia Racy, no Estadão, Sergio Moro está propenso a aceitar o convite para ser ministro da Justiça:
“No encontro que terá amanhã as 9h30, com Jair Bolsonaro e com seu vice, o general Hamilton Mourão, na casa do presidente eleito, no Rio, o juiz Sérgio Moro vai comunicar que aceita o convite que lhe será formalizado, para assumir o Ministério da Justiça. Ao que se apurou, a inclinação do juiz curitibano, diante da escolha de seu nome, foi claramente positiva.
Segundo a nota, o juiz responsável pelos casos da Operação Lava Jato em Curitiba deverá assumir uma pasta ampliada em comparação com suas atuais atribuições. O novo desenho do Ministério da Justiça contaria com a reintegração da área de Segurança Pública, além da Secretaria da Transparência e Combate à Corrupção, da CGU(Controladoria-Geral da União) e do Coaf(Conselho de Controle de Atividades Financeiras).
Em Brasília, o que se fala, é que tem muita gente tremendo com esta possibilidade.
Com informações de Infomoney e Estadão

Bancada Federal Potiguar define emendas coletivas para o RN

Os deputados federais e senadores do Rio Grande do Norte se reuniram na tarde desta quarta-feira (31), em Brasília, para definir as emendas coletivas que irão apresentar ao orçamento da União para 2019.
As seis emendas coletivas são as seguintes:
– UERN: R$ 20 milhões
– Saúde Pública: R$ 30 milhões
– Segurança Pública: R$ 40 milhões
– Barragem de Oiticica: R$ 50 milhões
– Ramal do Apodi: R$ 5 milhões
– Terminal Turístico da Redinha em Natal: R$ 24,6 milhões”
As outras emendas que cada parlamentar do RN poderá indicar individualmente, poderão ser definidas até o dia 8 de novembro.

Renúncias tributárias federais atingiram R$ 284 bilhões em 2017

Da Agência Brasil
Renúncias tributárias do Governo Federal atingiram R$ 284,8 bilhões em 2017 o que corresponde a cerca de 21% da arrecadação federal, segundo avaliação divulgada pelo Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) nesta terça-feira (30). 
Entre os programas de renúncia avaliados pela pasta estão o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, a Lei Rouanet, a Zona Franca de Manaus e a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).
“Em geral, as fragilidades encontradas nas ações de controle da CGU denotam baixo grau de boa governança do tema, carência de monitoramento adequado e escassez de avaliação de efetividade da política pública por parte dos órgãos gestores responsáveis”, disse o ministério por meio de nota.
A Zona Franca de Manaus foi a área com o maior volume de renúncias, que atingiram R$ 24 bilhões em 2017. No relatório, a CGU aponta o não cumprimento da recomendação feita pelo ministério para realizar a avaliação de risco de prescrição/decadência em processos de análise de prestação de contas.
Na Sudene, as renúncias foram de R$ 3,3 bilhões em 2017. Nesse caso a CGU aponta “reiterada ausência de planejamento de análise de pleitos de incentivos fiscais, dificuldade de comunicação com a Receita Federal, não implantação de cronograma de vistorias, não acompanhamento de condições e contrapartidas pelas empresas beneficiadas”. 
A Lei Rouanet apresentou renúncias fiscais de R$ 1,2 bilhões em 2017. Na avaliação da CGU houve significativo volume de informações quantitativas, mas carência de apresentação e indicadores que permitam avaliar aspectos qualitativos do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), “inexistindo elementos para aferição da sua efetividade em relação à geração de impactos sociais e econômicos junto ao público-alvo da política pública”.
No programa Minha Casa, Minha Vida, as renúncias foram de R$ 582 milhões em 2017. Desse total a CGU fiscalizou R$ 64 milhões em duas auditorias. “Foram apresentadas falhas no processo de seleção dos beneficiários do programa, além de falhas de engenharia nas obras beneficiadas”, segundo a CGU.

Maioria do STF mantém suspensão de ações policiais nas universidades

André Richter
A maioria dos ministros Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (31) manter a decisão da ministra Cármen Lúcia que suspendeu decisões da Justiça Eleitoral que determinaram ações policiais e de fiscalização eleitoral nas universidades públicas durante as eleições.
A Corte julga nesta tarde se referenda a liminar proferida pela ministra na semana passada. Até o momento, seguiram a relatora no entendimento seis ministros, entre eles os ministros Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Luís Roberto Barroso e Edson Fachin.
Faltam os votos dos ministros Marco Aurélio, Rosa Weber, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello.
As decisões da Justiça Eleitoral em diversos estados foram questionadas no STF pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Segundo a procuradora-geral, Raquel Dodge, as decisões ofenderam os princípios constitucionais da liberdade de expressão e de reunião.
Após as decisões proferidas pelos juízes eleitorais, os tribunais regionais eleitorais (TREs) informaram que decisões foram proferidas para coibir a propaganda eleitoral irregular a partir de denúncias feitas por eleitores e pelo Ministério Público Eleitoral (MPE).

Uber lança serviço de assinatura em cinco cidades americanas

A assinatura custa US$ 14,99 (R$ 55) em todas as cidades, com exceção de Los Angeles, onde o custo é de US$ 24,99 (R$ 92), pois incluirá acesso a serviços de bicicletas elétricas e patinetes, que já estão em operação.
— Nós estamos muito interessados em garantir que o preço alcance o ponto de as pessoas comprarem o passe e não pensarem mais nisso — comentou Dan Bilen, gerente de produtos da Uber, em entrevista ao site The Verge. — A visão que temos do Ride Pass é fazer do Uber um item acessível aos passageiros.
Do outro lado, os motoristas receberão o valor integral das viagens, com a diferença sendo arcada pelos cofres da companhia. Isso coloca em dúvida o potencial de faturamento do programa, num momento em que a empresa precisa mostrar resultados positivos, já que pretende estrear na Bolsa de Valores ano que vem.
— Existem vários mecanismos diferentes a respeito de como pensamos sobre a economia disso — relativizou Manik Gupta, chefe de produto da Uber. — Esta é uma estrutura única que realmente atende às necessidades de nossos clientes. Esse é o nosso foco agora. Com o tempo, como teremos mais motoristas usando a nossa plataforma, todo o resto seguirá.
Segundo reportagem publicada pela Bloomberg em agosto, o diretor executivo da Uber, Dara Khosrowshahi, segue os passos de seu antecessor, Travis Kalanick, colocando o crescimento acima dos lucros. No segundo trimestre do ano, a empresa registrou prejuízo de US$ 891 milhões.
Novo serviço de viagem compartilhada no Brasil
No Brasil, a empresa lançou uma nova modalidade de serviço, o Uber Juntos. Ele será o substituto do Uber Pool, oferecendo viagens compartilhadas, mas com um diferencial. Em vez de o carro ir até o passageiro, é o passageiro quem deve caminhar um pouco até um ponto de encontro que esteja na rota do motorista. Segundo a empresa, as tarifas serão até 35% menores que o UberX.
A ideia é oferecer tarifas mais baratas, compartilhadas, mas sem a demora que afetava do Uber Pool, já que o motorista era obrigado a dar voltas para pegar os passageiros no caminho. O serviço estreia no Rio de Janeiro e em São Paulo.
O Globo

Bolsonaro se reúne com embaixador do Estados Unidos no Brasil

Agência Brasil
O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, fala sobre novas sanções econômicas para frear interferência militar do Irã no Oriente Médio.O presidente eleito Jair Bolsonaro conversa amanhã (1º), em uma reunião privada no Rio de Janeiro, com o embaixador dos Estados Unidos (EUA) no Brasil, P. Michael McKinley. O diplomata americano, que está deixando Brasília, ficará definitivamente como assessor do chefe do Departamento de Estado dos EUA, Mike Pompeo.
Há três meses, P. Michael McKinley acumula as funções de embaixador no Brasil e também de assessor de Pompeo. Nesta quarta-feira, seguranças norte-americanos estiveram no condomínio onde mora Bolsonaro para verificar o local e observar eventuais ameaças e riscos.
Bolsonaro disse, em várias ocasiões, que tem admiração pelo presidente norte-americano Donald Trump e que irá aos Estados Unidos acompanhado pelo general da reserva Augusto Heleno, confirmado para a pasta da Defesa, e Paulo Guedes, que assumirá o superministério da Economia. Ele e Trump conversaram por telefone após o resultado das eleições.
O presidente eleito afirmou que pretende conversar com Trump sobre acordos na área militar, negociações comerciais e também questões regionais. Assim como o norte-americano, Bolsonaro é crítico do governo de Nicolás Maduro, presidente da Venezuela.
Outra preocupação na região é com a Nicarágua. Há Há seis meses, o país vive em clima de confronto entre civis e agentes do Estado. As manifestações são rotineiras e há denúncias de desrespeito aos direitos humanos e à liberdade de expressão.
No último dia 29, logo após a eleição, Pompeo telefonou para Bolsonaro para parabenizá-lo. Em nota, o Departamento de Estado reiterou a parceria entre os dois países.
“Eles [Pompeo e Bolsonaro] discutiram a colaboração em questões prioritárias de política externa, incluindo a Venezuela, combatendo o crime transnacional e formas de fortalecer os laços econômicos entre os Estados Unidos e o Brasil, as duas maiores economias do Hemisfério Ocidental”, informou nota divulgada pelo Departamento de Estado.

Onyx entrega a Padilha os primeiros 22 nomes da equipe de transição

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) entregou hoje (31) os primeiros 22 nomes da equipe de transição, por parte do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), para o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, durante reunião no Palácio do Planalto. São nomes, em sua maioria, das áreas econômica e de infraestrutura. Porém, os nomes são mantidos sob sigilo.
“Tivemos a possibilidade de conversar com as áreas técnicas da Casa Civil, que nos permitiu uma visão dos avanços obtidos e vai permitir que o presidente Jair Bolsonaro tenha condições de decidir o que será implementado no curto, médio e longo prazo”, disse Onyx.
O parlamentar foi confirmado pelo presidente eleito para assumir a Casa Civil e também tem sido o interlocutor da equipe de Bolsonaro com o governo do presidente Michel Temer. Ao lado de Padilha, Onyx conduzirá os trabalhos de transição.
De acordo com Onyx, Bolsonaro virá a Brasília na próxima semana para conversar com o presidente Michel Temer e dar continuidade à definição da estrutura ministerial. “Ele já vai na próxima semana dar as primeiras sinalizações em relação tanto à estrutura ministerial quanto aos principais programas, projetos ou áreas que ele vai determinar que a equipe de transição se foque prioritariamente.”
A reunião de Padilha e Onyx começou por volta das 16h30, no gabinete da Casa Civil, no quarto andar do Planalto. É a primeira vez que representantes dos governos atual e eleito se encontram.
Nomes
Os nomes serão submetidos à análise da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), como é praxe em caso de contratações pela União. Em seguida, as nomeações serão publicadas no Diário Oficial. Os trabalhos entre técnicos dos dois governos ocorrerá no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de Brasília. No local, há 22 salas.
Ainda não há definição se o presidente eleito vai indicar nomes paras todas as 50 vagas a que tem direito.
Processo
Padilha afirmou que o processo de transição começou oficialmente hoje ao receber os primeiros nomes da equipe de Bolsonaro. “Iniciamos hoje oficialmente o processo de transição. Queremos fazer uma transição com tranquilidade e dando condições as maiores possíveis para o novo governo.”
O presidente Michel Temer e seus ministros já haviam manifestado a intenção de realizar uma transição “tranquila” e “transparente”, informando todos os atos que o governo já realizou e que ainda estão em andamento, as receitas e despesas do Estado e as propostas para reduzir o déficit nas contas públicas.
A reforma da Previdência é uma dessas propostas, que poderá ser encampada ainda este ano, caso o atual governo concorde com o texto atual, em trâmite no Congresso. Bolsonaro indicou que quer dar continuidade ao tema no Congresso.

Moro conversa amanhã com Bolsonaro sobre convite para integrar equipe

Agência Brasil
Brasília - O juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, participa de audiência pública na Comissão Especial do Novo Código de Processo Penal, na Câmara dos Deputados (Wilson Dias/Agência Brasil)O juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na prirmeira instância, reúne-se nesta quinta-feira (1º) de manhã com o presidente eleito Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro.
Convidado para assumir o Ministério da Justiça ou, futuramente, uma vaga no Supremo Tribunal Federal, Moro conversa pessoalmente, pela primeira vez, com Bolsonaro, depois da vitória deste no último domingo (28).

Há informações sobre a possível transformação do Ministério da Justiça em uma superpasta, agregando Segurança Pública, Controladoria-Geral da União e Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), mas a fusão das áreas não foi confirmada oficialmente.
Moro agradeceu ontem (30) o convite para integrar a equipe do presidente eleito, afirmando que estava “honrado” pela lembrança e que “refletiria” sobre o assunto. “Caso efetivado oportunamente o convite, será objeto de ponderada discussão e reflexão.”
Especialistas que acompanham o processo político afirmam que ocupar o Ministério da Justiça representa uma espécie de rito de passagem para, futuramente, ser nomeado para o Supremo.
Nos quatro anos de mandato presidencial, Jair Bolsonaro poderá fazer duas indicações ao Supremo. A primeira oportunidade será em novembro de 2020, quando o ministro Celso de Mello, decano da Corte, completa 75 anos e será aposentado compulsoriamente. No ano seguinte, será a vez do ministro Marco Aurélio deixar a Corte.
Perfil Moro, de 46 anos, procura ser discreto nas atitudes, mas ganhou notoriedade ao comandar, há quatro anos, o julgamento em primeiro instância do processos relativos à Operação Lava Jato, nos quais foram envolvidos nomes como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro José Dirceu, empresários e parlamentares.
O escândalo relativo aos desdobramentos da Lava Jato é considerado um dos mais complexos casos de corrupção e lavagem de dinheiro no país.
No ano passado, Moro condenou Lula a nove anos e seis meses de prisão. Foi a primeira condenação de um ex-presidente da República. A decisão foi ampliada em segunda instância, e o ex-presidente agora cumpre pena em Curitiba, desde abril.

Cosern e Crea assinam convênio de cooperação para reforçar ações de segurança com a rede elétrica na construção civil

O Diretor-Presidente da COSERN, Luiz Antonio Ciarlini, e a Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do Rio Grande do Norte, Ana Adalgisa Dias Paulino, assinaram na tarde desta 4ª feira (31), na sala da Presidência do Edifício-Sede da COSERN, um convênio de cooperação entre os dois órgãos para aprimorar a prestação de serviços mútuos junto à população e intensificar as fiscalizações voltadas à segurança com a rede elétrica.
No Convênio, o CREA-RN se comprometeu a encaminhar os profissionais de fiscalização do órgão para participar dos treinamentos da COSERN, bem como fiscalizar as obras indicadas pela concessionária, exigir a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) das instalações elétricas dos canteiros de obras e identificar e alertar, nas obras que fiscaliza, possíveis riscos de acidentes com a rede elétrica.
A COSERN, por sua vez, se comprometeu a oferecer, entre outros itens, treinamento e material educativo aos profissionais de fiscalização do CREA-RN, habilitando-os para um novo olhar com foco na prevenção de acidentes com a rede elétrica, exigir a ART nos pedidos de ligações para canteiros de obras e realizar ações conjuntas permanentes de promoção da segurança com a rede elétrica.
Na sua fala, o Diretor Presidente da COSERN destacou a importância da parceria com o CREA-RN no reforço do trabalho preventivo permanente que a concessionária faz. “O Conselho tem uma capilaridade muito grande e atua diretamente nas questões voltadas à construção civil, atividade onde infelizmente ainda acontece a maioria dos acidentes envolvendo a rede elétrica”, disse Ciarlini. “Para nós, é de grande importância esse convênio, pois vamos avançar muito na divulgação das orientações para prevenção de acidentes” complementou o Presidente.
A Presidente do CREA-RN ressaltou na sua fala a satisfação do órgão com a assinatura do convênio. “Saio daqui com o sentimento de que essa parceria vai nos trazer muitos frutos e o maior dele é salvar vidas, uma preocupação tanto do CREA quanto da COSERN”, disse Ana Adalgisa.
Para Karine Severo, Gerente de Comunicação Externa e responsável pelas ações de segurança com a população do Grupo Neoenergia, a assinatura do convênio entre as duas instituições é mais um grande passo dentro do programa educativo permanente de reforço da segurança e prevenção de acidentes da COSERN. “Nós já estamos presentes em lojas de materiais de construção, nos muros das nossas subestações, em palestras em escolas e temos um grande apoio da imprensa. Agora, vamos chegar de forma mais direta aos canteiros de obras de todo o estado”, disse Karine.

Superministério unirá área econômica; Meio Ambiente ficará com Agricultura e definido que serão no máximo 16 ministérios

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), indicado como chefe da Casa Civil do governo de Jair Bolsonaro (PSL), confirmou, nesta terça-feira, 30, que o novo gabinete terá entre 15 e 16 ministérios. Após uma reunião da cúpula de Bolsonaro na casa do empresário Paulo Marinho, Onyx também anunciou a fusão dos ministérios do Meio Ambiente com o da Agricultura. Já o novo Ministério da Economia reunirá as atuais pastas da Fazenda, Planejamento, Indústria e Comércio.
A questão estava sendo reavaliada por Bolsonaro durante a campanha. “O presidente não recuou em nada. Ele sempre disse que, assim como tem experiência em alguns Estados, como Mato Grosso, Agricultura e Meio Ambiente ficarão juntos”, disse Lorenzoni. A fusão desses dois ministérios já havia, de fato, sido anunciada durante a campanha. No entanto, Bolsonaro cogitou recuar e manter as pastas separadas. Agora prevaleceu a ideia inicial, como afirmou Lorenzoni.
Sobre o relato, o governo do Mato Grosso entrou em contato com o Estado, contestando a informação dada por Onyx, e disse que ambiente e agricultura sempre tiveram pastas separadas. No estado existem a Sema (Secretaria de Meio Ambiente), que virou uma secretaria em 2005 na gestão Blairo Maggi, e a Secretaria de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários.
É provável que Onyx tenha se confundido com o Mato Grosso do Sul, onde existe uma Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), à qual é vinculada o Instituto de Meio Ambiente do MS (Imasul).
Um dos ministros já anunciados, o economista Paulo Guedes, comentou a proposta de criação de um superministério da Economia. “No programa, os três já estavam juntos”, disse o economista.
Braço direito de Bolsonaro, o ex-presidente do PSL, Gustavo Bebianno, disse que as conversas do núcleo do novo governo não chegaram às  indicações para estatais. Ele disse que houve um significativo avanço, em torno de 80% dos ministérios na reunião desta terça.
“Hoje, já foram decididos alguns dos nomes (ministérios). Por uma questão estratégica, nós vamos divulgar os nomes um pouquinho mais para frente”, completou.
Onyx também resaltou que este será um governo “de absoluta união” e irá trabalhar em sintonia. O deputado informou que Bolsonaro deve ir na próxima terça-feira a Brasília para começar a transição. “O presidente já tem uma lista de nomes (de ministros) e está fazendo a definição final. Acredito que nos próximos dias, Bolsonaro deva liberar mais alguns nomes. Na segunda-feira, o presidente, depois de tomar decisão, vai nos permitir divulgar toda a estrutura” declarou.
ESTADÃO

Bancada do RN recebe pleitos de entidades ao Orçamento 2019

Parlamentares da bancada federal do Rio Grande do Norte estiveram reunidos nesta terça-feira (30), em Brasília, com representantes de entidades, prefeitos e vereadores de municípios potiguares para receber as demandas das instituições a serem indicadas ao Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) para 2019.
Para o coordenador da bancada potiguar, deputado federal Felipe Maia, o diálogo com as entidades é fundamental para a escolha das emendas. “Hoje recebemos as demandas e conhecemos as propostas das instituições com mais profundidade, com isso, pretendemos atender o máximo possível de projetos e, consequentemente, o maior número de pessoas atingidas com esses pleitos. Precisamos unir forças para indicar da melhor maneira as emendas, frisou Felipe Maia.
Dentre as sugestões apresentadas estão: investimentos em segurança pública; saúde; reforma no sistema prisional do estado; apoio às instituições de Ensino Superior: UFRN, UERN, Ufersa, IFRN; investimentos para a o Hospital Universitário Onofre Lopes e Hospital da Mulher na Zona Norte de Natal e melhoria na infraestrutura da capital do estado.
Como o prazo para apresentação das emendas se encerra no dia 1º, a bancada do estado fará uma reunião fechada nesta quarta-feira (31), para definir os pleitos que serão contemplados pelos parlamentares.

TRT-RN: Autorização para descontar imposto sindical sem ampla divulgação não vale

A 1ª Vara do Trabalho de Natal (RN) não reconheceu a autorização para descontos do imposto sindical no salário dos empregados da TIM Celulares, baseado em assembléia-geral da categoria, com edital publicado em jornal local.
Para a juíza Simone Medeiros Jalil, o fato da publicação ter sido feita apenas no jornal, quando existem meios de comunicação muito “mais presentes e relevantes no cotidiano da população, não se demonstra suficiente para dar ampla divulgação a assunto de tamanha relevância”.
A decisão da juíza foi tomada em uma ação civil coletiva ajuizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações e Operadores de Mesas Telefônicas do Estado do Rio Grande do Norte (Sinttel/RN) contra a TIM.
Na ação, o sindicato pedia o desconto do imposto (referente a um dia de trabalho) no salário dos empregados, sindicalizados ou não, e a declaração de inconstitucionalidade da Lei 13.467/2017, que tornou facultativa a contribuição.
No entendimento da juíza, o Supremo Tribunal Federal (ADI nº 5794) concluiu que a extinção do desconto obrigatório da contribuição “é constitucional, não cabendo mais discussão neste tocante”.
E, embora, a juíza Simone Jalil ressalte que a lei não especifique a forma de autorização a ser dada pelo empregado, não teria como validar a autorização dada por assembléia sem estar “comprovada a ampla e irrestrita divulgação de sua realização”.
Por fim, ela explicou que a Súmula nº 666 do STF, determina que as cláusulas coletivas que estabeleçam contribuição em favor de entidade sindical, “a qualquer título, obrigando trabalhadores não sindicalizados, são ofensivas ao direito de livre associação e sindicalização, constitucionalmente assegurado, e, portanto, nulas”.
Processo: 0000201-52.2018.5.21.0001

Amaro Sales e Flávio Azevedo empossados na CNI

O presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales, e o ex-presidente da instituição, Flávio Azevedo, foram empossados nesta terça-feira, 30, na Diretoria da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Amaro Sales no cargo de 1º Diretor Secretário; e Flávio Azevedo no cargo de Diretor. A posse ocorreu durante 9ª reunião da CNI, em Brasília. O empresário Robson Braga de Andrade foi reeleito em votação unânime no dia 8 de maio de 2018, para o período de 2018 a 2022.
A Diretoria é composta por cinco vice-presidentes executivos, representando cada uma das regiões do país. São eles o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Paulo Skaf; o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), Antonio Carlos da Silva; o presidente da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), Francisco de Assis Gadelha; o membro do Conselho de Representantes da CNI, na qualidade de delegado da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG), Paulo Afonso Ferreira; e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte. (Veja abaixo a lista completa da composição da Diretoria e do Conselho Fiscal eleitos).

Grande retenção de veículos é registrada na manhã desta quarta em Parnamirim para retirada da passarela do Parque Aristófanes Fernandes

O trecho da BR-101 sentido Parnamirim-Natal foi interditado na manhã desta quarta-feira(31) para retirada da passarela do Parque Aristófanes Fernandes.
Em decorrência, o trânsito foi desviado para o sentido contrário. Sentido Natal-Parnamirim desviado para a marginal. Previsão de liberação em 1h. Grande retenção de veículos no local.
As informações são da Polícia Rodoviária Federal.

Terror no interior do RN: quadrilha fortemente armada explode caixa e cofre e prédios desabam; destacamento da PM também atacado

O município de Ouro Branco, distante 250 km de Natal, na região Seridó, viveu momentos de terror na madrugada desta quarta-feira(31), por volta de 1h50, durante um ataque de uma quadrilha responsável por explodir o cofre da agência dos Correios e um caixa eletrônico dentro de um correspondente bancário do Bradesco. De acordo com a Polícia, os homens armados estavam um veículo do tipo Toro e usaram armas de cano longo na carroceria do veículo. Durante as explosões, o prédio do banco foi abaixo, e o dos Correios, em outra rua, só as paredes externas ficaram de pé.
Segundo a Polícia, o grupo ainda atirou no destacamento da Polícia Militar para impedir qualquer reação. No ataque, um dos PMs conseguiu pular para fora e o outro ficou dentro. Felizmente, não foram atingidos. Na fuga, a quadrilha fugiu e espalhou grampos de ferro pela estrada.  Na cena da ação criminosa, a polícia encontrou munições deflagradas espingarda e fuzil.
A Polícia acredita que os bandidos não conseguiram levar o dinheiro. Informações preliminares dão conta que o caixa dos Correios já não era mais usado para fazer saques e que o caixa do Bradesco ficou sem cédulas ainda durante o dia.
BG

Vida em Júpiter? NASA registra ‘anomalia verde’ no planeta e comunidade ufóloga acredita que imagens possam ser a prova definitiva da existência de extraterrestres

Mistério! A NASA registrou por meio de imagens de satélites instalados na órbita do planeta, uma “anomalia verde”. Membros da comunidade ufóloga acreditam que os registros podem ser uma irrefutável da existência de seres alienígenas dentro de nosso sistema solar.
Os primeiros a notarem o objeto foram os irmãos Blake e Brett Cousins, em seu canal do Youtube Third Phase of the Moon.
No vídeo, eles ampliam a imagem e tentam entender o que estão vendo. “Isso não parece estar certo”, afirmou Brett.
“O objeto parece ter pelo menso 100 km de diâmetro, é absurdo”, disse Blake.
No entanto, céticos afirmam que a cor verde seria um caso de ionização da radiação, algo comum em Júpiter.
De qualquer forma essa não seria a primeira especulação de alienígenas no planeta. Na cultura ufóloga, acredita-se que os seres jupiterianos sejam criaturas flutuantes, semelhantes a uma água viva, graças a atmosfera gasosa do planeta.
A republicana Bettina Rodriguez Aguilera, 59 anos, é candidata ao Congresso americano pelo distrito de Miami e fez uma revelação de virar a cabeça: ela foi visitada por alienígenas quando era criança. Seria ela a futura deputada que começaria o governo extraterrestre que vai dominar a Terra? Ainda não sabemos, mas já tem gente desconfiada!

A candidata republicana, que quer ser deputada, atualmente é vice-prefeita de Doral, uma cidade nos subúrbios de Miami. Os relatos foram descritos em vídeos publicados no YouTube há oito anos e lembrados assim que ela lançou sua candidatura, recentemente.
“Eu tinha sete anos e fui levada a uma nave espacial, havia três deles lá dentro, havia assentos redondos e tudo era controlada por uma pedra que parecia quartzo”, afirmou ao jornal Miami Herald.
Mas sua experiência política não é o mais importante aqui e sim seus conhecimentos secretos.
Sim, porque Bettina não apenas foi abduzida e digna da visita de aliens, tem muito mais que isso. Ela recebeu comunicação telepáticas desses mesmos seres.
Recapitulando antes que a história fique confusa: ela recebeu a visita de uma nave com três aliens quando tinha sete anos e desde então ainda troca ideia com eles através de telepatia.
Questionada pelo jornal Miami Herald sobre suas experiências, ela tentou se justificar. Afirmou que diversas pessoas importantes disseram coisas similares.Astronautas apontaram a existência de “outras inteligências” fora da Terra, mas seus relatos foram arquivados.
R7

Desembargador João Rebouças é eleito presidente do TJRN para o biênio 2019-2020; conheça novos dirigentes

O Pleno do Tribunal de Justiça do RN elegeu na manhã desta quarta-feira(31) os novos dirigentes do Poder Judiciário para o biênio 2019-2020. O novo presidente da instituição será o desembargador João Rebouças.
“Tudo farei para continuar essa harmonia. Obrigado pela confiança, tudo farei para manter a parceria e continuidade. Que tenhamos como norte a prestação jurisdicional”, agradeceu o desembargador João Rebouças, após sua eleição como presidente do TJRN para o biênio 2019-2020.
O desembargador Virgílio Macedo será o novo vice-presidente e o desembargador Amaury Moura o novo corregedor geral de Justiça. A Escola da Magistratura será dirigida pelo Des. Saraiva Sobrinho e a Revista da Magistratura ficará a cargo do Des. Ibanez Monteiro.
Também foram eleitos os novos membros do Conselho da Magistratura: os desembargadores Amilcar Maia e Dilermando Mota serão os membros titulares e os desembargadores Claudio Santos e Zeneide Bezerra como suplentes.
BG

Casal é preso na BR-304 após assaltar ônibus da linha Natal-Nova Cruz

Um casal de assaltantes foi preso pela PRF, na noite dessa terça-feira (30), na BR 304, entre as cidades de Parnamirim e Macaíba. Os acusados subiram em um ponto de ônibus próximo ao viaduto do bairro Neópolis, em Natal.
Momentos depois, anunciaram o assalto e fizeram um arrastão, recolhendo todos os pertences dos passageiros que seguiam de Natal para a cidade de Nova Cruz na região agreste do Estado.
Após o assalto, o motorista do ônibus se dirigiu ao posto da Polícia Rodoviária Federal de Macaíba e, de imediato, uma equipe de ronda se deslocou para o local com as informações sobre as características do casal.
Durante as buscas nas estradas de terra próximo ao local, os policiais se depararam com a dupla e fizeram a abordaram. Não houve reação. Com os dois, foi apreendida a arma utilizada no assalto, um revólver calibre 38 e todo o material subtraído dos passageiros (dinheiro, 14 celulares, bolsas e carteiras).
A ocorrência foi encaminhada à Central de Flagrantes da Polícia Civil de Natal, para a realização dos procedimentos legais.
BG

Bolsonaro diz em culto não ser o mais capacitado: ‘Mas Deus capacita os escolhidos’


O presidente eleito Jair Bolsonaro durante um culto no Rio de Janeiro, ao lado do pastor Silas Malafaia — Foto: Reprodução
O presidente eleito Jair Bolsonaro participou de um culto no Rio de Janeiro na noite desta terça-feira (30) e afirmou não ser o mais capacitado. Em um breve discurso, acrescentou: “Mas Deus capacita os escolhidos”.
No último domingo (28), Bolsonaro recebeu 57,7 milhões de votos (55,1%) e derrotou Fernando Haddad (PT) no segundo turno da eleição presidencial – Haddad recebeu 47 milhões de votos (44,8%).
O novo presidente passou esta terça no Rio e, mais cedo, recebeu aliados para discutir os nomes dos futuros ministros do governo (leia detalhes mais abaixo).
“Primeiro, quero agradecer a Deus por estar vivo. Pelas mãos de profissionais da saúde, Deus operou um milagre. Depois, quero agradecer também a Deus por esta missão, porque o Brasil está numa situação um tanto quanto complicada, com crise ética, moral e econômica. Tenho certeza que não sou o mais capacitado, mas Deus capacita os escolhidos”, disse Bolsonaro, ao lado do pastor Silas Malafaia.
O presidente eleito se emocionou durante a fala, embargando a voz. A plateia, então, o aplaudiu.
Pessoas na igreja visitada por Bolsonaro manifestam apoio ao presidente eleito — Foto: Reprodução
Durante o culto, Bolsonaro pediu às pessoas que oraram pela vida dele que, agora, orem para ele conseguir montar uma boa equipe de governo, com boas ideias, além de “coragem” para tomar as melhores decisões para o país.
Ao repetir o slogan da campanha, “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, Bolsonaro disse ter compromisso com “os valores da família cristã”.
“Quero agradecer a este povo de Deus pela confiança depositada em meu nome. E que os senhores e as senhoras podem esperar d emim uma pessoa comprometida com os valores da família cristã”, disse.
Bolsonaro se reuniu nesta terça-feira com o economista Paulo Guedes, futuro ministro da Economia; Onyx Lorenzoni, futuro ministro da Casa Civil; e Gustavo Bebianno, dirigente do PSL e uma das pessoas mais próximas ao presidente eleito.
Ao deixar o encontro, Paulo Guedes informou que uma das decisões tomadas pelo novo presidente foi unificar os ministérios da Fazenda, do Planejamento e da Indústria e Comércio.
Paulo Guedes disse, ainda, que será “natural” se o atual presidente do Banco Central, Ilan Golfajn, permanecer no cargo.
Outra decisão tomada, segundo Onyx Lorenzoni, foi unificar os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente.
G1

Agricultura e Meio Ambiente nunca divergiram em meu governo, diz Temer

Marcelo Brandão
O presidente Michel Temer recebe do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, o Grande Colar da Ordem do Mérito Industrial.O presidente Michel Temer afirmou na noite de ontem (30) que os setores da agricultura e meio ambiente nunca divergiram em seu governo. "Embora tenhamos duplicado as áreas de proteção do meio ambiente no país, não houve divergência com a área da agricultura. A agricultura, o agronegócio continua a prosperar sem nenhuma divergência com o meio ambiente”, disse, ao discursar em evento na Confederação Nacional da Indústria (CNI).
O futuro ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, confirmou hoje (30) a fusão dos ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro.
No evento da CNI, Temer foi condecorado com o Grande Colar da Ordem do Mérito Industrial. O presidente fez um balanço de algumas das ações de seu governo e defendeu a manutenção do teto dos gastos públicos. “No caso do Brasil, que é a nossa grande casa, não pode gastar mais do que arrecada. Fizemos algo extremamente responsável, não foi um ato normativo de natureza populista. Paulatinamente caindo o déficit público é possível fazer em 20 anos uma revisão ao teto dos gastos públicos”.

Brasil Mais Produtivo Temer também assinou um decreto institucionalizando o programa Brasil Mais Produtivo. Criado em 2016, o programa, segundo o governo federal, garante o aumento da produtividade de pequenas e médias indústrias.
O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, também assinou o decreto. “O decreto que institucionaliza o Brasil Mais Produtivo é um importante passo para o fortalecimento do setor industrial. O salto de produtividade e o ganho de eficiência do chão de fábrica são condições necessárias para que o setor produtivo usufrua dos benefícios da indústria 4.0”.

Extinção do MDIC O presidente da CNI, Robson de Andrade, conversou com a imprensa após o evento e evitou falar sobre eventual fim do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, mas lamentou o fim de um órgão representativo para o setor. A equipe do presidnete eleito Jair Bolsonaro anunciou que as pastas da Fazenda, do Planejamento e da Indústria e Comércio formarão o superministério da Economia.
“Acho que estar num ministério da Economia, discutiremos as políticas industriais com as áreas que discutem a tributação, o planejamento de uma maneira que às vezes não é de defender o crescimento da indústria”. Mais cedo, a confederação divulgou uma nota lamentando o fim do ministério.

Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 5,5 milhões

Mega-Sena, loterias, lotéricasA Mega-Sena pode pagar hoje (31) o prêmio de  R$ 5,5 milhões para quem acertar as seis dezenas do concurso 2.093.
O sorteio será realizado às 20h (horário de Brasília), no Caminhão da Sorte estacionado na cidade de Arapiraca, em Alagoas.
Segundo a Caixa, o valor do prêmio principal, aplicado na poupança, renderia cerca de R$ 20,4 mil por mês.
As pessoas poderão fazer suas apostas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país. A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50.

Paulo Coutinho lidera corrida para a eleição da OAB e categoria não perdoa rompimento de Aldo Medeiros com Magna Letícia

Encerradas as eleições partidárias a sociedade volta os olhos para a eleição da OAB que irá acontecer no dia 28/11.
Três chapas disputam a presidência tendo na frente os nomes de Paulo Coutinho, atual presidente e candidato a reeleição, do advogado Aldo Medeiros e da procuradora Magna Leticia. Magna e Aldo já foram candidatos em outras eleições e não obtiveram êxitos, inclusive na última Aldo era o principal articulador de Magna. Aldo rompeu com Magna faltando poucos dias para o pleito deste ano.
O BlogdoBG teve acesso a uma pesquisa realizada há uma semana nesta terça-feira que mostra a liderança com certo conforto para o atual presidente Paulo Coutinho enquanto Magna e Aldo ficam num empate técnico para o segundo lugar.
Perguntados também pelo instituto, boa parte da categoria não aprovou o rompimento de Aldo Medeiros com Magna Leticia para se candidatar à presidência defendendo a bandeira de grupos que dominaram a entidade por muitos anos.

Padilha e Onyx se reúnem para conversar sobre governo de transição

Agência Brasil 
Onyx, PadilhaA primeira reunião dos coordenadores do governo de transição será nesta quarta-feira (31), em Brasília. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, nomeado pelo presidente Michel Temer para conduzir os trabalhos, reúne-se à tarde com o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), confirmado como futuro ministro da área e designado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para coordenar as atividades por parte do novo governo.
Na próxima terça-feira (6), Bolsonaro deve desembarcar em Brasília para, pessoalmente, dar suas orientações sobre os trabalhos e se reunir com Temer. Ele disse que quer encontrar o presidente da República para agradecer o apoio e está confiante de que este período de transição será tranqüilo.
O presidente eleito avisou que pretende reduzir de 29 para 15 ou 16 o número de ministérios, daí a decisão de fusão entre algumas pastas. Será criado o superministério da Economia – unindo Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio. Houve reações dos empresários que desaprovaram a proposta.
Para o superministério, será nomeado o economista Paulo Guedes, responsável pela área durante a campanha presidencial. Também foi confirmada a união entre os ministérios da Agricultura e Meio Ambiente. Iniciativa que conta com a rejeição dos ambientalistas. Não há ainda sinalização sobre a fusão dos ministérios da Educação e da Cultura.
Ontem (30), Bolsonaro se reuniu, no Rio, com os assessores mais próximos para definir as prioridades e já alguns nomes que vão compor sua futura equipe. Com a posse marcada para 1º de janeiro, ele quer acelerar alguns temas, como a reforma da Previdência, que está em curso no Congresso Nacional.
Segundo o presidente eleito, a intenção é aprovar o que for possível ainda este ano, agilizando assim algumas medidas e evitando problemas. Ele não deu detalhes sobre suas preocupações específicas. Também anunciou que pretende fazer andar os projetos de extinção e privatização de estatais.

Saiba quem é Onyx Lorenzoni, aliado de primeira hora de Bolsonaro

O deputado federal Onyx Lorenzoni acompanha senadores chilenos em visita ao candidato do PSL à Presidência da República, Jair  Bolsonaro, na Barra da Tujuca, Rio de Janeiro.Conhecido pela contundência de suas opiniões contrárias aos governos do PT, o deputado federal Onyx Dornelles Lorenzoni (DEM-RS) deve assumir um dos principais cargos do governo de Jair Bolsonaro (PSL). Anunciado como ministro Casa Civil, ele trabalhará, a partir de janeiro, no Palácio do Planalto, no fundo do quarto andar, bem acima do gabinete da Presidência, que ocupa todo o terceiro andar. A pasta é responsável por acompanhar, de forma integrada, as principais políticas públicas dos demais ministérios, coordenar os balanços de ações governamentais, publicar nomeações e exonerações, além de auxiliar na tomada de decisões do Chefe do Executivo.
Nascido no dia 3 de outubro de 1954, Onyx Lorenzoni tem 64 anos e construiu carreira política ao longo de vários mandatos parlamentares. Deputado federal desde 2003, ele está finalizando o quarto mandato na Câmara. Nestas eleições, foi reeleito com mais de 180 mil votos, sendo o segundo deputado mais votado do Rio Grande do Sul.

História
Entre 1995 e 2003, ele foi deputado estadual durante duas legislaturas. Formado em Veterinária e nascido em Porto Alegre, Onyx iniciou a sua atuação política como presidente do Sindicato dos Médicos Veterinários do estado, na década de 1980. Antes da vida pública, ele trabalhou no Hospital Veterinário Lorenzoni, empresa de que é sócio.
O parlamentar gaúcho está há 21 anos no DEM, que até o ano de 2007 se chamava Partido da Frente Liberal (PFL). Antes, era filiado ao PL. Onyx é defensor da flexibilização do Estatuto do Desarmamento e de outras posições do campo liberal e conservador, como redução da maioridade penal, contra as cotas raciais e a favor de projetos ligados à pauta ruralista.
Recentemente, foi o responsável por relatar o projeto que reunia dez medidas de combate à corrupção, que chegou ao Congresso por meio de iniciativa popular. Na atuação parlamentar, o deputado é conhecido como uma pessoa acessível à imprensa e que consegue atuar nos bastidores. “Ele é estudioso, tem dinamismo, coragem e procura estudar [os temas que precisa discutir]”, disse à Agência Brasil o deputado Darcísio Perondi (MDS), que também é do Rio Grande do Sul.
Onyx faz parte da Frente Parlamentar da Segurança Pública, conhecida como Bancada da Bala, que conta com dezenas de deputados. O grupo é coordenado pelo deputado Alberto Fraga (DEM-DF), que também é cotado para assumir algum cargo no governo Bolsonaro. Crítico ao Estatuto do Desarmamento, costuma argumentar que a posse e o uso de armas de forma legalizada não está relacionada ao aumento ou redução da criminalidade no país.
Em 2014, quando a doação empresarial a campanhas eleitorais ainda era permitida, o deputado recebeu R$ 100 mil de duas das maiores empresas de armas e munições do Brasil:  a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) e a Forjas Taurus S.A. Quatro anos antes, a Taurus repassou R$ 150 mil para a campanha de Onyx, mesmo valor doado pela Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições.

Posições
O deputado Efraim Filho (DEM/PB), que foi líder do Democratas na Câmara em 2017 e 2018, dez anos após ter sido liderado por Onyx, ainda no PFL, elogia a firmeza com que ele defende as posições em que acredita. Ele afirma que o parlamentar aliado de Bolsonaro teve a capacidade de se antecipar nos últimos anos a movimentos que posteriormente ganharam força a nível nacional, como as críticas ao petismo, a defesa do impeachment e o sentimento de “renovação da política” que vinha da sociedade.

Foi dessa forma que ele convenceu colegas e abriu um canal de comunicação com grupos como o Movimento Brasil Livre (MBL), ainda na época das manifestações contra Dilma Rousseff. "O Onyx sempre foi um político muito convicto dos seus princípios e valores. É um visionário em termos de estratégia e articulação política. É um cara que tem uma profunda formação liberal, tendo feito diversos cursos com o partido liberal alemão", disse.
De acordo com Efraim, as posições do futuro ministro na própria bancada do DEM são até hoje reconhecidas - como o momento em que o partido avaliava se fundir a outro para evitar a extinção. Na época, Onyx avaliou que a legenda colheria os frutos de se manter de forma firme na oposição.
"Ele conseguiu capitanear, capitalizar esse sentimento da sociedade. Acreditou nesse projeto Bolsonaro e, com justiça, hoje é apontado com articulador. Enquanto o PSDB às vezes vacilava na condução da oposição, o Onyx quando liderou o DEM nunca titubeou e sempre previu que essa agenda que ele sempre defendeu seria acolhida pela sociedade brasileira", afirmou.

Caixa 2
Em maio do ano passado, quando vieram à tona as delações de executivos do Grupo JBS em que Onyx foi citado como tendo recebido dinheiro dos executivos, ele confessou o uso do dinheiro. Na época, deu entrevistas e gravou um vídeo reconhecendo que recebeu R$ 100 mil durante a campanha eleitoral de 2014 de um empresário e não declarou o valor na sua prestação de contas, o que configura o crime de caixa 2. O parlamentar disse que entregaria uma declaração ao Ministério Público Federal (MPF) assumindo o erro e que pagaria por ele.

Dez medidas
Após intensas negociações, o plenário da Câmara aprovou em novembro de 2016 o texto que continha dez medidas de combate à corrupção, que chegou ao Congresso com dois milhões de assinaturas. Ony foi o relator da medida. Durante a tramitação, seis medidas sugeridas pelo MPF foram retiradas, após críticas dos parlamentares. A proposta, que está parada no Senado à espera de um relator, manteve a criminalização do eleitor pela venda do voto, a transformação em crime hediondo para certos tipos de corrupção e a tipificação do caixa 2 como crime eleitoral.
Mesmo antes da relatoria, Onyx  já era apontado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) como um dos parlamentares mais influentes, tendo participado de 12 Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs), com destaque para a dos Correios e a da Petrobras.

Coordenador de campanha
Desde que a candidatura de Jair Bolsonaro ganhou força, Onyx se tornou um aliado de primeira hora. Ainda durante a pré-candidatura à Presidência de Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente da Câmara, a avaliação do deputado gaúcho e de outros integrantes do DEM era de que o partido não deveria apoiar o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin. O DEM acabou compondo a coligação do presidenciável tucano, mas a cúpula do Democratas soube que haveria integrantes da sigla trabalhando pela campanha do PSL.
Nas últimas semanas, o trabalho de Onyx junto à campanha se intensificou. Foi ele o responsável, na semana passada, por organizar encontros de Bolsonaro com diferentes grupos, dentre eles a bancada da bala e integrantes do agronegócio. No último domingo (28), o próprio Bolsonaro confirmou o nome do deputado para a Casa Civil. A partir desta quarta-feira (31), o processo de transição do governo se iniciará com uma reunião entre Onyx e o atual ocupante do cargo, ministro Eliseu Padilha.