quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Santa Cruz, recebe novamente nesta sexta o Caminhão da Mamografia

 
Em parceria com a Laboclínica Trairi de Santa Cruz estaremos recebendo nesta sexta o Mama Móvel, Veiculo equipado para realizar Mamografias, onde estará estacionado em frente a Laboclínica Trairi de Santa Cruz, Realizando mamografias durante todo o dia a um preço popular , venha realizar este exame tão importante para a prevenção do câncer de mama.
Não perca essa oportunidade, ligue agora mesmo e agende seu exame no 9.9691-1514, 9.8797-3805 ou no 3291-3805

Caixa lança aplicativo financeiro para clientes de baixa renda

A Caixa lançou um aplicativo financeiro chamado “CAIXA Tem”, no qual clientes de baixa renda e beneficiários de programas sociais vão poder fazer pagamentos de contas, transferências e consultas sociais relacionadas ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e ao Bolsa Família.
Segundo o banco, a plataforma é mais simples que similares e tem baixo consumo do pacote de dados. “O app foi desenvolvido para possibilitar a inclusão financeira e ampliar o acesso aos serviços da Caixa por pessoas que têm celulares mais simples”, diz a Caixa em nota.
Para utilizar o aplicativo, o usuário insere o CPF e a mesma senha que utiliza para realizar transações. O produto é visualmente parecido com o WhatsApp e permite a transferência de recursos com a leitura de QR Code, navegação por comando de voz e leitura das conversas em voz alta. O app estará disponível na versão Beta, inicialmente para 10 mil clientes, no sistema Android.
O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que o novo aplicativo considera o perfil do público. “Boa parte desses clientes utiliza serviços específicos da Caixa, como os de consulta e pagamento de benefícios sociais. O ‘Caixa Tem’ foi pensado para facilitar ainda mais o acesso a esses serviços, com operações mais simples e alinhadas às reais necessidades da população mais humilde”, acrescentou.

Ezequiel Ferreira solicita investimentos para a região do Trairi potiguar

O deputado estadual Ezequiel Ferreira (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, apresentou uma série de requerimentos a favor da região do Trairi potiguar. O parlamentar solicita investimentos em segurança, recursos hídricos, habitação e na área de esportes.
Para São José do Campestre, Ezequiel apresentou solicitação de estudos de viabilidade técnica para extensão da rede de distribuição de água para as ruas João Luiz da Silva e Santo Antônio, e também para o Loteamento Novo Milênio. O parlamentar explica que os moradores dessas localidades não possuem água suficiente para atender a demanda.
Já para o município de Serra de São Bento, o deputado pede a construção de um posto da Polícia Militar, que ficaria na Comunidade Lagoa Salgada. Ezequiel diz que o aumento da violência tem preocupado os moradores da região. Também na área da segurança, o parlamentar quer o aumento do efetivo policial e melhores condições de trabalho para os policiais militares que atuam na cidade.
Ainda para Serra de São Bento, Ezequiel apresentou requerimentos solicitando a inclusão do município no programa Pró-Moradia, voltado para a construção de casas populares, e também pediu a construção de uma quadra poliesportiva no Conjunto Zé Mariano.

Prefeitura de Santa Cruz disponibiliza atividades de saúde em ação social de igreja evangélica no bairro Paraíso

AES-ASSEMBLEIA02
A Prefeitura de Santa Cruz foi parceira, neste domingo (27), de uma ação social promovida pela Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ceifeiros da Última Hora, localizada no bairro Paraíso.
A secretaria municipal de Saúde disponibilizou a Unidade Móvel de Saúde com atendimentos de verificação de pressão arterial, teste de glicemia, orientações nutricionais e um médico atendendo a população durante a manhã deste domingo (27).
Além disso, a Igreja articulou cortes de cabelos gratuitos para a população e outras atividades.
O prefeito Ivanildinho esteve no local e parabenizou as lideranças da Igreja Assembleia de Deus Ceifeiros da Última Hora pelo trabalho, além de ter disponibilizado a Prefeitura para ações futuras que beneficiem a população.

Coronel Azevedo pede prioridade de pagamento aos servidores públicos



Coronel_Azevedo_sesso_plenria
O deputado estadual Coronel Azevedo (PSC) voltou a cobrar prioridade do Governo estadual no pagamento aos servidores públicos efetivos, em detrimento àqueles que ocupam cargo em comissão.
O parlamentar externou sua opinião em pronunciamento durante a sessão plenária desta terça-feira, 29, na Assembleia Legislativa. "Infelizmente, ontem, Dia do Servidor Público, não tivemos nada a celebrar, somente a lamentar que o governo tenha ignorado a ordem cronológica de pagamento e dado a prioridade aos que ocupam os cargos comissionados", disse.
Coronel Azevedo lembrou o atraso de salários dos servidores públicos estaduais e os problemas que isso têm acarretado aos cidadãos, que dependem do pagamento dos vencimentos por parte do Executivo estadual.

Comissão de Constituição e Justiça aprova Fundo Estadual de Segurança


ddd3effdc0dff6bc7818f0ab1cff7a69
O projeto de lei que institui a Política Estadual do Trabalho, Emprego e Renda do RN (Peter/RN), o Fundo Estadual do Trabalho do RN (FET/RN) e que dispõe sobre o Conselho Estadual do Trabalho, Emprego e renda do RN, foram aprovados pela Comissão de Finanças e Fiscalização da Assembleia Legislativa do RN (CFF) na manhã desta quarta-feira (30). O projeto de Lei que autoriza Caern a realizar o pagamento de contrapartidas de obras de saneamento básico em Natal e interior do Estado também foi aprovado.
"Esse projeto de lei é importante porque com a provação dele, o Rio Grande do Norte ficará habilitado a receber recursos fundo a fundo do programa de fomento ao trabalho. Além do mais, ele não gera impacto financeiro ao Estado", destacou o deputado Francisco do PT.
O outro projeto apreciado e votado na reunião da CFF, autoriza a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) a realizar o pagamento de contrapartidas de convênios celebrados entre a União e o Estado para obras de saneamento básico em Natal e interior do Estado.
"O projeto foi aprovado com emenda que limita o uso de recursos da Companhia a R$ 9 milhões para serem aplicados nas obras de esgotamento sanitário que estavam ameaçadas de paralisação na capital e cinco cidades do interior – São José do Seridó, São João do Sabugi e Parelhas, na região do Seridó; São Paulo do Potengi, na região do Potengi e Pendências, no Vale do Açu. Esse projeto é muito importante pois vai beneficiar os municípios da região Oeste", explicou o presidente da comissão, Tomba Farias (PSDB).
Participaram da reunião os deputados Tomba Farias (PSDB), Getúlio Rego (DEM), Cristiane Dantas (SDD) e Francisco do PT.

Prefeitura de Santa Cruz conclui essa semana reforma da Vila de Todos

46fab23c-755b-4c9d-97e1-419ad2001b21
A Prefeitura de Santa Cruz está finalizando os serviços da reforma da Vila de Todos.
A obra consiste em construção de um muro que cerca o espaço, pintura de toda a Vila, derrubada dos quiosques existentes no meio do ambiente, que não estavam sendo utilizado, e construção de uma caixa de água grande para abastecimento de prédios existentes na Vila de Todos.
Os serviços serão concluídos até o final desta semana e é intensão da gestão municipal que a Vila se torne o principal local para realização de grandes eventos públicos da cidade.
7d6b035b-28b0-4f74-86c8-675afee4c528O prefeito Ivanildinho, que visitou o espaço no último domingo (27), destacou a Vila de Todos é ideal para realização de grandes festas e o ambiente deverá ser utilizada com mais frequência.
O primeiro grande evento que a Vila irá receber é o aniversário do deputado estadual Tomba Farias, na próxima sexta-feira (01), festa gratuita e aberta a população, já com a obra finalizada.

Sem justificativas, vereadores oposicionistas divulgam dados incompletos sobre finanças do SAAE e tentam emplacar CPI

MG_4220
A oposição de Santa Cruz mais uma vez tentou se aproveitar do sofrimento das pessoas para fazer politicagem e emplacar uma CPI sobre o SAAE sem justificativa.
Após o SAAE ter liberado informações requeridas pela Câmara, os vereadores João Victor e Paulo César começaram a divulgar em redes sociais e blogs informações incompletas das contas do SAAE e a partir daí, alguns integrantes da oposição começaram a tentar emplacar uma CPI contra o SAAE.
As contas do SAAE são publicas e estão disponibilizadas para toda a população no Portal da Transparência da Instituição (www.saae.santacruz.rn.gov.br), inclusive atualizadas constantemente com informações interessantes para o público.
A divulgação das contas apenas corroborou que os gastos públicos no SAAE são feitos de forma correta e que o problema vivenciado por escassez no abastecimento de água atualmente não pode ser utilizado para se tentar aproveitar da situação de sofrimento da população para fazer palanque.
Resultado: com a falta de argumentação no requerimento e sem justificativas fortes para abertura da CPI, a Mesa Diretora da Câmara, encaminhou a assessoria jurídica o pedido, que deve ser arquivado na Casa.
O que a população espera da Câmara é a união de esforços, junto a estado e município, para que o problema seja minimizado, pois a escassez de água é algo sério e que tem trazido prejuízos para todo estado, e não pode ser utilizada como pretexto se fazer ações que não são justificadas.
Édipo Natan

Vereador Fábio Dias critica atuação de vereadores oposicionistas e pede união de esforços em busca de resolver problema de abastecimento de água em Santa Cruz

O presidente da Câmara de Vereadores, Fábio Dias, fez discurso contundente na sessão realizada ontem (29) em Santa Cruz sobre a atuação distorcida dos vereadores oposicionistas da cidade.
Afirmando que os vereadores tem espalhado "fake news" sobre as finanças do SAAE de Santa Cruz, Fábio Dias reforçou a importância de se manter seriedade sobre temas importantes e não tentar fazer palanque em cima de situações difíceis que a população tem passado, como é o caso do abastecimento de água.
Fábio Dias convidou os vereadores para que juntos possam procurar a governadora Fátima Bezerra, que foi votada pela oposição, mas que até agora não buscaram dialogo com a gestora estadual em busca de liberação de mais água para Santa Cruz por parte da CAERN.
O presidente da Câmara criticou a tentativa de abertura da CPI sem justificativas. "O que temos visto nos últimos dias são os vereadores da oposição espalhando fake News nas redes sociais, mas não vi nenhuma mobilização para o diálogo entre os representantes da cidade e a governadora Fátima, que foi votada por vocês (vereadores oposicionistas). Queremos que o problema se resolva, mas que o assunto seja tratado com seriedade e não para ser feito politicagem com essa situação", enfatizou Fábio Dias.
A mesa diretora da Câmara de Vereadores tem mantido contato permanente com o SAAE e tem articulado encontros e diálogos para que a problemática seja discutida da forma mais correta para a população.

SAAE informa! O abastecimento de água em Santa Cruz nesta quinta-feira (31) está para os seguintes setores da cidade

Bomba 1: Setor Paraíso. Continua o abastecimento regular do maior bairro da cidade, pelo setor da rua São Brás, ruas conhecidas como Projetadas e adjacências

Bomba 2: Setor Maracujá. Continua o abastecimento regular do setor nas ruas baixas dos bairros Maracujá, Nova Santa Cruz e Conjunto Aluízio Bezerra

Bomba 3*: Setor Centro. Estão sendo abastecidas às ruas ou trechos de ruas do setor baixo, nas proximidades da Matriz de Santa Rita de Cássia, Mercado Público e Praça Coronel Ezequiel e adjacências

*Obs. A bomba 3 não tem funcionamento contínuo e só é ativada quando a vazão de água está maior que o normal e abastece sempre os setores mais baixos. A prioridade para abastecimento são as bombas 1 e 2.

Economize água, preserve a vida!
Assessoria de Comunicação Social

Bolsonaro aciona PGR para bloquear fundo partidário do PSL e tirar Bivar do comando


O presidente Jair Bolsonaro acionou nesta quarta-feira (30) a Procuradoria-Geral da República pedindo o bloqueio do fundo partidário de seu partido, o PSL. Ele pede ainda que o presidente da sigla, deputado Luciano Bivar (PE), seja afastado do cargo.
Bolsonaro também solicitou que seja aberta uma investigação para a “apuração dos indícios de ilegalidades” na movimentação do dinheiro que é repassado à legenda pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), “em nome da transparência, da moralidade e do resguardo e proteção do patrimônio público”.
O movimento do presidente acontece no momento em que a disputa interna no PSL ultrapassa a esfera partidária. As duas alas da sigla partem para uma ofensiva na Justiça pelo controle da legenda e do fundo partidário —que até o final de 2019 pode chegar a R$ 110 milhões.
Desde meados de outubro, o partido de Bolsonaro está dividido entre seus mais fieis aliados e uma ala dissidente, que apoia Bivar. A legenda tem a segunda maior bancada da Câmara, com 53 deputados.
Advogado do presidente, o ex-ministro do TSE Admar Gonzaga disse à Folha que o objetivo é que, por meio de uma ação civil pública, sejam apuradas a possibilidade de enriquecimento ilícito dos dirigentes da sigla e dano ao erário.
“É uma ação bastante robusta. Pedimos, inclusive, que ela seja remetida à Receita Federal para uma checagem dos documentos fiscais e de todos os gastos e despesas do partido”, afirmou.
A representação diz que o PSL tem apresentado suas contas ao TSE de “forma precária” e que, enquanto não for dada publicidade e transparência na prestação de contas da sigla, “o Poder Judiciário e a sociedade civil estarão sem mecanismos constitucionais e legais de fiscalização das verbas públicas destinadas ao partido”.
De acordo com a peça, ao não apresentar à Justiça Eleitoral todos os documentos contábeis, a direção do PSL indica “um comportamento próprio de quem atua para dificultar a análise e camuflar possíveis irregularidades, ou seja, discrepante da aparência de boa-fé que se espera daqueles que lidam com vultosos recursos públicos, conforme indicado na Constituição Federal e igualmente na Lei de Improbidade”.
A representação também é assinada pelo grupo de 23 parlamentares alinhados à Bolsonaro, entre os quais os filhos do presidente Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). Eles acusam a ala ligada a Luciano Bivar de administrar os recursos partidários numa “caixa-preta”.
O documento remetido ao procurador-geral da República, Augusto Aras, afirma que o PSL tem quase 100% de sua receita composta por recursos do fundo partidário e que eles “não podem ter outro destino que não o de serem aplicados, exclusivamente, na atividade partidária, sempre guardando obediência à
legalidade, à impessoalidade, à moralidade, à publicidade e à eficiência, que são princípios insculpidos no art. 37 da Constituição de Federal”.
Também nesta quarta, o PSL conseguiu derrubar uma liminar que travava completamente os processos de suspensão que o partido tinha aberto contra 19 de seus deputados, todos alinhados a Bolsonaro.
O juiz Alex Costa Oliveira acatou em parte o pedido apresentado pela defesa do PSL alegando que não faz mais sentido a suspensão completa dos processos.
Inicialmente ele havia concedido a trava, a pedido da ala bolsonarista, por entender que os deputados que são alvo não tinham condições de promover sua ampla defesa.
Diante da apresentação ao magistrado de que os parlamentares têm todas as informações para responder ao processo, o juiz entendeu que não é mais necessária a liminar concedida na semana passada. Após a nova decisão de Oliveira, o PSL fica proibido apenas de suspender os deputados sem que o processo tenha sido concluído.
“Não se justifica mais a manutenção da liminar deferida neste feito apenas em relação a tal fato, porque não há mais prejuízo ao direito de defesa, diante das novas notificações que serão realizadas. Ressalto que este juízo não pode impedir de forma indefinida o exercício do poder disciplinar do partido, que é previsto legalmente”, escreveu Oliveira.
O PSL abriu na terça-feira (22) passada um processo de suspensão de 19 deputados alinhados ao presidente Jair Bolsonaro. Pouco depois, porém, o grupo aliado a Bolsonaro conseguiu uma liminar (decisão provisória) para travar o andamento do caso.
A ordem do juiz Alex Costa de Oliveira, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, foi dada horas depois de a direção do partido, comandada pelo deputado Luciano Bivar (PE), formar o Conselho de Ética, órgão responsável pelos processos.
Entre os notificados está também o deputado Eduardo Bolsonaro (SP), filho do presidente da República, que está em embate com Bivar.
A decisão de Oliveira suspendeu processos disciplinares contra os parlamentares “por afronta ao direito de defesa e ao devido processo legal”. O juiz destacou ainda que parte das notificações entregue pelo partido aos deputados não estava completa.
A crise no PSL, que vem se alastrando na esteira das denúncias sobre o esquema de candidaturas laranjas nas eleições de 2018, ganhou proporções ainda maiores quando foi revelado um áudio do deputado Delegado Waldir (GO) chamando Jair Bolsonaro de “vagabundo”.
Bolsonaro, por sua vez, ameaça deixar a legenda e mede forças com o presidente da sigla, Luciano Bivar —que está envolvido em esquema de laranjas em Pernambuco.

Folhapress

Japão diz que Coreia do Norte teria lançado um míssil balístico


NHK
Lançamento de míssil pela Coreia do Norte - Agência ReutersO Ministério da Defesa do Japão disse hoje (31) que a Coreia do Norte lançou um míssil balístico ontem à tarde.
Informou, também, que é pouco provável que ele tenha caído na Zona Econômica Exclusiva japonesa no Mar do Japão.
A guarda costeira japonesa emitiu um alerta de navegação na quinta-feira, às 16h40 (horário do Japão), pedindo que embarcações navegando na região permaneçam atentas para mais informações.
Um novo alerta foi expedido dez minutos depois dizendo que o míssil aparentemente caiu fora da Zona Econômica Exclusiva do Japão.

Frota diz ter recebido ligação de Bolsonaro para reclamar após defender prisão de Queiroz

Em depoimento na CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) das Fake News nesta quarta-feira (30), o deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) disse ter recebido uma ligação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) momentos após discursar no plenário da Câmara defendendo a prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro.
A conversa teria ocorrido no dia 14 de fevereiro deste ano. Na manhã daquele dia, Frota subiu ao plenário e disse: “Eu também quero o Queiroz preso, e aí?”.
A declaração se deu em meio a críticas a partidos de oposição como PT e PSOL. O deputado concluiu o discurso com a frase: “E vou falar que laranja podre, no PSL, será esmagada”.
Nesta quarta, Frota disse que, logo depois do discurso, recebeu uma ligação do presidente.
O deputado afirmou que decidiu falar sobre Queiroz no plenário após o que qualificou como provocação do líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS).
“Ele aponta para o meio do grupo do PSL e fala: ‘Quero saber se vocês, depois de todas as notícias sobre o tal do Queiroz, se alguém vai subir e vai pedir a prisão do Queiroz’”, contou o congressista.
“Subi e pedi a prisão do Queiroz. Meu telefone tocou, era Jair Bolsonaro reclamando que eu teria no plenário pedido a prisão do Queiroz”, prosseguiu Frota, que autorizou a quebra de seu sigilo telefônico para comprovar a existência do diálogo.
O deputado disse que, na sequência, o filho mais velho do presidente, senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), o abraçou e disse: “Papai ficou chateado com você por você ter se expressado dessa maneira aqui no plenário”.
Em outro episódio, afirmou o deputado, Bolsonaro teria puxado Frota pelo braço em um evento e pedido para ele “calar essa matraca”. A cena foi registrada em vídeo, segundo o congressista.
Queiroz é pivô da investigação que foi conduzida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, sobre lavagem de dinheiro, peculato e organização criminosa no gabinete de Flávio no período em que ele foi deputado estadual.
Frota também comentou reportagem do Jornal Nacional divulgada na terça (29) com base no depoimento de um porteiro do condomínio onde o presidente tem casa no Rio.
Segundo reportagem, o ex-policial militar Élcio de Queiroz, suspeito de envolvimento no assassinato de Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes em março de 2018, disse na portaria que iria à casa de Bolsonaro, na época deputado federal, no dia do crime.
Os registros de presença da Câmara dos Deputados, no entanto, mostram que Bolsonaro estava em Brasília nesse dia.
Nesta quarta, o MP do Rio de Janeiro disse que há contradição no depoimento e a entrada teria sido autorizada por Ronnie Lessa, suspeito de executar a vereadora e o motorista.
“Fiquei estarrecido como todos. O Rio de Janeiro é minha cidade, cidade maravilhosa, as pessoas dizem ‘nossa, como o Rio é pequeno’. Eu jamais iria imaginar que o suspeito de matar Marielle morasse dentro do condomínio do Bolsonaro. Não poderia imaginar que o filho namorou a filha do Ronnie Lessa, sargento aposentado da Polícia Militar acusado pela morte da política”, disse.
FOLHAPRESS

Comando da PM no Estado desconhecia operação de policiais na Paraíba que acabou com PM paraibano morto

Os três policiais militares do Rio Grande do Norte envolvidos na morte do Cabo Edmo Lima Tavares, de 36 anos, na zona rural da cidade de Tacima, na Paraíba, foram afastados das atividades e um Inquérito Policial Militar (IPM) foi instaurado para apurar as circunstâncias do caso. O Coronel Alarico Azevedo, comandante da PM no RN, disse que não sabia da operação e que a atividade não  foi comunicada a PM da Paraíba, como deveria ser feito normalmente. O Coronel Euler Chaves, comandante da PM-PB, disse que os policiais estavam encapuzados.
“Independente de ser do serviço de inteligência ou ostensivo, todo deslocamento de um Estado para outro é feito um contato entre os comandantes gerais, como já fizemos anteriormente em várias outras ocorrências e operações. Não tive conhecimento por isso não mantive contato com o coronel Euler informando dessa operação, pedindo a autorização e um trabalho conjunto. Ele não tinha esse conhecimento”, disse o Coronel em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (30), na sede do Comando Geral da PMRN.
Os policiais militares foram até à Paraíba, à paisana, com o intuito de cumprir um mandado de justiça. Na ação, eles acabaram trocando tiros com um policial paraibano, de folga, que teria confundido os potiguares com bandidos. Ele foi atingido, levado a uma unidade de saúde, mas não resistiu.
TRIBUNA DO NORTE

E AGORA? Até o Suspeito de matar Marielle desmente porteiro de Bolsonaro

O ex-PM Élcio de Queiroz, um dos suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco, já havia negado a investigadores que tivesse citado a casa 58 para o porteiro quando visitou o condomínio em que vive Jair Bolsonaro, no Rio —o imóvel é do próprio presidente.
“Isso já havia sido esclarecido nos autos há bastante tempo. Ele foi à casa do Ronnie Lessa [outro suspeito do crime e vizinho de Bolsonaro]. Nunca disse na entrada que iria na casa do presidente”, diz o advogado Henrique Telles, que defende o ex-PM.
“O porteiro anotou o número errado da casa. O problema é dele”, segue Telles, afirmando que os investigadores mostraram a Élcio de Queiroz os registros da guarita do condomínio com o número 58 ao lado de seu nome. “Ele disse que estava errado.”
Na terça (29), o Jornal Nacional revelou que o porteiro não apenas anotou o número da casa de Bolsonaro nas planilhas —mas também afirmou ter interfonado para a residência e falado com o “Seu Jair”. Detalhe: o presidente estava em Brasília.
O próprio Ministério Público do Rio afirma que o porteiro mentiu.
MÔNICA BERGAMO

OAS: Léo Pinheiro aceita pagar R$ 45 milhões em acordo e ficará 5 anos em casa

O ex-presidente da empreiteira OAS Léo Pinheiro se comprometeu em seu acordo de colaboração com a Procuradoria-Geral da República a pagar R$ 45 milhões de compensação aos cofres públicos e a permanecer mais cinco anos em regime domiciliar.
Principal acusador do ex-presidente Lula no caso do tríplex de Guarujá (SP), que motivou a prisão do petista em 2018, o empresário deixou a cadeia em setembro e agora está em sua casa, na zona oeste de São Paulo, após seu compromisso de colaboração ter sido homologado no STF (Supremo Tribunal Federal).
Os termos acordados com o Ministério Público foram assinados no fim de 2018, mas só agora se tornaram públicos. A colaboração do empreiteiro já foi anexada na ação penal contra o ex-presidente da Câmara dos Deputados Marco Maia (PT-RS), que se tornou réu na semana passada no Paraná acusado de receber propina da OAS em uma CPI sobre a Petrobras.
Pelo acordo, Pinheiro precisa pagar R$ 20 milhões em até três meses após a homologação do acordo, ocorrida em setembro. Outros R$ 15 milhões serão pagos em dinheiro à medida que imóveis listados pelo colaborador forem sendo vendidos. Por fim, mais R$ 10 milhões serão pagos em um prazo de até oito anos.
Para que ele quite essa quantia, o Ministério Público o autorizou a incluir na relação propriedades de familiares, que concordaram em ceder esses bens.
O acordo estabelece que Pinheiro use tornozeleira eletrônica e só saia de casa em casos de emergência comunicados à Justiça. Ele também não poderá promover festas e eventos sociais, terá a cada semestre a possibilidade de sair de casa por dois dias não consecutivos e de fazer viagens nacionais por motivos de trabalho duas vezes ao ano.
Terá autorização para trabalhar na própria casa e para receber visitas de até 15 pessoas que listará à Justiça.
O prazo de permanência no regime domiciliar é de cinco anos e três meses. Desse período, devem ser descontados os cerca de três meses a que ele já ficou submetido a esse regime, em 2015.
Ainda assim, as restrições impostas ao ex-presidente da OAS são mais rigorosas do que as dirigidas a outros empreiteiros alvos da Lava Jato que delataram anteriormente. No acordo de Marcelo Odebrecht, por exemplo, ficou estabelecido que ele ficaria na cadeia por dois anos e meio e outros dois anos e meio em casa.
Pinheiro, somando os períodos de duas prisões, ficou detido por três anos e cinco meses no Paraná.
Os acordos na Lava Jato também têm a possibilidade de serem flexibilizados mais adiante caso a colaboração seja mais efetiva. Porém há cláusulas que preveem o rompimento, e a consequente volta à prisão, em caso de descumprimento. Isso acontecerá se o delator, por exemplo, mentir, se negar a fornecer documentos ou não quitar os valores acordados.
Ele também precisa ficar afastado por 15 anos de atividades profissionais que mantenham relações com agentes públicos ou que contratem o poder público.
Pinheiro vinha tentando há anos firmar um compromisso de colaboração e fez acusações contra políticos em depoimentos mesmo sem ter um acordo formal.
Em 2017, disse ao então juiz Sergio Moro que a reserva e reforma do tríplex de Guarujá havia sido descontada de uma espécie de conta-corrente de propinas com o PT com origem em contratos da Petrobras, declaração que foi fundamental para a condenação de Lula naquele ano.
O compromisso foi assinado pela ex-procuradora-geral Raquel Dodge, que deixou o cargo no mês passado.
Dodge divergiu de outros procuradores e decidiu descartar depoimentos do empreiteiro que mencionavam o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e um irmão do presidente do STF, Dias Toffoli.
Membros de um grupo da Lava Jato em Brasília chegaram a deixar seus cargos nas vésperas do fim do mandato da ex-procuradora-geral.
Folha mostrou entre agosto e setembro que, em seu acordo, Pinheiro cita autorização de pagamento ilícito para o atual vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), detalha suposta influência do ex-presidente Lula em negócios internacionais da OAS e ainda afirma que o ex-senador tucano Aloysio Nunes (SP) tinha papel de destaque em repasses para o PSDB. Os três negam ter cometido qualquer irregularidade.
Na ação penal da CPI da Petrobras no Paraná, comandada pelo juiz Luiz Bonat, Pinheiro não chegará a figurar entre o grupo de cinco acusados que viraram réus porque ele já atingiu o teto das penas somadas previsto no acordo.
A reportagem não conseguiu localizar os advogados de Marco Maia para comentar o assunto. Anteriormente, a defesa disse que o ex-deputado agiu pelo indiciamento dos alvos na CPI da Petrobras, em 2014, o que contradiz a tese de que houve corrupção para o não indiciamento.
FOLHAPRESS

Mourão diz que navio legal que ejetou combustível é provável culpado por óleo e investigação tá no fim

O presidente interino Hamilton Mourão afirmou que o presidente Jair Bolsonaro pode anunciar ainda nesta semana que navio causou o derramamento de óleo no litoral brasileiro.
O general da reserva se reuniu nesta quarta-feira (30) com o comandante da Marinha, Eduardo Bacellar. Após o encontro, disse que a investigação está na fase final.
“Temos uma boa chance”, disse. “A gente sempre aprende no quartel o seguinte: notícias boas é o comandante que dá. As ruins é o subcomandante. É assim que funciona”, ressaltou.
Segundo ele, o governo brasileiro chegou a um número de 11 navios que podem ter derramado combustível no litoral nordestino.
responsável pelo desastre ambiental, de acordo com o presidente interino, não estava com o transponder desligado. O equipamento de comunicação informa a posição da embarcação.
“Tem que cobrar, tem que multar. Existe uma legislação do mar, existe um sistema de alerta em relação ao meio ambiente. Qualquer navio que ocorra um acidente desta natureza tem que avisar. A legislação vai bater em cima dele”, afirmou.
Segundo Mourão, pelo que foi apurado até o momento, o navio responsável pelo derramamento não é ilegal e teria causado o incidente ao fazer uma ejeção de óleo para manter a estabilidade da embarcação.
“Eu acho que o cara fez uma ejeção de porão ali pela quantidade de óleo”, afirmou. “Se ele tá com problema de flutuação, de balanço, aí ele tira um pouco de óleo para ter estabilidade”, acrescentou.
Mourão lembrou que foram recolhidos até o momento 2.500 toneladas de óleo e que um um navio transporta cerca de 250 mil toneladas, o que representa um 1%.
Desde o dia 30 de agosto, as manchas de óleo já atingiram 283 localidades em 98 municípios dos nove estados do Nordeste.
FOLHAPRESS

Juíza diz que Lula pode ir ao semiaberto

A juíza da 12ª Vara Federal de Execuções Penais do Paraná, Carolina Lebbos, afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode progredir ao regime semiaberto para o cumprimento do restante da pena de 8 anos e 10 meses no caso triplex, mas decidiu aguardar uma decisão do Supremo Tribunal Federal sobre o caso. A força-tarefa da Operação Lava Jato havia pedido que o petista fosse para o semiaberto. A defesa, no entanto, insiste para que o requerimento seja indeferido.
A magistrada lembra que, na decisão em que foi barrada a transferência de Lula para o presídio de Tremembé, os ministros do Supremo Tribunal Federal resolveram ‘assegurar’  a Lula, ‘até ulterior deliberação, o direito de permanecer custodiado na sala reservada, instalada na referida Superintendência da Polícia Federal no Paraná, na qual atualmente se encontra’.
Para a magistrada, estão ‘preenchidos os requisitos legais, cabível a progressão ao regime semiaberto de cumprimento da pena privativa de liberdade’. No entanto, segundo ela, é ‘inviável a adoção, por ora, por este Juízo, das diligências aludidas acima, sob pena de afronta à determinação da Corte Superior’.
“Desse modo, em respeito à decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal, determino a expedição de Ofício ao E. Ministro Edson Fachin, Relator da PET n. 8.312, comunicando o reconhecimento do preenchimento dos requisitos para a progressão de regime, mantendo por ora o apenado no estabelecimento em que está cumprindo pena, até ulterior deliberação da Corte Superior. Anexe-se cópia desta decisão”, anota.
A juíza rebate o pedido da defesa do ex-presidente para que ele não vá ao semiaberto. Ela ressalta que ‘a progressão de regime não é uma faculdade do condenado, mas uma imposição legal, própria do sistema progressivo de penas adotado na legislação nacional’. “Não se cuida aqui de “transigir” ou de “barganhar” com o Estado”.
“No caso, sequer houve o apontamento de razões fáticas ou juridicamente relevantes a sustentar a simples recusa à progressão de regime. Os motivos invocados constituem, no estágio atual da ação penal que ensejou a execução penal, mero inconformismo com o reconhecimento da prática do ato ilícito penal e com a pena aplicada”, anotou.
Segundo a magistrada, ‘uma vez deferida a progressão ao regime prisional semiaberto deve-se verificar junto aos órgãos competentes a existência de vaga em estabelecimento adequado a tal regime’.
ESTADÃO CONTEÚDO

Delegado da Paraíba diz que PMs do RN devem ir a júri popular e responder por homicídio doloso

O delegado Diógenes Fernandes, responsável pelo caso do confronto envolvendo polícias militares do Rio Grande do Norte e da Paraíba, ocorrido na última terça-feira, 29, no município de Tacima, afirmou que os agentes potiguares envolvidos devem ir a júri popular, além de responderem por homicídio doloso, quando há intenção de matar. Diógenes comanda a seccional de Solânea, que atende Tacima.
Em contato com a reportagem, o delegado disse que a população está “consternada” com o fato, que resultou em uma troca de tiros e na morte do policial paraibano, Edmo Tavares, de 36 anos, na zona rural do município do agreste paraibana. “Era um policial exemplar”, lamentou Diógenes.
ENTENDA O CASO
Três policiais militares do Rio Grande do Norte – um subtenente, um sargento e um cabo – irão responder a inquéritos criminais, na esfera civil e militar, pela morte do policial militar paraibano Edmo Tavares. O PM da Paraíba morreu na tarde desta terça, 29, após uma troca de tiros no distrito de Cachoeirinha, zona rural de Tacima (PB).
Segundo a PM do RN, as armas dos três policiais militares foram apreendidas pela Polícia Civil da Paraíba. Após serem ouvidos em depoimento, eles foram liberados e já retornaram a Nova Cruz, na região Agreste potiguar, onde são lotados.
Os três também foram afastados de suas atividades de policiamento e, enquanto durar as investigações, devem ficar atuando apenas administrativamente.
Assessor de imprensa da PM do RN, o tenente-coronel Eduardo Franco revelou ao Agora RN que o subtenente, o sargento e o cabo relataram que foram à Paraíba dar cumprimento a um mandado de prisão contra um foragido da Justiça. “Eles localizaram o alvo, o abordaram e o prenderam. Porém, durante a ação, o policial paraibano, que estava em um carro próximo, teria visto os três homens armados e achou que eles eram criminosos, uma vez que eles estavam à paisana, descaracterizados”, ressaltou.
“Os três disseram ainda que o policial paraibano atirou contra o grupo. Como o policial paraibano também não estava fardado, os três PMs atiraram de volta”, acrescentou Eduardo Franco.
Ainda de acordo com o oficial, o policial paraibano ainda tentou fugir e acabou batendo o carro. “Ele ainda foi socorrido ao hospital e teve a arma apreendida. Depois foi que descobrimos que se tratava de um policial militar”, destacou Franco.
Edmo era policial militar há 10 anos e trabalhava no batalhão do município de Picuí, no interior da Paraíba.
AGORA RN

Fiat Chrysler e Peugeot podem anunciar fusão de US$ 50 bilhões nesta quinta-feira

Fiat Chrysler e a controladora da montadora francesa Peugeot, PSA, confirmaram nesta quarta-feira negociações sobre uma potencial aliança que pode criar um grupo automotivo de 50 bilhões de dólares e uma fonte afirmou à Reuters que um acordo pode ser anunciado na quinta-feira.
Os dois grupos afirmaram em comunicados separados que estão em discussões direcionadas a criar uma das maiores montadoras de veículos do mundo, melhor posicionada para lidar com custos de desenvolvimento de tecnologias como direção autônoma e eletrificação e regulamentos mais estritos sobre emissões de poluentes.
Um acordo pode ser anunciado já na quinta-feira, afirmou uma fonte a par do assunto. Representante da Fiat Chrysler não comentou o assunto.
Depois de desistir de uma fusão com a Renault em junho, o presidente do conselho de administração da Fiat Chrysler, John Elkann, confirmou a tentativa do grupo ítalo-americano de buscar uma aliança alternativa.
As ações da Fiat Chrysler listadas em Milão dispararam mais de 10 por cento nesta quarta-feira, após subirem mais de 7 por cento na terça-feira em Nova York. As ações da Peugeot subiram mais de 6 por cento e atingiram ponto mais alto em mais de 11 anos.
O analista Richard Hilgert, da Morningstar, afirmou em relatório que os volumes de vendas da Fiat Chrysler e da Peugeot, incluindo parcerias na China, somam 8,7 milhões de veículos. Esse volume deixa o grupo combinado na quarta posição entre as maiores montadoras do mundo, atrás de Volkswagen, Toyota e da aliança Renault/Nissan, cada um com vendas de mais de 10 milhões de veículos.
“Vemos a combinação destas duas companhias como razoável dada a competição global, alto nível de investimento e avanços como eletrificação e tecnologias de direção autônoma”, disse Hilgert.
O governo francês está acompanhando de perto as negociações. Paris tem uma participação de 12 por cento na PSA por meio do banco BPI.
O ministro da Indústria da Itália, Stefano Patuanelli, disse nesta quarta-feira que Roma, que não tem participação na Fiat Chrysler, está acompanhando as discussões entre os dois grupos, mas evitou comentar o que chamou de “operação de mercado”.
A Fiat Chrysler, controlada pela Exor, holding da família italiana Agnelli, discutiu mais cedo neste ano uma combinação com a Peugeot, antes de fazer uma oferta de 35 bilhões de dólares para fusão com a Renault.
Na época, a Fiat Chrysler afirmou que um acordo com a Renault seria mais vantajoso que uma combinação com a Peugeot, mas a família Agnelli rompeu as negociações depois que o governo francês interveio e pressionou a Renault a primeiro resolver suas brigas com a parceira japonesa Nissan.
Além dos 12 por cento da PSA nas mãos do governo francês, a família Peugeot e o governo da China possuem participações similares na holding.
O conselho de administração da PSA deve se reunir nesta quarta-feira para discutir o potencial acordo, disseram duas fontes próximas do assunto.
ESTADÃO CONTEÚDO

Twitter vai passar a proibir todos os tipos de propaganda política

NHK (emissora pública de televisão do Japão) Tóquio
O microblog Twitter anunciou que vai passar a proibir todos os tipos de propaganda política em todo o mundo a partir de novembro.
A decisão foi tuitada pelo diretor Jack Dorsey. Ele disse que a proibição de todos os tipos de propaganda política paga passará a valer do dia 22 de novembro em diante, mas algumas exceções, como, por exemplo, anúncios em apoio ao recenseamento eleitoral, ainda serão permitidas.
O Twitter adotou a medida em meio às crescentes críticas de que anúncios pagos em redes sociais provocam campanhas de difamação e que muitos deles contêm equívocos ou informações falsas.
A medida contrasta com o Facebook, que afirmou que não vai proibir propagandas políticas e nem vai verificar o conteúdo de anúncios de políticos.

Alta do nível do mar pode afetar mais de 1 milhão de brasileiros nos próximos anos

Projeções indicam que, até 2050, as terras onde hoje vivem 1,4 milhão de brasileiros sofrerão riscos de inundações anuais, e 1 milhão de pessoas do país vivem em locais que poderão ficar permanentemente submersos com o aumento do nível do mar.
A conclusão foi publicada na prestigiosa revista científica Nature Communications nesta terça (29). O estudo aponta que a alta do nível do mar fará com que, até 2050, locais em que vivem pelo menos 300 milhões de pessoas em todo o mundo estarão sob risco de inundações crônicas. Até 2100, as terras que abrigam cerca de 200 milhões de pessoas podem ser permanentemente submersas.
A estimativa foi feita por meio da plataforma Coastal Risk Screening Tool (Ferramenta de Rastreio de Risco Costeiro, em português), do Climate Central —uma ONG de pesquisadores e jornalistas dedicados a estudar as mudanças climáticas.
Scott Kulp, principal autor do estudo e cientista do Climate Central, afirmou que as mudanças climáticas têm o potencial de remodelar cidades, economias, litorais e regiões globais inteiras durante a nossa vida.
“O Brasil e outras nações costeiras só terão tempo suficiente para planejar e construir sistemas de proteção caso a velocidade de elevação do nível do mar seja reduzida pela redução de emissão de gases do efeito estufa”, disse à Folha por email.
José Marengo, coordenador-geral de pesquisa do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), em São José dos Campos (SP), e que não esteve envolvido no estudo, afirma que muitas áreas do país já estão vulneráveis.
“Em Santos, por exemplo, a prefeitura comprou casas e realocou pessoas. A vulnerabilidade existe. No futuro, com todas essas projeções, se houver constância no combate às emissões de gases do efeito estufa, o risco será menor”, diz.
Marengo e colegas estudaram, entre 2013 e 2017, os impactos das mudanças climáticas em três cidades costeiras: Santos (SP), Broward, na Flórida (EUA), e Selsey, no Reino Unido.
Os resultados apontaram que dois bairros da cidade paulista — um mais rico e turístico e o outro mais pobre —são igualmente vulneráveis a eventos extremos oriundos das mudanças climáticas, como as fortes ressacas, que são cada vez mais comuns e provocam danos à infraestrutura pública e privada.
Mas, segundo Marengo, o Brasil tem poucas instalações capazes de fazer medições do nível do mar apesar de o país ter um extenso litoral e muitas áreas de risco. Sem dados, avaliar a vulnerabilidade do país torna-se uma missão quase impossível.
Outros países sob grande risco de inundações são China, Bangladesh, Índia, Vietnã, Indonésia e Tailândia. Mais de dois terços da população sob risco estão nesses países.
FOLHAPRESS

Loterias da Caixa poderão ter preços reajustados a partir de janeiro

Brasília - O Caminhão da Sorte da Caixa sorteia o concurso 1.986 da Mega-Sena, valendo um prêmio de R$19 milhões, em Samambaia, cidade-satélite de Brasília (Wilson Dias/Agência Brasil)O Ministério da Economia autorizou a Caixa Econômica Federal a reajustar, a partir de 1º de Janeiro de 2020, os preços de suas loterias, conforme portaria nº 8.061 da Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria, da Secretaria Especial de Fazenda, do Ministério da Economia, publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (31). A Mega-Sena, cuja a aposta simples, com seis dezenas marcadas, o apostador paga atualmente R$ 3,50, passará para R$ 4,50.

Novos preços
Dupla-sena: a aposta simples, ou mínima, passa a custar R$ 2,50
Lotofácil: a aposta simples, ou mínima, passa a custar R$ 2,50
Lotomania: a aposta única passa a custar R$ 2,50
Quina: a aposta simples, ou mínima, passa a custar R$ 2
Os jogos de prognósticos esportivos serão também majorados:
Loteca: a aposta simples, ou mínima, passa a custar R$ 1,50, passando, em consequência, a aposta múltipla mínima obrigatória, que compreende um prognóstico duplo, a custar R$ 3.
Lotogol: a aposta simples, ou mínima, passa a custar R$ 1,50.
Timemania: a aposta única passa a custar R$ 3.
De acordo com a portaria, a cobrança de novo preço somente poderá a ser feita após divulgação ostensiva nos veículos de comunicação do país e também pela internet, com antecedência mínima de três dias úteis da data de início da cobrança.

Sociedade de Dermatologia divulga orientações sobre manchas de óleo

Jonas Valente
A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) divulgou hoje (31) um conjunto de orientações sobre os riscos do contato com as manchas de óleo que chegaram às praias do Nordeste e formas de lidar com elas para quem entrou em contato com a substância.
As recomendações visam contribuir para evitar problemas de saúde relacionados à pele, uma vez que milhares de voluntários estão atuando nas praias no apoio às ações de retirada das manchas de óleo, que já atingiram até agora mais de 260 localidades, segundo o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).
A entidade recebeu relatos de complicações de saúde sofridas por voluntários em algumas localidades do país. Em Pernambuco, apenas um hospital atendeu 17 pessoas em uma semana com sinais de intoxicação após contato com óleo.
Segundo a médica dermatologista e membro da SBD Rosana Lazzarini, os cuidados são necessários, pois o contato com o óleo é perigoso e muitas vezes as medidas para lidar com eles e retirá-los do corpo empregadas pelos voluntários podem aprofundar os efeitos negativos sobre a saúde.
“É preciso evitar o máximo possível o contato com o óleo. E uma coisa muito importante é não usar os solventes para tirar este óleo, que é a tendência mais natural. Pessoas podem correr atrás de uma querosene, ou mesmo gasolina, para tirar o óleo. Isso acaba piorando a situação”, explicou Rosana Lazzarini.
Outra preocupação da SBD é com o uso de luvas de borracha por quem toca o óleo. Embora o contato em si deva ser evitado, caso ele ocorra devem ser utilizados equipamentos de outro material, nitrila.
A médica reforçou que essas recomendações são importantes dada a quantidade de pessoas que manejaram a substância nas últimas semanas.
“Pessoas não pensam muito nos danos que podem ter. A SBD está preocupada em como a população está entrando em contato com isso, sem proteção nenhuma ou com proteção ineficaz”, acrescentou.
Recomendações médicas Pessoas com dúvida sobre o tema podem recorrer ao Centro de Informações Toxicológicas do Ministério da Saúde, pelo telefone 0800 722 6001.Veja abaixo as recomendações da Sociedade Brasileira de Dermatologia:
Como se preparar para atuar na limpeza das praias? Se houver a necessidade de contato com o óleo derramados nas praias, utilize equipamentos de proteção, como óculos, luvas e roupas que cobrem membros superiores e inferiores (mangas compridas e calças).
As luvas mais apropriadas são as de nitrila - ao invés das de borracha - , pois apresentam melhor proteção contra óleos, graxas e petróleo. A lavagem imediata após o contato é importante, embora nessas situações nem sempre seja possível.
E se a pele entrar em contato com o óleo cru? Caso, mesmo com uso de roupas adequadas, ocorra o contato com a pele ela deve ser lavada com água e sabão.
A aplicação de óleos para bebês, geleia de vaselina ou até mesmo pastas utilizadas por metalúrgicos para remover óleos e graxas facilita a remoção dos resquícios de óleo.
Após a remoção, a aplicação de cremes ou loções hidratantes é importante para melhorar as condições da pele.
Não tente retirar o óleo com o uso de solventes (aguarrás, thinner, óleo diesel, querosene ou gasolina). O efeito do contato com esses produtos aumenta o processo irritativo, piorando a dermatite de contato.
Quais ações de prevenção?    Evite o contato direto com o óleo, especialmente gestantes e crianças.
Observe as orientações da vigilância sanitária para o consumo de alimentos, como peixes e mariscos, provenientes das áreas afetadas.
Não inale vapores gerados pelo óleo.
Use protetor solar de amplo espectro, com FPS de no mínimo 30.
Em caso de contato com óleo cru, quais os sintomas? Na fase aguda as reações mais comuns são:
 Sintomas respiratórios, como: irritação e dor de garganta, tosse, respiração mais difícil e coriza
  Irritação e dor nos olhos, coceira e olhos vermelhos
  Dor de cabeça
  Pele irritada e vermelha
  Náusea
  Tonturas
   Fadiga
   Ferimentos e traumas

Explosão deixa dezenas de mortos em comboio no Paquistão

RTP* ISLAMABAD
Pelo menos 73 pessoas morreram na explosão de um comboio que viajava entre Karachi e Rawalpindi, no Paquistão. A maioria das vítimas teria morrido ao saltar do comboio em movimento para fugir das chamas. O primeiro-ministro já determinou a abertura de inquérito para apurar as causas do incêndio.
As primeiras informações são de que dois fogões a gás causaram a explosão, que ocorreu quando alguns passageiros preparavam o almoço no comboio em movimento, disse o ministro dos Transportes Ferroviários paquistanês, Sheikh Rashid Ahmad. As chamas ganharam ainda mais força por haver querosene a bordo.
A viagem do Tezgam Express durava 25 horas e meia. Passageiros transportam fogões para cozinhar nessas longas viagens, um problema comum,  diz o ministro.
O balanço preliminar do acidente indica mais de 70 mortos e 40 feridos. Os números ainda podem aumentar, admitem as autoridades.
No total, três comboios foram consumidos pelas chamas. A bordo desses vagões estariam cerca de 200 pessoas, a maioria peregrinos que iriam participar de um dos principais encontros religiosos anuais do Paquistão.
Apesar da versão oficial sobre as causas do incêndio, alguns sobreviventes mencionaram um curto-circuito a bordo, que poderia ter iniciado o fogo, de acordo com a BBC.

O primeiro-ministro paquistanês Imran Khan afirmou estar entristecido com “essa terrível tragédia”, acrescentando que já pediu um “inquérito imediato”.
O Paquistão tem um histórico de acidentes ferroviários. Este é o mais grave da última década. Em 2007, pelo menos 56 pessoas morreram num acidente em Mehrabpur. Em 2005, mais de 130 pessoas perderam a vida na sequência de uma colisão entre três comboios, na província de Sindh.

Grêmio vence Vasco fora de casa e chega ao G6

Rafael Monteiro
O Grêmio venceu o Vasco por 3 a 1, nesta quarta-feira (30), em São Januário, no Rio de Janeiro, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. No primeiro tempo o volante Guarín abriu o placar, aos nove minutos. O atacante Pepê, aos 33, marcou e deixou tudo igual. Na segunda etapa o Tricolor gaúcho virou com gols dos atacantes Everton, aos oito minutos e Luciano fechou o placar aos 22,  numa cobrança de pênalti,
Com o resultado, o clube carioca se mantém na 11° posição, com 38 pontos, Já os gaúchos chegaram ao G6, com 47, e subiram para a quinta colocação. Até o final da rodada o Grêmio está garantido na zona de classificação para a Libertadores em 2020, porém pode cair para sexto na tabela. Para isso não acontecer vai ter que torcer para o Internacional não vencer o Athletico-PR, nesta quinta-feira(31), às 21h30m (horário de Brasília), no Beira Rio, em Porto Alegre.
O próximo compromisso do Vasco é contra o Fluminense, no sábado (2 de novembro), às 19h, no Maracanã. O Grêmio também terá clássico pela frente na próxima rodada. No domingo (3), encara o Internacional, na Arena do Grêmio, às 18h, em Porto Alegre.

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Pesquisa mostra que transporte público coletivo gratuito é possível

Camila Boehm
Moradores do Residencial Nova Jerusalém fazem protesto e fecham o Eixo Monumental. A manifestação causou um enorme congestionamento no trânsito da cidade (Antonio Cruz/Agência Brasil)A oferta de transporte público coletivo gratuito ou com tarifas reduzidas é possível, de acordo com o estudo Financiamento Extratarifário da Operação dos Serviços de Transporte Público Urbano no Brasil, produzido pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc).
O estudo demonstra como é possível criar fontes de recursos diferentes para subsidiar os gastos da população com ônibus, trem e metrô. Hoje os usuários arcam com quase 90% da receita do sistema de transporte público urbano no Brasil. Segundo o instituto, há estados, como São Paulo e Distrito Federal, que utilizam algum tipo de subsídio público, mas eles são exceções.  
O documento foi escrito pelo especialista em mobilidade urbana Carlos Henrique de Carvalho e as conclusões serão apresentadas hoje (30), às 15h30, durante audiência pública na Câmara dos Deputados que trata da regulamentação do transporte como direito social.
“O transporte é um direito assim como a saúde e a educação. E assim como a saúde e a educação, ele tem que ser bancado por impostos. Além disso, o transporte é aquele que faz com que as pessoas acessem os outros direitos, porque em um país tão desigual quanto o nosso, se as pessoas não tem condição de pagar a tarifa, elas não acessam hospital, não acessam escola pública, não acessam o centro da cidade para procurar emprego”, disse Cleo Manhas, assessora política do Inesc.

Emenda Constitucional
Em 2015, foi aprovada a Emenda Constitucional 90, de autoria da deputada federal Luiza Erundina (PSOL-SP), que inclui o transporte como direito social, assim como são a saúde e a educação. No entanto, é necessário que haja a regulamentação para que a emenda comece a valer. A proposta do fundo é que o sistema funcione com outras fontes de financiamento que não a tarifa, utilizando essa lógica do transporte como direito.
“É muito importante que os parlamentares tomem conhecimento e que esse projeto vingue, porque a gente precisa regulamentar o direito social ao transporte. E principalmente porque a gente precisa ver o transporte como direito e não como uma mercadoria”, disse Cleo.
A assessora explicou que os custos do sistema de transporte seriam pagos com impostos que já existem. “Não é a criação de nenhum imposto novo, eles já existem e são todos ligados à mobilidade urbana, teriam pequenos acréscimos de tarifa na gasolina, no Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), no  Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Teríamos a [arrecadação da] mobilidade por transporte individual motorizado contribuindo para o transporte público urbano”, disse Cleo. Além disso, haveria recursos do estado e arrecadação na iniciativa privada.
As justificativas do estudo para a escolha dessas receitas são: quem tem imóveis em regiões valorizadas pela oferta de ônibus e metrô no local deve pagar um IPTU maior; donos de automóveis aceitariam um aumento no IPVA, pois com mais gente migrando para um transporte coletivo barato, menos trânsito terão no seu trajeto.
O estado, que abrirá mão de uma pequena parte da arrecadação com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), cumprirá seu papel social e os empresários devem participar do rateio, porque recebem em contrapartida o aumento na circulação de potenciais clientes pela cidade, além de reduzir ou zerar o valor pago em vale-transporte aos seus funcionários.
Custo do sistema
O Metrô do Distrito Federal é um sistema de metropolitano que opera em 6 regiões administrativas do Distrito Federal brasileiro. É operado pela Companhia do Metropolitano do Distrito Federal.Segundo o estudo, atualmente, o transporte coletivo no país se mantém com R$ 59 bilhões ao ano, sendo que 89,8% (R$ 52,9 bi) vem de tarifas cobradas dos passageiros. Os incentivos públicos representam 10,2% desse montante, enquanto as receitas não tarifárias (publicidade, por exemplo) correspondem a R$ 375 mil. 
“Para chegar na tarifa zero, nós teremos que ter um fundo de cerca de R$ 70,8 bilhões, isso em termos de políticas públicas e de orçamento público juntando União, estados e municípios, não é um número assustador, não é muito [dinheiro] e é muito viável”, avaliou Cleo.
O estudo apresenta três cenários: no primeiro, haveria redução da tarifa de transporte em 30%; no segundo, a redução chegaria a 60%; e no terceiro cenário a tarifa teria custo zero. Para isso, os valores do IPVA aumentariam de 6% a 20%; o IPTU, de 4% a 11%; o combustível, de 10% a 53%; e a arrecadação com empregadores de 3,9% a 8,9%. O Inesc ressalta que a arrecadação dos recursos ocorreria de maneira progressiva, ou seja, quem tem maior renda paga mais.
“As pessoas vão dizer o seguinte 'vai onerar as pessoas que usam e que não usam transporte público urbano', mas hoje, por exemplo, a infraestrutura para transporte individual motorizado, que é o maior gasto dos orçamentos público com mobilidade, quem paga isso são os impostos de todas as pessoas, proprietários usuários ou não do transporte individual motorizado. E isso não é visto como uma coisa absurda”, disse Cleo.
Benefícios
A assessora diz que a população como um todo se beneficia da redução de tarifa do transporte público por diversos motivos, seja pela redução do número de automóveis nas vias, seja porque leva as pessoas para trabalhar. “Da mesma forma que os impostos bancam a infraestrutura para automóveis, pode também financiar o sistema de transporte público urbano”.
Segundo o estudo, o prejuízo econômico gerado pelos ônibus – a poluição, os danos ambientais e os acidentes – é de R$ 16,6 bilhões por ano, já a circulação de carros e motos provoca uma perda oito vezes maior (R$ 137,8 bilhões). “Não faz sentido só os passageiros sustentarem o transporte coletivo, quando cada ônibus consegue tirar 50 carros da rua, e uma composição de metrô elimina 800 automóveis das vias públicas”, disse Cleo.

Citação a Bolsonaro pode levar caso Marielle ao STF


A Polícia Civil do Rio de Janeiro teve acesso ao caderno de visitas do condomínio Vivendas da Barra, na Zona Oeste do Rio, onde tem casa o presidente Jair Bolsonaro e o ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle Franco.
No dia 14 março de 2018, horas antes do crime, o ex-PM Élcio Queiroz, outro suspeito do crime, anunciou na portaria do condomínio que iria visitar Jair Bolsonaro e acabou indo até a casa de Lessa, informou o Jornal Nacional nesta terça-feira na chamada de abertura.
Segundo o jornal, a citação a Bolsonaro pode levar a investigação da morte de Marielle ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo fato de o presidente ter foro privilegiado – na época, ele era deputado federal.

Veja

Hungria e Austrália empatam na Copa do Mundo sub-17

Hungria e Austrália empataram em 2 a 2 em jogo válido pela segunda rodada do grupo B da Copa do Mundo de futebol sub-17. Com o resultado desta partida, realizada no estádio Olímpico de Goiânia (GO), as duas equipes ficam em situação complicada para buscar a classificação para a próxima fase.
O jogo
A Hungria não teve dificuldades, e abriu o placar logo aos 13 minutos de partida. Após cobrança de falta, o meia Barath faz de cabeça.
Aos 18 minutos o árbitro marca pênalti com auxílio do árbitro de vídeo (VAR). O atacante Zuigeber bate com segurança para vencer o goleiro adversário.
Mas no segundo tempo a partida mudou completamente de figura, a Austrália marcou duas vezes para empatar o marcador.
Primeiro, aos 23 minutos, quando o juiz marcou pênalti a favor da Austrália. O atacante Botic cobrou com categoria para descontar.
O gol de empate veio aos 28 minutos, quando o meia Watts recebe passe longo e bate na saída do goleiro.
Com este empate tanto Hungria como Austrália ficam com 1 ponto na classificação do grupo B. Quem lidera a chave é a Nigéria, que tem 6 pontos, e o Equador é o segundo, com 3 pontos.
Próxima rodada
Na próxima rodada a Austrália pega a forte Nigéria, enquanto a Hungria enfrenta o Equador.

Brasil se classifica no Mundial Sub-17 com vitória sobre Nova Zelândia

Carlos Molinari
Brasil e Nova Zelândia jogam no estádio BezerrãoFoi um pouco mais difícil do que o esperado, mas a Seleção Brasileira Sub-17 alcançou seu objetivo: venceu os neozelandeses por 3 a 0, mesmo atuando boa parte do tempo com um jogador a menos. Com seis pontos no Grupo A, a vaga às oitavas de final está carimbada. 
Logo aos 4 minutos, o Brasil perdeu a primeira chance clara de gol. Cruzamento rasteiro para a pequena área, Kaio Jorge chutou desequilibrado e mandou para fora em um lance que tinha tudo para ter um final mais feliz. 
Aos 20 minutos, a jogada se repetiu. O ponta-direita Veron invadiu a área, cruzou rasteiro e desta vez, Kaio Jorge – promessa do Santos - não perdoou: Brasil 1 a 0. 
A partir daí, o domínio brasileiro foi total e a seleção desperdiçou, pelo menos, uma chance de marcar, que parou nas mãos do goleiro Paulsen.
Em um lance infantil, o lateral-direito Yan Couto – atleta do Coritiba - pisou nas pernas de um neozelandês no meio-campo. O árbitro Mário Escobar não titubeou e deu cartão vermelho direto para o brasileiro, desfalcando o time aos 42 minutos do 1º tempo.

No 2º tempo, com um a menos, o Brasil penou. Aos 4 minutos, Garbett arriscou de fora da área e a bola passou muito perto da meta verde e amarela. Aos 7, Garbett tentou novamente de longe, desta vez o goleiro Matheus defendeu sem dar rebote. 
Aos 9 minutos, em um cruzamento rasteiro para a área, Van Hattum se antecipou e mandou para fora, perdendo uma chance incrível para a Nova Zelândia. Aos 16, foi a vez de Randall perder outro gol. Ele recebeu na área, virou o corpo e chutou para fora.

O Brasil alcançou o segundo gol aos 36 minutos, graças a um erro do goleiro Paulsen, que tentou dominar na frente de Talles Magno. O craque brasileiro, roubou a bola e marcou o seu primeiro gol neste mundial.
Com a Nova Zelândia desnorteada, o Brasil chegou ao terceiro gol em outra falha, desta vez da linha defensiva, que cruzou uma bola em frente a área. Erro grave. Diego pegou, partiu em velocidade e fuzilou o goleiro Paulsen. 
A vitória por 3 a 0 fez a festa dos 14 mil torcedores que lotaram o Bezerrão. A seleção enfrentará no
próximo jogo a seleção angolana, outra equipe já classificada para as oitavas de final. A partida será em Goiânia, sexta-feira às 20 h. O Brasil tem a vantagem do empate por ser o primeiro lugar do Grupo A, por ter melhor saldo de gols. 
Ficha técnica:
BRASIL 3 x 0 NOVA ZELÂNDIA
Competição: Mundial Sub-17 (Primeira Fase – Grupo A)
Local: Estádio Bezerrão, Gama (DF)
Juiz: Mário Escobar (Guatemala)
Público: 14.158
Brasil: Matheus Donelli, Yan Couto, Henri, Luan Patrick e Patryck; Daniel Cabral, Talles Costa (Garcia) e Peglow (Sandry); Veron, Kaio Jorge (Diego) e Talles Magno. T: Guilherme Dalla Dea.
Nova Zelândia: Paulsen, Naicker, Simpkin, Hillis (Wilson) e Strong; Hamilton (Jelacic), Stamenic, Bark (Lobo) e Randall; Garbett e Van Hattum. T: José Figueira.
Gol: 1º tempo: Kaio Jorge (20). 2º tempo: Talles Magno (36) e Diego (45).

Mega-Sena sorteia hoje prêmio acumulado de R$ 35 milhões

Mega-Sena, loterias, lotéricasA Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira (30) o prêmio acumulado de R$ 35 milhões.
As seis dezenas do Concurso 2.203 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário do Tietê, na cidade de São Paulo. O sorteio é aberto ao público.
De acordo com a Caixa, caso aplicado na poupança, o prêmio principal poderia render mais de R$ 103 mil por mês.
As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país. O bilhete simples, com seis dezenas marcadas, custa R$ 3,50.

Veja como tirar nota mil na redação do Enem

Mariana Tokarnia
exame_do_enem_2015.jpgRedações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que tiraram a nota máxima têm pelo menos seis pontos em comum: demonstram domínio da modalidade escrita formal, respeitam os direitos humanos, têm proposta de intervenção para o problema apresentado no tema, têm repertório sociocultural, atendem ao tipo textual dissertativo-argumentativo e apresentam as características textuais fundamentais, como coesão e coerência. 
Esses foram os aspectos destacados por especialistas do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) que comentaram sete redações que tiraram a nota mil no Enem 2018. O tema do ano passado foi Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet. 
As redações nota mil e os comentários dos especialistas estão na Cartilha do Participante, disponível no site do Inep. A prova de redação do Enem 2019 será aplicada neste domingo (3) para cerca de 5,1 milhões de candidatos inscritos no exame. Além da redação, eles farão as provas de ciências humanas e linguagens. 
A cartilha traz também exemplos de trechos que fizeram com que os participantes zerassem as competências analisadas pelos corretores. Cada uma das cinco competências vale 200 pontos. 
Um dos quesitos é respeito aos direitos humanos. De acordo com o Inep, são consideradas desrespeito aos direitos humanos propostas que incitam as pessoas à violência, ou seja, aquelas em que transparece a ação de indivíduos na administração da punição – por exemplo, as que defendem a “justiça com as próprias mãos”. 
No ano passado, zeraram essa competência os textos que incitavam tortura e cárcere privado a pessoas que faziam o uso do controle de dados para a manipulação, que promoviam censura e vigilância em massa, que impediam a liberdade de acesso à informação e comunicação de qualquer pessoa ou grupo e que negavam direitos humanos a qualquer pessoa.
Algumas dicas, de acordo com a cartilha, são importantes para ir bem na prova. O Inep aconselha: "Procure escrever sua redação com letra legível, para evitar dúvidas no momento da avaliação. Redação com letra ilegível poderá não ser avaliada".

Correção da prova
Cada redação será corrigida por duas pessoas. Eles darão notas de 0 a 200 para cada uma das cinco competências avaliadas no Enem. A nota final será a média aritmética das duas notas. 
Caso haja uma diferença entre as notas de mais de 100 pontos na nota final ou de mais de 80 pontos em qualquer uma das competências, a redação passará por um terceiro avaliador.
Se a diferença entre as notas dadas se mantiver, a redação será avaliada por uma banca presencial composta por três professores, que definirá a nota final do participante. 
As cinco competências avaliadas na redação do Enem são: 
1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa.
2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa. 
3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 
4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 
5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Motivos para zerar a redação
A nota zero na redação impede o candidato de participar de processos seletivos do Ministério da Educação (MEC) como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que seleciona estudantes para vagas em universidades públicas, e o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudos em instituições privadas de ensino superior, e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). 
De acordo com o Inep, a redação receberá nota zero se apresentar uma das características a seguir: fuga total ao tema, não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa, texto de até sete linhas, cópia integral de textos da prova de redação ou do caderno de questões,  impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação em qualquer parte da folha de redação, números ou sinais gráficos fora do texto e sem função clara ou parte deliberadamente desconectada do tema proposto.

Veja os temas da redação de edições anteriores
Enem 2009: O indivíduo frente à ética nacional
Enem 2010: O trabalho na construção da dignidade humana
Enem 2011:  Viver em rede no século XXI: Os limites entre o público e o privado
Enem 2012: O movimento imigratório para o Brasil no século XXI
Enem 2013:  Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil
Enem 2014: Publicidade infantil em questão no Brasil
Enem 2015: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira
Enem 2016: Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil e Caminhos para combater o racismo no Brasil - Neste ano houve duas aplicações do exame.
Enem 2017: Desafios para formação educacional de surdos no Brasil
Enem 2018: Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet
Mais informações na TV Brasil:

Festa na Califórnia termina com pelo menos 3 mortos e 9 feridos

RTP (emissora pública de televisão de Portugal) Long Beach
Pelo menos três pessoas morreram hoje (30) e nove ficaram feridas na sequência de um tiroteio em Long Beach, na Califórnia, nos Estados Unidos, numa aparente festa de Halloween, segundo a polícia.
O alerta para o tiroteio foi dado esta madrugada. As três vítimas mortas são homens e os nove feridos foram transportados para hospitais.
De acordo com testemunhas ouvidas pela emissora local CBS, o tiroteio ocorreu durante uma festa de Halloween e autoridades de Long Beach já implantaram um vasto dispositivo de emergência nas imediações.
Até ao momento, não houve detenções relacionadas com o tiroteio.

PEGOU FOGO: Citado no caso Marielle, Bolsonaro dispara contra Globo e Governador Witzel e faz ameaças

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) reagiu à citação de seu nome na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e, em tom irritado e agressivo, fez uma transmissão em redes sociais na qual atacou a TV Globo e o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).
Em viagem à Arábia Saudita, Bolsonaro acordou na madrugada de quarta-feira (30), noite de terça-feira (29) no Brasil, para responder a uma reportagem do Jornal Nacional, baseada no depoimento à Polícia Civil de um porteiro do condomínio onde o presidente tem casa no Rio de Janeiro.
Segundo a reportagem, o ex-policial militar Élcio Queiroz, suspeito de envolvimento no assassinato de Marielle e do motorista Anderson Gomes em março de 2018, disse na portaria que iria à casa de Jair Bolsonaro, na época deputado federal, no dia do crime. Os registros de presença da Câmara dos Deputados, no entanto, mostram que Bolsonaro estava em Brasília nesse dia.
Além de negar envolvimento no assassinato da vereadora, Bolsonaro chamou o governador do Rio de “inimigo” e ameaçou a não renovação da concessão da emissora de televisão em 2022.
“Acabei de ver aqui na ficha que o senhor [Witzel] teria vazado esse processo que está em segredo de Justiça para a Globo. O senhor só se elegeu governador porque o senhor ficou o tempo todo colado no Flávio Bolsonaro, meu filho”, disse o presidente.
Segundo ele, o governador do Rio teria vazado essa informação da investigação porque é pré-candidato à disputa presidencial em 2022 e estaria empenhado em, segundo ele, “destruir a família Bolsonaro”.
“Deixa muito claro que algo muito errado está neste processo. Eu gostaria de falar muito neste processo, conversar com esses delegados. Colocar em pratos limpos o que está acontecendo em meu nome. Por que querem me destruir? Por que essa sede pelo poder, senhor Witzel?”, questionou.
Bolsonaro disse ainda que o processo de investigação da morte da vereadora está “bichado” e ressaltou que uma solução seria que, a partir de agora, ele fosse supervisionado pelo Conselho Superior do Ministério Público.
“Agora querer me vincular à morte da Marielle? Não vai colar. Não tinha motivo para matar quem quer que seja no Rio de Janeiro. Conheci essa vereadora no dia em que ela foi executada, em 14 de março”, disse.
O PSOL afirmou que tentará audiência com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, nesta quarta (30) para tratar do caso. O partido quer que a corte autorize a polícia a investigar a menção a Bolsonaro, que tem foro privilegiado em razão do cargo.
Em uma série de críticas, Bolsonaro acusou a TV Globo de querer infernizar a sua vida e disse que, se a emissora tivesse “o mínimo de decência”, não teria divulgado detalhes de uma investigação em segredo judicial.
“Vocês vão renovar a concessão em 2022. Não vou persegui-los, mas o processo vai estar limpo. Se o processo não estiver limpo, legal, não tem renovação da concessão de vocês, e de TV nenhuma. Vocês apostaram em me derrubar no primeiro ano e não conseguiram”, disse.
No Brasil, as emissoras de TV e de rádio funcionam por concessões públicas, que precisam ser renovadas periodicamente.
Bolsonaro já havia feito menção à TV Globo nesta semana. A atual permissão da emissora vence em abril de 2023. A concessão é renovada ou cancelada pelo presidente, e o Congresso pode referendar ou derrubar na sequência o ato presidencial em votação nominal de 2/5 das Casas (artigo 223 da Constituição).
Segundo lei sancionada no governo Michel Temer (MDB), o presidente pode decidir sobre a concessão até um ano antes de ela vencer —ou seja, em abril de 2022, último ano do mandato de Bolsonaro.
Em tom exaltado, Bolsonaro chamou ainda de “patifaria” a cobertura que a emissora faz de seu mandato e disse que é feito um jornalismo “podre” e “canalha”. Ele chamou ainda a imprensa de “porca” e “nojenta”.
“Não vou conversar com vocês da TV Globo. Temos uma conversa em 2022. Eu tenho que estar morto até lá. O processo de renovação da concessão não vai ser perseguição”, disse. “Mas tem de estar enxuto, legal. Não vai ter jeitinho para vocês, nem para ninguém, essa é a preocupação de vocês”, acrescentou.
Para ele, o objetivo da emissora de televisão é prender o seu filho e senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por suspeitas das práticas de lavagem de dinheiro, peculato e organização criminosa em seu gabinete parlamentar na época em que era deputado estadual.
“Parem de trair o Brasil. Não estão traindo a mim, não. Estão traindo o Brasil”, disse. “Não tem dinheiro público para vocês. Vão ficar me infernizando até quando?”, questionou.
Em relação ao caso Marielle, Bolsonaro afirmou ainda que o porteiro pode ter assinado o depoimento sem ler. “O que parece? Ou que o porteiro mentiu, ou que induziram o porteiro a cometer um falso testemunho, ou que escreveram algo no inquérito que o porteiro não leu e assinou na confiança. A intenção é sempre a mesma”, afirmou.
Em entrevista à TV Record ainda na noite desta terça, Bolsonaro voltou a acusar Witzel de ter vazado à TV Globo as informações sobre o depoimento.
Bolsonaro afirmou que o inquérito da Polícia Civil do Rio de Janeiro está sendo mal conduzido e que há uma tentativa de criar uma cortina de fumaça para encobrir a real autoria do crime.
WITZEL CRITICA REAÇÃO DE PRESIDENTE; GLOBO LAMENTA DECLARAÇÕES
A Globo afirmou em nota que lamenta que o presidente demonstre “não conhecer a missão do jornalismo de qualidade e use termos injustos para insultar aqueles que não fazem outra coisa senão informar com precisão”.
Disse que “não fez patifaria nem canalhice” e que a mera citação do nome do presidente leva o Supremo a analisar a situação.
“[A reportagem] ressaltou, com ênfase e por apuração própria,  que as informações do porteiro se chocavam com um fato: a presença do então deputado Jair Bolsonaro em Brasília, naquele dia, com dois registros na lista de presença em votações. O depoimento do porteiro, com ou sem contradição, é importante, porque diz respeito a um fato que ocorreu com um dos principais acusados, no dia do crime.”
Sobre as declarações de Bolsonaro de que renovará em 2022 a concessão se o processo estiver “enxuto”, a Globo disse que não poderia esperar do presidente outra atitude. “Há 54 anos, a emissora jamais deixou de cumprir as suas obrigações.”
O governador Wilson Witzel divulgou nota no fim da noite dizendo lamentar profundamente a “manifestação intempestiva do presidente” e que foi “atacado injustamente”.
“Jamais houve qualquer tipo de interferência política nas investigações conduzidas pelo Ministério Público e a cargo da Polícia Civil. Em meu governo, as instituições funcionam plenamente e o respeito à lei rege todas nossas ações. Não transitamos no terreno da ilegalidade, não compactuo com vazamentos à imprensa”, disse o governador.
Ele também afirmou que defenderá o equilíbrio e o bom senso nas relações pessoais e institucionais, como fez nos anos em que exerceu a magistratura.
O procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem, disse que as investigações sobre as mortes de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes continuam a cargo da Delegacia de Homicídios subordinada à Polícia Civil do Rio. Também afirmou que o trabalho é acompanhado pelo Ministério Público e tramita sob sigilo.
FOLHAPRESS